O despertar de uma escrava do dinheiro

30 de Agosto de 2020

Deus Todo-Poderoso diz: “As pessoas passam a vida correndo atrás de dinheiro e fama; elas tentam se agarrar a esses montes de palha, pensando serem seus únicos recursos, como se, ao tê-los, pudessem continuar a viver, pudessem isentar-se da morte. Mas só quando estão perto de morrer elas percebem o quanto essas coisas estão distantes delas, quão fracas elas são em face da morte, quão facilmente se estilhaçam, quão solitárias e desamparadas estão, sem ter para onde se voltar. Elas percebem que a vida não pode ser comprada com dinheiro ou fama, que não importa o quanto uma pessoa seja rica, não importa o quanto sua posição seja elevada, todas as pessoas são igualmente pobres e irrelevantes diante da morte. Elas percebem que o dinheiro não pode comprar a vida, que a fama não pode apagar a morte, que nem o dinheiro nem a fama podem prolongar a vida de ninguém nem por um só minuto, um só segundo” (‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu tenho alguma experiência com o que Deus diz aqui. Antes de acreditar em Deus, eu achava que ter dinheiro era tudo, que ele me traria respeito e admiração. Eu trabalhava dia e noite tentando ganhar dinheiro, e virei uma escrava dele. Mas, quando consegui algum dinheiro, eu tive câncer e quase morri. Depois que encontrei a fé e li as palavras de Deus Todo-Poderoso, eu vi que correr atrás de ganho financeiro não era a senda certa da vida. Era um truque que Satanás usa para nos machucar e nos corromper. Foi assim que eu acordei.

Quando eu era mais nova, minha família era pobre, e os meus pais não conseguiam pagar a minha mensalidade, então eu fazia e vendia cercas para pagar a escola. Uma vez, eu estava trabalhando na plantação e cortei meu dedinho. Não tínhamos dinheiro para o tratamento, então ele nunca se curou totalmente. Ainda não consigo esticá-lo todo. Depois que me casei, meu marido e eu continuamos pobres. Nossos amigos e parentes nos menosprezavam e nos evitavam. Quando vi o respeito que os ricos recebiam, que eles podiam comer e comprar roupas sem ansiedade, fiquei com inveja deles. As pessoas sempre dizem: “O dinheiro move o mundo”, “Dinheiro não é tudo, mas, sem ele, você não consegue fazer nada”, e “O dinheiro fala mais alto”. Na época, eu achava que era tudo verdade. Com dinheiro, a gente pode comer e se vestir como quer, e isso traz respeito e admiração. Eu achava que dinheiro era tudo. Jurei que ia trabalhar mais para ganhar mais. Eu queria sair da pobreza e viver como uma pessoa rica.

Mais tarde, meu marido e eu fomos contratados para dirigir uma lanchonete de escola. Centenas de pessoas comiam lá todo dia. Para economizar dinheiro, contratamos só mais um funcionário. Meu marido e eu trabalhávamos das 4h da manhã até a meia-noite todo dia. Eu continuava trabalhando até quando estava resfriada. Para ganhar mais, também fazíamos muito trabalho agrícola. Nas estações mais movimentadas, fazíamos hora extra para plantar e colher tudo à noite. Por trabalharmos dia e noite, às vezes eu me sentia meio tonta. Às vezes, eu cochilava cortando legumes e machucava as mãos. E os cortes ficavam cobertos de sal e água. Doía muito... Mesmo que eu estivesse muito cansada, sempre que eu via nossas economias crescendo, eu ficava feliz. Eu sentia que tinha valido a pena. E, quando eu via pessoas ricas de roupas chiques, comendo e rindo, eu pensava: “Preciso ganhar mais dinheiro!” Achei que, se eu trabalhasse muito, eu seria como elas mais cedo ou mais tarde.

Por mexer com água fria todo dia, fiquei com uma grave artrite reumatoide. Minhas juntas ficaram deformadas. Por causa dos muitos anos de trabalho cansativo, desloquei um disco da coluna, o que me causou hiperplasia no osso e inflamação ciático. O médico exigiu uma cirurgia e internação por três meses, mas eu não queria parar de ganhar dinheiro, então me recusei. Três dias já seriam demais. Então continuei trabalhando dia e noite. No final, por nunca conseguir comer na hora certa nem dormir direito, fiquei com gastroptose e gastroenterite. Pouco tempo depois, desenvolvi mioma uterino, prolapso genital, doença cardíaca, miocardite e uma grave anemia. Era uma doença atrás da outra. A dor era insuportável, e eu não conseguia dormir de noite. Não sei nem dizer quantas vezes chorei! Eu estava arrasada, e pensei: “Pra que viver? A gente só vive pra ralar e ganhar dinheiro?” Eu não tinha uma resposta. Eu só sentia que precisava de dinheiro para alcançar alguma coisa na sociedade. Então eu pensei: “Enquanto você estiver de pé, pode continuar trabalhando.” E assim voltei a correr atrás de dinheiro. Mas, um dia, fui ao hospital, e diagnosticaram que eu tinha dois tipos de câncer: câncer no pulmão e de mama em estágio inicial. Quando me contaram, eu me senti fraca de repente. Deitei na minha cama e chorei por horas! Fui a tudo quanto é hospital atrás de tratamento e gastei quase todas as nossas economias. Mas nada funcionava, e o remédio que eu tomava fazia meu corpo todo inchar. Toda noite, quando estava tudo em silêncio, eu me deitava e ficava olhando para a janela, em estado de desespero. Eu tinha passado a vida ganhando dinheiro, mas, além de não ficar rica, acabei com a minha saúde, e a minha vida era horrível. Pra que eu estava vivendo? Eu não queria mais me matar tentando ganhar dinheiro. Mas meu marido adorava dinheiro. Ele disse: “Enquanto você estiver viva, vai continuar trabalhando!” A indiferença dele me deixou chateada, decepcionada e, principalmente, impotente. Eu tinha só uns 40 e poucos anos. Eu nunca fui feliz. Não tinha visto meu filho se casar. Não estava pronta para morrer assim. Eu queria viver. Mas, sem dinheiro, como eu ia fazer o tratamento e sobreviver? O único jeito era continuar ganhando dinheiro. Então continuei trabalhando enquanto tomava remédio.

Um ano depois, meu marido abriu uma usina de carvão com o resto das nossas economias. No ano seguinte, ele montou uma usina de extração de petróleo. Todo dia, eu andava entre as duas usinas, apesar da doença, fazendo vários trabalhos. Depois de anos de trabalho duro, finalmente ganhamos dinheiro. Compramos uma casa na cidade, um carro e aproveitamos de uma boa vida material. Nossos amigos e parentes nos bajulavam e admiravam. Nosso status social tinha mudado. Tínhamos uma nova identidade. Estávamos muito felizes. Todos aqueles anos sofrendo finalmente valeram a pena. Mas nada dura pra sempre. Depois de muitos anos de trabalho duro, meu corpo começou a desmoronar. O médico me disse: “As suas doenças são muito complexas. Nenhum dos seus órgãos está funcionando direito. Não podemos fazer nada.” As palavras dele eram como uma sentença de morte. Eu não conseguia aceitar aquela notícia. Eu deveria ir para casa e esperar a morte? Eu tinha dinheiro e estava aproveitando a minha vida material. Mas de que adiantava? Nenhum dinheiro no mundo poderia me salvar agora. A dor da doença quase me fez querer morrer. O que eu podia fazer? Daí eu olhei para o céu e clamei: “Céus! Me salvem!”

No meu momento de maior desespero, uma amiga compartilhou comigo o evangelho de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Ela disse que Deus tinha se tornado carne nos últimos dias para salvar a humanidade, expressar a verdade e desvendar os mistérios da vida. Ele revela a fonte do mal e da escuridão no mundo, por que nossa vida é tão vazia e cheia de sofrimento, de onde vêm as doenças, nas mãos de quem está o nosso destino, o que realmente dá significado à nossa vida e muito mais. Além disso, ela falou que, ao ler as palavras Dele e entender a verdade, podemos ver além dessas coisas, e o nosso sofrimento é aliviado. Minha amiga leu uma passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso para mim. “Qual é a fonte do sofrimento vitalício desde o nascimento, a morte, doença e velhice que os humanos suportam? O que fez as pessoas terem essas coisas? Os humanos não as tinham quando foram inicialmente criados, certo? De onde, então, vieram essas coisas? Elas vieram a existir depois que os humanos foram tentados por Satanás e a carne deles se tornou degenerada. A dor da carne humana, suas aflições e seu vazio, bem como os assuntos extremamente miseráveis do mundo humano só vieram quando Satanás corrompeu a humanidade. Quando os humanos foram corrompidos por Satanás, ele começou a atormentá-los. Eles se degeneram cada vez mais. As doenças ficaram cada vez mais agudas, e seu sofrimento se tornou cada vez mais severo. As pessoas sentiram o vazio e a tragédia do mundo humano, que não podiam continuar vivendo ali, e sentiram cada vez menos esperança para o mundo. Portanto, esse sofrimento foi trazido sobre os humanos por Satanás” (‘O significado de Deus provar do sofrimento mundano’ em “Registros das falas de Cristo”).

Aí a minha amiga disse na comunhão: “Quando Deus nos fez, todos vivíamos sob a proteção Dele, vivendo livremente no Jardim do Éden, sem morte, doenças ou preocupações. Mas, quando Satanás tentou e corrompeu a humanidade, nós traímos a Deus e perdemos o cuidado e a proteção Dele. Nós vivemos sob o domínio de Satanás, de acordo com os princípios de Satanás. Nós competimos uns com os outros, mentindo, enganando e brigando por fama, riqueza e status. É daí que vêm a doença, a dor e a mágoa no nosso espírito. E esse sofrimento, essas preocupações, fazem com que todo mundo sinta que a vida é muito dolorosa, cansativa ou difícil. Tudo isso acontece porque Satanás nos corrompeu. Isso é Satanás nos atormentando. Mas Deus veio ao mundo encarnado para poder nos salvar. Ele expressa todas as verdades que nos permitem alcançar a salvação e sermos purificados. Se lermos as palavras de Deus e vivermos sob elas, podemos obter a proteção e a orientação Dele, nos livrar da corrupção, alcançar a salvação de Deus e ser levados a Ele no nosso destino final.” Ao ouvir as palavras dela, senti esperança. Senti que Deus Todo-Poderoso poderia me salvar do sofrimento, então concordei em estudar a obra de Deus Todo-Poderoso. Minha amiga me deu um exemplar de A Palavra manifesta em carne. Depois disso, li as palavras de Deus todos os dias e me encontrei com meus irmãos e irmãs.

Durante meus devocionais um dia, vi o vídeo de uma leitura das palavras de Deus. “Deus Todo-Poderoso diz: “Não importa o seu passado, não importa a jornada à sua frente, ninguém pode escapar das orquestrações e dos arranjos do Céu, e ninguém está no controle do próprio destino, pois apenas Aquele que governa todas as coisas é capaz de tal obra. Desde o dia em que o homem veio a existir, Deus sempre operou assim, gerenciando o universo, dirigindo as regras de mudança para todas as coisas e a trajetória de movimento delas. Como todas as coisas, o homem é silenciosa e inconscientemente nutrido pela doçura, pela chuva e pelo orvalho de Deus; como todas as coisas, o homem vive inconscientemente embaixo da orquestração da mão de Deus. O coração e o espírito do homem são guardados na mão de Deus, tudo de sua vida é observado pelos olhos de Deus. Não importa se você acredita nisso ou não, todas as coisas, vivas ou mortas, vão se transformar, mudar, se renovar e desaparecer de acordo com os pensamentos de Deus. Tal é a maneira pela qual Deus preside sobre todas as coisas” (‘Deus é a fonte da vida do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”). Quando assisti a esse vídeo, vi que Deus é nosso Criador, e Ele manda em tudo. Deus abastece e nutre toda a humanidade. Nosso destino, nossa vida, nossa morte e nossa felicidade estão na palma da mão Dele. Não podemos mudá-las só nos ocupando e correndo o tempo todo. Mas eu não entendia a soberania de Deus. Eu tinha tentado confiar na minha própria força para mudar o meu destino, tentando ficar mais rica. Mas, mesmo ganhando algum dinheiro, eu nunca me sentia feliz. Minha alma estava dolorida, e a minha saúde arruinada. Foi aí que eu percebi... Se as pessoas não acreditarem em Deus e não O adorarem, se não obedeceram à soberania Dele, se resistirem ao seu destino por causa de desejo, elas só vão sofrer à toa e vão para o inferno quando morrerem. Então eu soube que Deus era meu único apoio de verdade, e, assim, orei e confiei minha saúde a Ele. Fosse para eu viver ou morrer, eu me submeteria à soberania de Deus.

Passei a participar da vida da igreja depois disso. Eu via como meus irmãos e irmãs liam as palavras de Deus e buscavam a verdade, tentando cumprir seus deveres e agradar a Deus, e eu os admirava muito. Eu queria me libertar da minha vida antiga e viver uma vida nova. Eu orei muito a Deus, pedindo que Ele me mostrasse um caminho para eu ter mais tempo de ir aos encontros e cumprir meu dever. Mais tarde, nossa usina de extração de petróleo foi requisitada para a construção de uma nova estrada. Eu não precisaria mais ficar indo de uma usina à outra como antes. Eu tinha mais tempo para encontrar os outros e comunicar a palavra de Deus, contemplar a palavra de Deus e me aproximar Dele. Eu me sentia enriquecida todo dia. Um pouco depois disso, minha saúde começou a melhorar muito. Eu me senti energizada, e meu corpo ficou mais forte. Eu me senti muito mais relaxada e calma. Fiquei muito grata a Deus.

Mais tarde, vi outro vídeo de leitura das palavras de Deus. “Deus Todo-Poderoso diz: “‘O dinheiro faz o mundo girar’ é uma filosofia de Satanás, e ela prevalece em meio à humanidade inteira, em cada sociedade humana. Você pode dizer que é uma tendência porque foi incutida no coração de cada pessoa. Nos primórdios, as pessoas não aceitavam esse dito, mas então o aceitaram tacitamente quando entraram em contato com a vida real e começaram a sentir que essas palavras eram realmente verdadeiras. Isso não é um processo de Satanás corromper o homem? […] Assim, depois que Satanás usa essa tendência para corromper as pessoas, como ela se manifesta nelas? Vocês não sentem que não poderiam sobreviver neste mundo sem qualquer dinheiro, que mesmo um dia sem dinheiro seria impossível? O status das pessoas está baseado em quanto dinheiro elas têm, e o mesmo vale para o respeito que exigem. As costas do pobre estão curvadas de vergonha, enquanto os ricos desfrutam do seu status elevado. Eles assumem uma postura ereta e altiva, falam alto e vivem com arrogância. O que esse dito e essa tendência trazem às pessoas? Não é verdade que muitas pessoas fazem qualquer sacrifício na busca de dinheiro? Muitas pessoas não perdem sua dignidade e integridade na busca de mais dinheiro? Além disso, muitas pessoas não perdem a oportunidade de cumprir seu dever e seguir a Deus por causa do dinheiro? Isso não é uma perda para as pessoas? (Sim.) Satanás não é sinistro ao usar esse método e esse dito para corromper o homem a tal ponto? Esse não é um ardil malicioso?” (‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de assistir a isso, eu entendi que essas décadas que passei com dor e exaustão foram resultado da corrupção de Satanás e da influência da sociedade, que me levaram a seguir tendências mundanas e a adorar o dinheiro. Na minha infância, enquanto eu vivia na pobreza, eu era excluída e menosprezada. Quando eu via pessoas ricas, que viviam bem e inspiravam respeito, eu achava que precisava de dinheiro para viver naquele mundo. “Dinheiro não é tudo, mas, sem ele, você não consegue fazer nada”, “O dinheiro move o mundo”, “O dinheiro fala mais alto”, “Dinheiro em primeiro lugar”, e “O homem fará de tudo para ficar rico”. Essas falácias satânicas se enraizaram no meu coração e controlaram meus pensamentos. Eu achava que dinheiro era tudo, que ele poderia me tornar alguém admirável, respeitável e feliz. A busca pelo dinheiro era meu único objetivo, e eu só me preocupava em ganhar mais. E daí se eu ficasse tonta, cansada, doente, ou se meu corpo não aguentasse mais? Quando eu pensava em ficar rica e viver a vida de uma pessoa rica, eu só rangia os dentes e seguia em frente. Nem quando tive câncer, as coisas mudaram. Na verdade, o dinheiro se tornou mais importante ainda, porque eu precisava dele para me tratar e sobreviver. Mesmo assim, não parei de tentar ganhar dinheiro. Eu me senti fortemente amarrada por Satanás, não passava de uma escrava do dinheiro. Embora eu tivesse um carro, uma casa e algum dinheiro, e fosse respeitada e admirada, eu não me sentia nada feliz. Tive muitas doenças, e também tive câncer. Meu dinheiro não aliviava a minha dor nem podia salvar a minha vida. Senti muita dor e desespero. Mais dinheiro não adiantaria nada. Antes, eu tinha trocado a minha vida por dinheiro. Agora eu a estava comprando com ele. Eu vivia para ganhar dinheiro, mas acabei de mãos vazias. Então, vi claramente que buscar dinheiro era um modo errado de viver. O dinheiro é um truque que Satanás usa para nos machucar e nos corromper. É um grilhão que Satanás coloca em volta do nosso pescoço. Se não fosse pela palavra de Deus, nem agora eu teria visto como Satanás usa o dinheiro para nos amarrar, nos controlar e nos machucar. E Satanás ainda estaria me guiando, me atormentando e brincando comigo. Eu vi que as pessoas não entendiam a verdade, e por isso não sabiam como viver. Elas só seguiam a multidão, colocando o dinheiro em primeiro lugar. É uma pena! Eu tive muita sorte de ouvir a voz de Deus, de ficar diante Dele e escapar do abuso de Satanás. Aquela era a salvação de Deus, e meu coração ficou cheio de gratidão a Ele.

Mais tarde, quando meu marido ia ao mercado, eu ficava trabalhando na usina. Às vezes, era na hora da nossa reunião. Embora eu participasse, eu me sentia agitada. Eu sentia culpa no meu coração. Eu pensava no quanto fiquei doente em troca de ganhar dinheiro. O médico tinha me dado uma sentença de morte. Foi Deus quem me salvou quando eu estava à beira da morte e me deu uma segunda chance. Mas eu não conseguia cumprir meu dever e recompensar o amor Dele. Eu senti que estava em dívida com Deus. Pensei no que o Senhor Jesus disse: “Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? ou que dará o homem em troca da sua vida?” (Mateus 16:26). E em Timóteo 1:6-8 diz: “Tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes.” Exatamente. Para que ganhar mais dinheiro, se vamos perder a vida? Eu pensei em alugar a usina de carvão. Eu ganharia menos dinheiro, mas ainda daria para viver, e daí eu poderia adorar a Deus e cumprir meu dever. Mas fiquei indecisa. A usina de carvão ia muito bem! E tinha sido difícil começar o negócio. Seria triste desistir dele. Eu hesitei. Eu não sabia o que fazer. Então orei pedindo a ajuda de Deus.

Um dia, li isso nas palavras de Deus: “Há um jeito mais simples de se livrar desse estado: despedir-se do modo de viver antigo, dizer adeus aos objetivos prévios na vida, resumir e analisar o estilo de vida, a maneira de ver a vida, as buscas, os desejos e os ideais anteriores, depois compará-los com a vontade e as exigências de Deus para o homem e ver se algum deles condiz com a vontade e as exigências de Deus, se algum deles traz os valores corretos da vida, se conduz a uma compreensão maior da verdade e permite viver com humanidade e semelhança humana. Quando investigar repetidas vezes e dissecar atentamente as diversas metas de vida que as pessoas perseguem e as várias e diferentes maneiras de viver, você descobrirá que nenhuma delas corresponde à intenção original do Criador quando Ele criou a humanidade. Todas elas afastam as pessoas da soberania e do cuidado do Criador; todas são armadilhas que fazem com que as pessoas se tornem depravadas e que a levam ao inferno. Depois de reconhecer isso, a sua tarefa é pôr de lado a antiga visão da vida, ficar longe das diversas armadilhas, deixar que Deus se encarregue de sua vida e faça arranjos para você, tentar apenas se submeter às orquestrações e à orientação de Deus, não ter escolha e tornar-se uma pessoa que adora a Deus” (‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Ao ler as palavras de Deus, pensei nas regras satânicas de vida que segui antes, tentando ser rica. Eu acreditava que “O dinheiro move o mundo” e que “Dinheiro não é tudo, mas, sem ele, você não consegue fazer nada.” Para ser rica e obter o respeito das pessoas, eu precisava batalhar por dinheiro. Esses dias foram dolorosos e miseráveis. O dinheiro era tão importante assim? O que ele poderia me trazer? Ele podia comprar uma casa, um carro. Poderia me ajudar a viver uma boa vida material e me trazer respeito. E podia me trazer alegria carnal temporária. Mas não enchia o vazio do meu coração nem impedia a minha dor. Não podia me trazer paz nem felicidade. Não podia acabar com o meu sofrimento com a doença e nem salvar a minha vida. Pensei no diretor da minha escola local. Ele tinha dinheiro e status, mas morreu de câncer. Dinheiro e status não puderam ajudá-lo a escapar do sofrimento e da morte. Eu tinha ouvido falar de pessoas que viveram vidas dolorosas e vazias e que se mataram para acabar com isso. E pessoas que mentiram, trapacearam, brigaram e enganaram os outros, perdendo toda a humanidade e consciência só por dinheiro. Todas essas histórias, e a minha experiência pessoal, permitiram que eu visse que buscar ganho monetário só fazia com que as pessoas ficassem mais corruptas e decadentes. Isso as afasta de Deus e as aproxima do pecado. Pensei em Jó, que não buscou dinheiro nem conforto material. Jó se entregou à soberania de Deus e procurou saber dos atos Dele sobre todas as coisas. E, no final, ganhou a bênção de Deus. Pensei em como, quando Jesus o chamou, Pedro abdicou de tudo para seguir a Deus. Ele procurou conhecer e amar a Deus. Deus o aperfeiçoou, e ele viveu uma vida significativa. Disso tudo, entendi que conhecer Deus e adorá-Lo, viver de acordo com a palavra Dele, ganhando o elogio Dele, são as coisas mais importantes da vida. Era difícil, para mim, encontrar a fé e a senda certa. Eu sabia que continuar buscando riqueza e prazeres mundanos e abandonar a minha busca pela verdade e salvação seria besteira. Quando pensei nisso, meu coração se livrou das dúvidas. Eu não queria mais ser escrava do dinheiro. Só queria mais tempo e energia para buscar a verdade. Depois disso, conversei com meu marido sobre alugar a usina. Com a ajuda das orquestrações maravilhosas de Deus, nós a alugamos. Consegui ir às reuniões regularmente e cumprir meu dever.

Dois anos depois, meu marido pegou uma doença súbita e faleceu. A passagem dele foi difícil para mim, me mostrou como como a vida é frágil. Meu marido passou a maior parte da vida correndo, tentando ganhar dinheiro. A pressão dele passou dos 20, mas ele continuava trabalhando. Quando ele fraturou o quadril, voltou a trabalhar antes de se recuperar totalmente. Não descansava nem quando eu implorava. Ele também era escravo do dinheiro. Ele foi controlado e machucado por Satanás a vida toda. Ele não desistia, nem diante da morte. Ele queria ganhar dinheiro e viver uma vida boa, mas perdeu a vida. Fama e riqueza não puderam salvá-lo, diminuir a dor dele ou fazê-lo sobreviver. É como Deus diz: “As pessoas passam a vida correndo atrás de dinheiro e fama; elas tentam se agarrar a esses montes de palha, pensando serem seus únicos recursos, como se, ao tê-los, pudessem continuar a viver, pudessem isentar-se da morte. Mas só quando estão perto de morrer elas percebem o quanto essas coisas estão distantes delas, quão fracas elas são em face da morte, quão facilmente se estilhaçam, quão solitárias e desamparadas estão, sem ter para onde se voltar. Elas percebem que a vida não pode ser comprada com dinheiro ou fama, que não importa o quanto uma pessoa seja rica, não importa o quanto sua posição seja elevada, todas as pessoas são igualmente pobres e irrelevantes diante da morte. Elas percebem que o dinheiro não pode comprar a vida, que a fama não pode apagar a morte, que nem o dinheiro nem a fama podem prolongar a vida de ninguém nem por um só minuto, um só segundo” (‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Olhando para trás agora, vejo como eu vivia correndo tentando ganhar dinheiro, respeito e admiração, mas era torturada por Satanás em todos os segundos da minha vida. Mas Deus me salvou. Ele me salvou do turbilhão de dinheiro e mudou a minha direção na vida. Agora, enquanto busco a verdade para cumprir meu dever, me sinto livre e em paz. Nenhum dinheiro compra isso. Sou grata a Deus Todo-Poderoso por me salvar.

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

De volta da beira da morte

Por Zhao Guangming, China No começo dos anos 80, eu tinha 30 anos e trabalhava numa construtora. Eu me considerava jovem e apto, tratava as...

De onde vem essa voz?

Por Shiyin, China Eu nasci em uma família cristã e muitos dos meus parentes são pregadores. Eu acreditava no Senhor juntamente com meus...