A fama e a fortuna me causaram sofrimento

27 de Setembro de 2020

Teve uma vez que eu e alguns médicos veteranos saímos para um almoço ao ar livre. No caminho, alguns moradores reconheceram a Dra. Wang. Eles pareciam muito felizes e gratos, e a cumprimentaram calorosamente. Então, enquanto cozinhávamos, percebemos que faltavam algumas coisas. Os moradores foram extremamente gentis. Quando viram que precisávamos de algumas coisas, eles nos ofereceram o que tinham. Alguns itens de uso diário estavam em falta naquela época e eram bem caros. Não havia muito leite, por exemplo. Muitas pessoas precisavam ficar na fila para comprá-lo. Mas o pessoal da fábrica de laticínio trouxe leite para nós… Tudo isso por causa da reputação da Dra. Wang. Ao ver a Dra. Wang semicerrar os olhos ao sorrir, não consegui deixar de invejá-la e pensar: “As pessoas realmente a têm em alta consideração! Ela é respeitada onde quer que vá e não tem que se preocupar com nada. Basta ela chegar para facilmente conseguir o que quer. Quanto a mim, sou só uma clínica geral que ninguém conhece. Não consigo ser tratada assim. Só me resta pegar carona na fama dela”. Mas, então, em meio à minha decepção, olhei para os cabelos grisalhos da Dra. Wang e pensei: “Ainda sou jovem. Se eu estudar medicina adequadamente e aprender com os médicos veteranos, cedo ou tarde posso ser famosa e respeitada como eles, desde que eu tenha a disposição de me dedicar”.

Então, depois de um mês de esforço contínuo, consegui um plantão só para mim e tive a oportunidade de praticar cirurgia. Mas esse foi só o primeiro passo. Eu ainda tinha que me esforçar mais. Assim, eu estava sempre estudando teoria médica. Fiz um teste de habilidades e assisti a todos os tipos de aulas de reciclagem depois do trabalho. Se havia uma cirurgia de emergência, fosse durante o horário de trabalho ou não, eu nunca perdia a oportunidade de praticar. Às vezes, durante uma cirurgia, eu sentia muita fome, mas não podia cuidar de meu próprio corpo porque não poderia haver erros na cirurgia. Algumas vezes, até precisei trabalhar por 24 horas. Depois de sair do trabalho, eu estava fora de mim, e meu corpo, exausto. Eu estava louca para descansar, mas então eu me lembrava que meu pai sempre me dizia: “Sem dor não há ganho”, e histórias sobre se dedicar para alcançar metas. Assim, eu me encorajava a seguir em frente e me forçava a continuar me dedicando. Quando chegava em casa à noite, eu me jogava na cama. Eu me esticava e relaxava meu corpo exausto e dolorido. Quando fechava os olhos, querendo dormir, cada detalhe de uma cirurgia reluzia em minha mente. Eu temia que meu estado mental debilitado me fizesse cometer um erro numa cirurgia. Eu pensava nos antigos colegas que cometeram pequenos erros no trabalho e nunca mais tiveram autorização para operar. Se algo desse errado, eu nunca seria bem sucedida. Instantaneamente, eu me sentia estressada, cansada, amedrontada e preocupada. Minha mente e meu corpo estavam muito cansados. Às vezes, eu pensava na cirurgia eletiva marcada para o dia seguinte e, por mais tarde que fosse quando eu chegava em casa, eu tinha que revisar e checar repetidamente o conhecimento médico de que eu precisava para aquela cirurgia e assim não cometer nenhum erro. Eu estava muito cansada, mas me esforçava para conseguir vencer um dia: “Dedique-se! Há luz no fim do túnel!”

Por fim, depois de sete anos de trabalho árduo e persistência, eu me tornei uma médica especialista. Naquele momento, as palavras mais importantes em minha mente eram: “Tudo valeu a pena! Quando minha qualificação subiu, meu preço também subiu. Eu faria todas as cirurgias que exigiam uma especialização, meu nome estava na lista de cirurgiões-chefes. Meu salário e status subiram, enquanto meus colegas ficaram para trás”. Senti uma felicidade é difícil descrever. Especialmente nas ruas movimentadas, as pessoas me reconheciam. Eu não as conhecia, mas elas me conheciam. Elas até me elogiavam por ser uma boa cirurgiã. O olhar de admiração dos pacientes e as coisas que diziam: “Fui ao seu consultório uma vez e melhorei logo depois, sem gastar muito. Com o outro médico, demorei um tempão para melhorar…” E alguns diziam: “Tal pessoa disse que você é uma boa médica. Ela recomendou que eu viesse vê-la. É difícil marcar uma consulta com você…” Quando ouvia essas coisas, eu sorria de orelha a orelha. Eu me sentia muito feliz por dentro. As pessoas ainda lembravam essas coisas depois de muito tempo, e outras até me procuravam por eu ser famosa. De repente, senti que minha imagem tinha aumentado, e eu podia sentir o sabor do sucesso. Mas, depois da felicidade, pensei em quão distante eu estava de ser uma médica-chefe. Eu só podia fazer cirurgias comuns. Como médica-chefe, eu poderia fazer cirurgias de maior complexidade, os pacientes me admirariam ainda mais e mais pessoas iriam querer se consultar comigo. Aos olhos deles, meu status não ficaria ainda mais alto?

Depois disso, acelerei o passo em direção à fama e fortuna. Meu marido reclamava e discutia muito comigo, dizendo que eu passava cada vez menos tempo com ele. Eu me sentia cansada e injustiçada, e não conseguia deixar de perguntar a mim mesma: “Para que todo esse esforço? Não foi para ter uma carreira de sucesso e uma vida boa? Eu fiz algo de errado? Não. Meu marido é que é insensato. Ele não tem ambição”. Enxuguei as lágrimas e me inscrevi para uma unidade médica a nível municipal para estudar mais a fim de aumentar minhas habilidades médicas e me tornar médica-chefe. Era uma oportunidade rara e eu a queria muito. Mas, durante o treinamento, fiquei surpresa ao descobrir que estava grávida. Estar grávida me trouxe um sentimento de perda, e eu pensei que não era o momento certo de ter um filho. Eu tinha sofrido muita coisa para ter aquela chance, eu não podia desistir dela por causa de um filho e arruinar minhas perspectivas. Mas então, pensei no bebê. Eu não queria fazer um aborto. Posteriormente, por ter ficado em pé por longos períodos fazendo cirurgias e trabalhando demais, pulando refeições para fazer cirurgias não programadas, acabei perdendo o bebê. Mas nunca parei minha busca pela fama e fortuna um minuto sequer. Eu queria voltar ao trabalho no hospital no dia seguinte à remoção do feto, mas meu corpo estava fraco demais. Senti como se meu corpo estivesse desmoronando. Meu estômago doía e meus braços e pernas estavam fracos. Eu só conseguia ficar na cama, descansando. Mas eu não pensava na perda do bebê nem em cuidar do meu corpo. Só estava preocupada com o atraso nos meus estudos e que isso poderia afetar minha formatura. Teria sido tudo em vão?

Depois de mais sete anos de trabalho exaustivo, finalmente consegui o cargo de médica-chefe com que eu sonhava. Os pacientes que eu tinha atendido me cumprimentavam ao me verem e diziam às outras pessoas: “A Dra. Tian me operou e salvou a minha vida”. Alguns me visitavam em casa levando todos os tipos de produtos regionais. Alguns levavam presentes e vales-compras para expressar sua gratidão. Às vezes, eu estava em um restaurante, e quando alguém me via, pagava a conta sem eu saber. Apesar de tudo isso deixar as pessoas com inveja, minha felicidade sempre foi temporária. Ninguém sabia das dificuldades e sofrimentos por trás da minha felicidade. Não se pode cometer o menor erro numa cirurgia ou as consequências seriam inimagináveis, e eu temia o tempo todo cometer um erro que me arruinaria. Eu tomava muito cuidado, como se estivesse pisando em ovos. Eu estava sob tanto estresse que minha mente não suportava. Minha saúde não estava boa e eu pesava pouco mais de 40 quilos. Por eu trabalhar longos períodos, minha saúde tinha se deteriorado, então eu era atormentada pela insônia, dores estomacais e uma inflamação na vesícula. Eu não conseguia comer nem dormir. Por causa daquela insônia, eu tomava até quatro comprimidos para dormir, sem resultado. Durante o dia, eu ficava sonolenta e não tinha energia. Minhas pernas pareciam feitas de chumbo. Era extremamente difícil. Eu sorria com amargura e pensava: “Agora tenho status e a admiração das pessoas, mas não consigo nem dormir nem me alimentar como uma pessoa normal”. Eu quis até evitar o trabalho, abandonar tudo, só para poder dormir, mas era tudo um sonho distante. Para piorar as coisas, quando eu mais precisava de cuidados, meu marido saía para beber e se divertir, e eu tinha que suportar minha tristeza sozinha. Eu me sentia péssima e impotente na calada da noite. O sono dificilmente vinha, e eu vivia sonhando que eu tateava no escuro, incapaz de ver a direção em que estava indo dentro ou a caminho de casa. Eu estava assustada, e lutava. Uma vez, acordei assustada, gritando “Ah!” Minha testa estava cheia de suor. Acendi a luz e sentei na beirada da cama, e pensei no respeito dos pacientes e nos elogios da minha família, mas aquilo não diminuiu a dor. Ao pensar em todo o meu esforço ao longo dos anos, eu ficava me perguntando: “Passei metade da vida me esforçando para ter sucesso, mas no final, apesar de todos os curtos momentos de glória, só me restam um corpo doente, um marido que me trai e sofrimento e dores sem fim. Por que isso? Como viver de modo a ter uma vida significativa e que valha a pena?” Eu queria muito me livrar do sofrimento. Busquei uma vidente, procurei respostas em citações de pessoas famosas e fui atrás da “energia positiva” que as pessoas tanto buscam. Tentei encontrar respostas no budismo pela internet, mas não encontrei respostas satisfatórias, e elas não resolveram meus problemas. Justo quando minha doença se tornava insuportavelmente dolorosa, quando eu não via esperança na vida nem um caminho adiante, a graça salvadora de Deus Todo-Poderoso veio até mim.

Após encontrar a fé em Deus, encontrei as respostas nas palavras de Deus. Elas dizem: “As pessoas pensam que, uma vez que tenham fama e ganho, elas poderão tirar proveito dessas coisas para desfrutar de alto status e grande riqueza e aproveitar a vida. Pensam que fama e ganho são um tipo de capital que elas podem usar para obter uma vida de busca de prazer e desfrute irresponsável da carne. Por amor a essa fama e ganho que a humanidade tanto cobiça, as pessoas voluntariamente, ainda que inadvertidamente, entregam seu corpo, sua mente e tudo o que têm, seu futuro e destino a Satanás. Elas agem assim sem hesitar um instante sequer, sempre ignorantes da necessidade de recuperar tudo que entregaram. As pessoas podem reter qualquer controle sobre si mesmas uma vez que se refugiaram em Satanás dessa forma e se tornaram leais a ele? Certamente não. Elas são completa e totalmente controladas por Satanás. Elas afundaram completa e totalmente num atoleiro e são incapazes de se libertar. Uma vez que alguém está atolado em fama e ganho, ele já não busca aquilo que é claro, o que é justo nem aquelas coisas que são belas e boas. Isso é assim porque o poder sedutor que a fama e o ganho têm sobre as pessoas é grande demais; elas se tornam coisas para as pessoas buscarem por toda a sua vida e mesmo por toda a eternidade sem fim. Não é verdade?” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus iluminaram meu coração. Eu me lembrei daquele almoço com a Dra. Wang, quando decidi em meu coração que se eu tivesse status e um alto nível de habilidades médicas, as pessoas me respeitariam, eu teria um tratamento especial e a vida seria tranquila. Também aceitei venenos satânicos como “o legado de um homem é o eco de sua vida”, “Destaque-se acima da multidão” e “o homem luta para subir; a água flui para baixo”, de tal modo que correr atrás de fama e fortuna tinha se tornado minha busca e objetivos na vida. Eu me esforçava constantemente para promover minha carreira. Depois de ganhar o respeito e os elogios das pessoas ao meu redor, tive uma sensação real de sucesso, que me fez sentir na obrigação de continuar naquela senda errada. Passei mais de 10 dos meus melhores anos atrás de fama e fortuna, sacrificando minha família e o bebê em meu ventre. Arruinei minha saúde e ganhei um corpo doente. É uma pena que só depois de tanto sacrifício, eu pensei: “De que me adiantam a fama e a fortuna? Correr atrás disso me trouxe cansaço e sofrimento e, depois de alcançá-las, continuo sofrendo indescritivelmente. Sem dúvida, buscar fama e fortuna é a senda errada no fim das contas”. Finalmente compreendi que me esforçar para buscar fama e fortuna era uma força maligna que envolve as pessoas como uma corda que as sufoca. Era como um jugo que Satanás tinha colocado em mim, que me fazia ter o desejo de sofrer e sacrificar tudo. Satanás acabou me colocando bem onde ele desejava. É exatamente como dizem as palavras de Deus: “Então Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja fama e ganho. Elas lutam por fama e ganho, passam por dificuldades por fama e ganho, suportam humilhação por fama e ganho, sacrificam tudo o que tem por fama e ganho e farão qualquer julgamento ou tomarão qualquer decisão para o bem de fama e ganho. Dessa forma, Satanás amarra as pessoas com grilhões invisíveis e elas não têm nem a força nem a coragem para se livrar deles. Elas, sem saber, carregam esses grilhões e caminham penosamente sempre adiante com grande dificuldade. Por causa dessa fama e ganho, a humanidade se afasta de Deus e O trai e se torna cada vez mais perversa. Dessa forma, portanto, uma geração após a outra é destruída em meio à fama e ao ganho de Satanás” (“A Palavra manifesta em carne”). E agradeci a Deus do fundo do meu coração. Justo quando Satanás havia me colocado contra a parede, Deus não ficou sentado, assistindo, Ele estendeu Sua mão para me salvar, me consolou com Suas palavras, me incentivou e me ajudou a encontrar a fonte do meu sofrimento. Deus é quem mais ama as pessoas. Ele Se tornou carne para expressar a verdade e nos ensinar a discernir o bem do mal e o positivo do negativo. Eu sabia que não poderia continuar na senda errada, desperdiçando a vida em busca de fama e ganho. Eu tinha que adorar o Criador. Depois disso, passei mais do meu tempo livre lendo as palavras de Deus e comunicando com os irmãos e irmãs sobre coisas que eu não entendia para que pudéssemos ajudar e apoiar uns aos outros. Antes mesmo de perceber, eu compreendi algumas verdades e entendi melhor algumas coisas. Minha mente estava muito mais descansada. Aos poucos, a insônia diminuiu, e meu estômago e vesícula também melhoraram. Eu não poderia ter alcançado essas coisas buscando fama e lucro. Eu realmente vivenciei a felicidade da liberdade espiritual.

Mais tarde, vi que meus colegas estavam se esforçando para ser promovidos, e os que tinham menos habilidades profissionais que eu, alguns que até eram colegas que eu havia treinado, todos se tornaram professores assistentes. Senti como se tivesse ficado para trás. Pensei que se minha saúde não estivesse ruim e me colocado para trás há uma década, com minha especialidade, eu poderia ter sido, no mínimo, uma professora assistente. Mas ao me lembrar de como eu buscava promoções, o que me adoeceu e trouxe dores e sofrimento, percebi que isso era um dos esquemas astutos de Satanás. Satanás estava usando meus desejos para me seduzir de volta ao redemoinho da fama e lucro. Se eu começasse a buscá-los novamente, eu poderia perder até a minha vida. E para quê? Pensei em algo que o Senhor Jesus disse: “Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? ou que dará o homem em troca da sua vida?” (Mateus 16:26). E Deus Todo-Poderoso diz: “Como alguém que é normal e que busca o amor a Deus, a entrada no reino para se tornar integrante do povo de Deus é o verdadeiro futuro de vocês e é uma vida de valor e importância máximos; ninguém é mais abençoado do que vocês. Por que digo isso? Porque aqueles que não creem em Deus vivem para a carne, e vivem para Satanás, mas hoje vocês vivem para Deus e vivem para fazer a vontade de Deus. É por isso que Eu digo que a vida de vocês é de máxima importância” (“A Palavra manifesta em carne”). Compreendi a vontade de Deus por meio de Suas palavras. Não importa quão alto seja o status de alguém ou qual seja sua reputação, buscar fama e fortuna é a senda errada e é uma senda que leva à morte. Não se pode receber as bênçãos ou a proteção de Deus seguindo essa senda. Apenas por buscar a verdade e realizar nosso dever, nos livrando de nossas corrupções por vivenciar a obra de Deus e tentar conhecer a Deus, é que podemos ter uma vida com significado e valor, podendo, por fim, receber a bênção de Deus. Esse é o único futuro real que uma pessoa deve ter. Se eu continuasse tentando satisfazer os interesses da carne, além de não me abençoar, Deus teria me odiado. Vejam alguns exemplos reais de pessoas que conheci: A filha de meu chefe se formou na faculdade e tinha uma boa carreira no exterior. Mas após anos de competição acirrada e de viver superestressada, ela ficou deprimida e pulou de um prédio, suicidando-se. O filho de um amigo meu, que se tornou gerente ainda jovem e alcançou sucesso, teve cirrose hepática de tanto beber socialmente. Ele morreu menos de seis meses depois, e meu amigo ficou grisalho da noite para o dia de tanto sofrimento. Eu me lembrei de ter lido estas palavras de Deus: “Elas percebem que o dinheiro não pode comprar a vida, que a fama não pode apagar a morte, que nem o dinheiro nem a fama podem prolongar a vida de ninguém nem por um só minuto, um só segundo” (“A Palavra manifesta em carne”). Fama e ganho não podem livrar as pessoas do sofrimento e não podem salvar a vida delas. Podem apenas enganar as pessoas, levando-as ao abismo da morte depois de uma felicidade passageira. Ao compreender isso, nunca mais me deixei perturbar ou ser afetada pelas pessoas ao meu redor. Comecei a ter vontade de passar meu limitado tempo buscando a verdade e conhecendo a Deus, vivendo de acordo com as exigências Dele e cumprindo o meu dever na casa de Deus.

Um dia, recebi um telefonema do diretor de outro hospital. Ele disse: “Agora que está aposentada, estamos planejando um banquete para você comemorar, e podemos conversar sobre aquela colaboração de que falamos. Gostaríamos de associar sua licença de médica especialista a nosso hospital para atrairmos os antigos pacientes. Você também pode trabalhar para nós ou se tornar acionista. A decisão é sua”. Quando ouvi isso, pensei: “Passei a maior parte da minha vida buscando fama e ganho, e o que foi que consegui em troca? Vou mesmo passar toda a minha vida enterrada nessas coisas? Não foi fácil me livrar do sofrimento de buscar fama e fortuna. Não preciso mais sofrer de insônia nem viver preocupada e com medo o dia inteiro. Provei a paz de espírito que a crença em Deus e o entendimento da verdade me trouxeram. Devo me agarrar com firmeza a essa felicidade. Além disso, mesmo que eu precisasse associar minha licença ao hospital, se houvesse um problema e eu ainda tivesse que ir, isso não interferiria no cumprimento do meu dever? Pensei nas palavras de Deus Todo-Poderoso: “Neste momento, cada dia que vocês vivem é crucial e é de suma importância para o seu destino e sua sina, assim, vocês devem apreciar tudo que vocês têm hoje e valorizar cada minuto que passa. Devem conseguir o máximo de tempo possível para dar a si mesmos os maiores ganhos, para que não tenham vivido esta vida em vão” (“A Palavra manifesta em carne”). Fui muito abençoada por ter a rara oportunidade de encontrar Deus. Foi Deus que me fez compreender o significado da vida e me tirou do abismo do sofrimento. Como eu poderia voltar para os braços de Satanás? A obra de Deus estava perto do fim e eu ainda não tinha obtido a verdade. Eu tinha que valorizar todos os dias e buscar a verdade em meu tempo limitado. Isso, sim, é uma bela vida! Ao compreender a vontade de Deus, recusei a oferta do diretor. Assim que desliguei o telefone, me senti mais livre do que jamais me senti. Eu só podia dizer: “Eu devia ter parado de buscar fama e ganho há muito tempo”. Outros hospitais me convidaram para trabalhar com eles. Recusei todas as ofertas. Agora, me dedico a cumprir meu dever. Eu me sinto muito tranquila e satisfeita todos os dias. Isso é algo que nenhum prazer material, fama ou status poderiam trazer. Agradeci a Deus Todo-Poderoso por me salvar!

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Deus está ao meu lado

Por Guozi, Estados Unidos Eu nasci em uma família cristã e quando eu tinha um ano de idade, minha mãe aceitou a nova obra do Senhor Jesus...