Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

7. Estou seguindo as pegadas do Cordeiro

Shen Ai, Cingapura

Quando eu tinha 18 anos, minha mãe adoeceu e começou a crer no Senhor Jesus. Na época, eu conhecia o nome do Senhor Jesus, mas não entendia nada sobre a fé Nele. Coincidentemente, mais tarde, fui trabalhar em uma empresa na qual a maioria dos funcionários era cristã. Através da interação com eles, vi como tratavam os outros com amor e paciência, e passei a acreditar que os cristãos eram um grupo muito bom de pessoas. Durante esse tempo, um colega me contou muitas vezes a história de como o Senhor Jesus foi pregado na cruz para redimir a humanidade. Aos poucos, desenvolvi um interesse pela fé no Senhor e comecei a frequentar a igreja com meus colegas. A primeira vez que entrei na igreja e ouvi hinos que louvavam a Deus sendo cantados, fui inesperadamente levada às lágrimas pelo amor do Senhor. Fiz essa oração: “Ó, Senhor Jesus! Obrigada por me tirar do vasto oceano da humanidade para me tornar uma de Suas filhas. Desejo segui-Lo para sempre”. Durante esse período, sempre que encontrava algumas dificuldades em minha vida diária ou era ridicularizada por meus amigos e parentes por causa de minha fé no Senhor, bastava eu me colocar diante Dele em oração para meu espírito se libertar. Senti que o Senhor Jesus era a única pessoa em quem eu confiava na vida e que nunca O abandonaria. Naquela época, meu hino favorito era: “Rocha, Jesus Cristo! A salvação não é encontrada em mais ninguém, pois não há outro nome debaixo do céu, só Tu és o salvador. Tu és o mediador, Tu és o filho de Deus, Tu és o cordeiro. Tu és o caminho e a verdade. Tu és a vida. Tu és a luz. Tu és a rocha, a fortaleza, a cidade de refúgio e o escudo. Nós pertencemos a Ti; nunca seremos abalados de geração em geração”. E foi assim que confiei no grande poder e na motivação do Senhor, obtidos da orientação das Suas palavras, para superar todas as dificuldades da vida.

Mas então, por alguma razão desconhecida, comecei a notar que não estava mais gostando das reuniões. Os sermões do pastor eram sempre as mesmas coisas antigas, sem nenhuma luz nova, por isso senti que não estava ganhando nada. Meu espírito começou a murchar e ficou cada vez mais fraco. Por causa disso, orei muitas vezes assim: “Senhor, em meu coração não há desejo de ir às reuniões da igreja. Quando vou, não me envolvo e não ganho sustento para minha vida espiritual. Senhor, sinto-me impotente. Estou vagando sem saber o que fazer. Por favor, ajuda-me a sair disso”. Mas, não importava o quanto eu orasse e implorasse, nunca conseguia sentir a presença do Senhor. A escuridão e a dor cresceram em meu coração e minha confiança se tornou cada vez mais fraca. Então, em 2014, meu marido sofreu um acidente enquanto dirigia sob a influência do álcool. Acabamos pagando dois anos de contas médicas e indenizações, o que nos deixou com dívidas de mais de 100.000 yuans. Essa dívida nos obrigou a mudar para Cingapura para trabalhar e ganhar mais dinheiro.

Em abril de 2016, chegamos a Cingapura. O estresse e as dificuldades da vida cotidiana se revelaram muito maiores do que eu esperava. Comecei a trabalhar mais de 10 horas todos os dias, o que me deixou fisicamente exausta. Mas pior ainda eram as reclamações que recebia de meus colegas de trabalho e do chefe na loja. Esse estresse físico e psicológico foi uma fonte de enorme sofrimento para mim. Eu chorava todos os dias depois do serviço. Senti-me muito sozinha, sem que ninguém entendesse minha situação ou mostrasse alguma preocupação em relação a mim. Viver assim era tão doloroso que, em meu coração, comecei a reclamar do Senhor. Eu não conseguia mais encarar aquele ambiente e queria voltar para a China o mais rápido possível. Mas é precisamente quando as pessoas estão em seu limite que Deus aparece. Então, quando o sofrimento era o maior possível, e eu me sentia desamparada, uma das colegas de trabalho que morava comigo, irmã Wang, viu que eu tinha uma Bíblia na minha mesa de cabeceira e me contou que também era cristã. Fiquei encantada ao descobrir que a irmã Wang também acreditava no Senhor e, a partir daquele dia, nos reunimos muitas vezes para comungar assuntos a respeito da fé em Deus. A irmã Wang incentivou-me a orar a Deus muitas vezes sobre tudo e manter minha fé Nele. Como não vivia em Cingapura há muito tempo, eu ainda não estava acostumada com a comida. Então, todos os dias depois do trabalho, a irmã Wang preparava o jantar de acordo com o meu gosto. Fiquei muito comovida com isso e sabia que esse tipo de amor vinha de Deus, por isso fiquei muito grata a Ele por providenciar que alguém estivesse lá para me apoiar quando me sentisse totalmente sozinha e indefesa. Algum tempo depois, fui apresentada pela irmã Wang a duas outras irmãs. Na primeira vez em que nos encontramos, não consegui conter o sentimento de queixa em meu coração e as lágrimas começaram a rolar pelo meu rosto. As irmãs me confortaram e conversaram sobre as intenções de Deus em relação a mim. Uma delas disse: “Você conseguiu sair da China sem problemas, então isso só pode significar que Deus permitiu isso e que Ele pretende algo maravilhoso para você aqui. Nós simplesmente não sabemos o que é ainda”. A irmã também usou a história de Jó, da Bíblia, para comungar comigo: “Jó perdeu toda a sua imensa riqueza, todos os seus filhos e filhas e ficou com o corpo cheio de feridas, mas, mesmo durante essas provações e sofrimentos, ele nunca reclamou de Deus. Ele se submeteu ao plano de Deus e louvou Seu nome. Como Jó ficou firme e deu testemunho durante suas provações, ele viu as bênçãos de Deus. Pelas provações de Jó, podemos ver que muitas das coisas que acontecem com as pessoas têm as intenções de Deus por trás. Portanto, não importa o tipo de situação nem o ambiente que encontramos, não devemos nos queixar a Deus. Em vez disso, devemos primeiro nos submeter e buscar as intenções Dele”. Enquanto ouvia a comunhão da irmã, meu coração ficou, aos poucos, mais tranquilo. Sim, Jó se submeteu a Deus mesmo durante as tremendas provações e sofrimentos pelos quais passou. Ele não reclamou e foi capaz de louvar o nome de Deus, o que foi um testemunho maravilhoso! Minhas dificuldades eram insignificantes comparadas com as de Jó, assim, se ele conseguiu se submeter a Deus, eu não reclamaria mais, nem deixaria Deus triste. A comunhão da irmã me deu confiança e coragem para encarar meus problemas mais uma vez, e, em meu coração, senti uma libertação considerável. Ao mesmo tempo, notei que a comunhão das irmãs era cheia de brilho: elas haviam usado a história de Jó para iluminar minhas dificuldades atuais e me mostraram um caminho prático. Isso era algo que eu nunca havia reconhecido quando lia a Bíblia. A reunião foi muito proveitosa para mim, e pude sentir meu espírito ficando mais brilhante a cada dia e o trabalho não era mais um problema. Depois disso, encontrei-me com as irmãs com frequência e cada reunião era muito recompensadora.

Certa vez, quando estávamos juntas, nós lemos essa passagem das palavras de Deus: “Deus criou essas duas pessoas e as tratou como Seus companheiros. Como sua única família, Deus cuidou da vida deles e também cuidou de suas necessidades básicas. Aqui, Deus Se apresenta como um dos pais de Adão e Eva. […]A atitude e o modo como Deus tratou Adão e Eva são semelhantes aos pais humanos que demonstram preocupação por seus próprios filhos. Também é como os pais humanos amam, e cuidam de seus próprios filhos e filhas – reais, visíveis e tangíveis. Em vez de Se colocar em uma posição elevada e poderosa, Deus pessoalmente usou peles para fazer roupa para o homem. Não importa se este casaco de pele foi usado para cobrir sua modéstia ou para protegê-los do frio. Em resumo, esta roupa usada para cobrir o corpo do homem foi feita pessoalmente por Deus com as próprias mãos. Ao invés de criá-lo simplesmente através do pensamento ou métodos milagrosos como as pessoas imaginam, Deus legitimamente fez algo que o homem acha que Deus não poderia e não deveria fazer. Isso pode ser algo simples que alguns nem pensam ser digno de menção, mas também permite a todos aqueles que seguem a Deus, mas antes estavam cheios de ideias vagas sobre Ele, ganhar uma visão de Sua genuinidade e beleza e ver Sua natureza fiel e humilde” (de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus I’ em “A Palavra manifesta em carne”).  Fiquei muito surpresa ao ler essas palavras, pois as ideias pareciam estranhas para mim. Eu leio a Bíblia há muitos anos, mas o sentido de Deus vestir, pessoalmente, Adão e Eva com peles nunca me ocorreu. Nunca percebi que por trás da ação de Deus havia uma intenção Dele. Era como se uma luz se acendesse no meu coração e estivesse revelando os mistérios da Bíblia para mim. O que Deus havia dito foi tão bem expresso que aqueceu meu coração e me permitiu ver quão íntimo era o relacionamento Dele com a humanidade. Deus era como os pais da humanidade, cheio de cuidado, preocupação e afeição. Ele nos deu as melhores coisas, o que prova Seu imenso amor por nós humanos! Senti que meu relacionamento com Deus estava mais próximo.

Depois disso, eu li outra passagem das palavras de Deus: “Desde a criação do mundo comecei a predestinar e selecionar este grupo de pessoas, a saber, vocês hoje. […] Mesmo as coisas que você faz e as pessoas que você encontra todo dia são arranjadas pelas Minhas mãos, para nem mencionar o fato de que levar você à Minha presença hoje é, de fato, Meu arranjo. Não se lance na desordem; você deve proceder calmamente” (de ‘A septuagésima quarta declaração’ em “A Palavra manifesta em carne”). Essa passagem explica que tudo o que fazemos ou todos a quem vemos cada dia da nossa vida é organizado por Deus. Ler isso abriu muito a minha mente. Assim, a razão de eu ter ido ao exterior, ter conhecido as irmãs e obtido o apoio delas foi porque Deus estava controlando tudo! Como Ele havia me guiado a cada passo do caminho até então, fazia sentido acreditar que Deus também havia preparado meu caminho que viria adiante. Pensar assim aumentou minha confiança em Deus. Percebi que Ele estava ao meu lado, cuidando de mim, e já não me sentia hesitante ou indefesa. Eu estava disposta a entregar a gestão de tudo a Deus e acreditava que Ele me levaria através de todas e quaisquer dificuldades. Durante aqueles dias, embora o trabalho ainda fosse muito cansativo, como sempre, meu coração estava muito alegre. Eu ansiava pelas reuniões com as irmãs, porque sempre podia ganhar sustento delas e aprender algo novo, o que era completamente diferente do que tinha conseguido indo para a minha igreja anterior.

Mas, alguns dias depois, quando assistia a um filme gospel com a irmã Wang, de repente vi as palavras “Relâmpago do Oriente” aparecerem na tela. Fiquei um pouco agitada, porque lembrei que, na China, os pastores costumavam falar sobre a Relâmpago do Oriente em seus sermões. Eles diziam coisas do tipo: “As pessoas que acreditam na Relâmpago não estão clamando pelo nome do Senhor Jesus em suas orações. Elas oram a Deus Todo-Poderoso”. Os pastores também nos alertavam para não termos nenhum contato com os seguidores da Relâmpago do Oriente, para que não fôssemos confundidos e roubados por eles. Eles diziam que, se abandonássemos o nome do Senhor e O traíssemos, estaríamos... Pensar em tudo isso me deixou alarmada e rapidamente interrompi a conversa com a irmã Wang. Por um período de tempo, comecei a evitar a irmã Wang no trabalho, mas ainda pensava com frequência nos cuidados que ela demonstrara em relação a mim. Pensei nos bons momentos em que tive encontros com elas e como a comunhão era nova, esclarecedora e totalmente de acordo com as palavras do Senhor. Elas eram decentes e tinham um comportamento íntegro. Eu também ganhei muito com as passagens das palavras de Deus que elas me deram para ler, o que achei muito prático e que incluía muitas verdades que eu nunca tinha ouvido antes. Depois de ler essas palavras, senti que meu relacionamento com Deus estava ficando mais íntimo e que eu estava saindo do pessimismo, das fraquezas e das trevas espirituais que haviam me engolido. Finalmente, eu tinha conseguido alguma confiança e esperança em minha vida. Essa foi a confirmação da obra do Espírito Santo! Isso também era prova de que a irmã Wang e os outros tinham uma fé certa, que, provavelmente, era o único caminho verdadeiro! Mas eu não conseguia esquecer que, quando oravam, elas usavam o nome de Deus Todo-Poderoso e não o nome do Senhor Jesus. Fiquei muito confusa e não sabia o que fazer. Então, fiz essa oração: “Deus, Tu arranjaste para que eu conhecesse algumas irmãs, soubesse que elas pertencem à Relâmpago do Oriente e usam o nome de Deus Todo-Poderoso em suas orações. Agora, não sei qual caminho escolher ou se a Relâmpago do Oriente é mesmo Teu retorno. Deus, se a Relâmpago do Oriente é a obra de Tua manifestação, eu Te imploro para me iluminares e guiares para que eu possa seguir Teus passos”. Depois de orar, meu coração ficou mais firme e eu pude discutir com a irmã Wang as dúvidas que tinha. A irmã Wang disse: “Essas questões que você levantou são exatamente as mesmas que eu tive quando comecei a investigar a obra de Deus dos últimos dias. Foi só depois de ler as palavras de Deus Todo-Poderoso que pude entender essas questões. Por que não comungamos as palavras de Deus agora?” Depois que a irmã Wang disse isso, concordei em começar a investigar a obra de Deus dos últimos dias.

Naquela noite, mais duas irmãs, Xiaoya e Lianxin, vieram e ambas deram testemunho da obra de Deus dos últimos dias para mim. Após ouvir a comunhão delas, perguntei: “Costumávamos usar o nome do Senhor Jesus em oração e invocávamos o nome Dele para curar doenças e expulsar demônios. Por que o nome de Deus mudou para Deus Todo-Poderoso?” A irmã Xiaoya respondeu: “Na verdade, em relação ao nome de Deus Todo-Poderoso, há várias profecias sobre isso na Bíblia, no Apocalipse. Por exemplo, o capítulo 1, versículo 8 diz: ‘Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso’. O capítulo 11, versículo 17 diz: ‘dizendo: Graças te damos, Senhor Deus Todo-Poderoso, que és, e que eras, porque tens tomado o teu grande poder, e começaste a reinar’. E o capítulo 19, versículo 6 diz: ‘Também ouvi uma voz como a de grande multidão, como a voz de muitas águas, e como a voz de fortes trovões, que dizia: Aleluia! porque já reina o Senhor nosso Deus, o Todo-Poderoso’. A partir disso, podemos ver que, durante os últimos dias, Deus está usando o nome de Deus Todo-Poderoso para iniciar a obra de julgamento. Isso é algo que Deus planejou há muito tempo”. Depois de ouvir a explicação da irmã, tudo ficou claro para mim: o nome “Todo-Poderoso” está na Bíblia! E Todo-Poderoso deve significar Deus Todo-Poderoso!

Então, a irmã Lianxin exibiu um vídeo com um hino das palavras de Deus: “Em cada era e cada estágio de Sua obra, pesa o nome de Deus, não soa vazio. Cada nome representa uma era. Jeová, Jesus, e o Messias representam o Espírito de Deus. Mas só representam as eras de Sua gestão, não Sua totalidade. Os nomes com que as pessoas O chamam não expressam todo o Seu caráter, não expressam tudo o que Ele é. São só os nomes de Deus em diferentes eras. E quando chegar a era final – os últimos dias, mudará de novo o nome de Deus. Não será Jeová nem Jesus, não será o Messias. Será o poderoso, Deus Todo-Poderoso. E com esse nome Ele acabará a era. Deus já foi Jeová. Já foi também o Messias. Por amor e respeito, O chamaram também de Jesus, o Salvador. Hoje Deus não é Jeová nem Jesus, que as pessoas conheceram no passado. Ele é o Deus de volta nos últimos dias, que acabará esta era. Repleto de todo Seu caráter, cheio de autoridade, honra e glória, Ele é o Deus, o próprio Deus, que se eleva aos confins da Terra, que se eleva aos confins da Terra. […]Deus assumiu este nome e está pleno deste caráter para que todas as pessoas possam ver que Ele é um Deus justo, e é o sol que arde e o fogo que flameja. Assim é para que todos possam O adorar, o único Deus verdadeiro, e assim é para que possam ver Sua verdadeira face: Não é apenas o Deus dos israelitas e não é apenas o Redentor;Ele é o Deus de todas as criaturas no céu, na terra e no mar” (de ‘O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”’ em “Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”). Depois de assistir ao vídeo, as irmãs comungaram mais coisas comigo, como verdades a respeito de por que Deus muda de nome e o significado do nome Dele em cada era. Foi quando finalmente entendi: Deus é chamado por um nome diferente em cada era e cada nome tem um significado que é representativo do caráter e da obra que Ele precisa fazer durante essa era. Mas cada nome escolhido representa apenas parte do caráter de Deus durante essa era, não o caráter completo. Por exemplo, o nome Jeová representou a obra de Deus durante a Era da Lei e também representou o caráter imprecatório, porém misericordioso, de Deus. O nome do Senhor Jesus representou a obra de Deus durante a Era da Graça, e o caráter compassivo e misericordioso. Durante os últimos dias, Deus mudou Seu nome de novo e está usando o nome de Deus Todo-Poderoso para realizar a obra de julgamento dos últimos dias. Toda a era está sendo levada a cabo pelo caráter de justiça, majestade e ira de Deus. O caráter Dele se revela à humanidade à medida que Sua obra se desenvolve e Deus não deseja que a humanidade O restrinja a qualquer estágio de Sua obra. Deus não deseja especialmente que a humanidade use qualquer nome para traçar limites para o que Ele tem e é. Deus usa nomes distintos para diferenciar entre diversas eras e para realizar a obra necessária a cada uma, para que as pessoas possam reconhecer todo o caráter de Deus e tudo o que Ele tem e é. Essa é a sabedoria e a onipotência de Deus. Quando finalmente chegar o dia em que a obra de Deus terminar, não haverá necessidade de chamá-Lo por nenhum nome. Deus é o Criador de todas as coisas. Deus é Deus, e a autoridade e grandeza Dele não podem ser abrangidas em qualquer nome. Eu sinto que as palavras de Deus Todo-Poderoso são cheias de autoridade e que somente Ele é capaz de falar dessa maneira e revelar o mistério do Seu nome. Só Deus é capaz de dizer: “Eu sou o Deus de todas as criaturas no céu, na terra e no mar”. Hoje, acredito que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus que retornou e que as palavras Dele são as declarações de Deus e a Sua voz.

Esse foi o momento em que percebi por que meu espírito nunca ganhou o sustento de que necessitava naquelas reuniões da igreja e por que usar o nome do Senhor Jesus em oração não poderia obter a liderança do Senhor: o motivo é que a obra feita pelo nome de Jesus já terminou. Deus está fazendo uma nova obra e, por isso, tem um novo nome. Assim, qualquer um que invocar o nome do Senhor Jesus em oração não receberá a obra do Espírito Santo. Isso foi como uma epifania para mim. Agora, eu entendia por que a irmã Wang e as outras duas comungavam de forma tão nova e viva, por que entendiam muito sobre fé em Deus e por que tinham muita confiança e força: tudo porque aceitaram a nova obra de Deus, ganharam as novas palavras de Deus e estavam seguindo os passos do Cordeiro. De forma diferente, todas aquelas pessoas que não aceitam a obra de Deus dos últimos dias e não leem as palavras que estão sendo expressas por Ele nunca seguirão os passos do Cordeiro, mas viverão a vida na escuridão, sem uma senda a seguir. Somente Deus é o sustento para a vida humana. Se a humanidade se afastar da liderança de Deus, nós murcharemos e morreremos. Eu não pude deixar de louvar e agradecer a Deus em silêncio. Agradeci a Deus Todo-Poderoso por me levar a dar as boas-vindas ao retorno do Senhor, fazendo-me ter certeza da obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, permitindo que eu seguisse os passos do Cordeiro e ganhasse o alimento e o sustento das palavras de Deus. Toda a glória seja dada a Deus Todo-Poderoso! Amém!

 

Anterior:Como quase me tornei uma virgem imprudente

Próximo:Um tipo diferente de amor

Coisas que talvez lhe interessem