2. Quais são as diferenças entre mudança de caráter e bom comportamento?

Palavras de Deus relevantes:

Transformação no caráter se refere sobretudo a uma transformação da natureza da pessoa. As coisas da natureza de uma pessoa não podem ser vistas a partir de comportamentos externos; estão diretamente relacionadas ao valor e ao significado de sua existência. Isto é, envolvem diretamente a perspectiva de vida da pessoa e seus valores, as coisas nas profundezas de sua alma e a sua essência. Se uma pessoa não puder aceitar a verdade, não passará por nenhuma transformação nesses aspectos. Só ao experimentar a obra de Deus, entrar plenamente na verdade, mudar os valores e as perspectivas sobre a existência e a vida, alinhar os pontos de vista com os de Deus e se tornar capaz de submeter-se completamente e ser devotada a Deus, é que se pode dizer que o caráter da pessoa se transformou. Pode parecer que você faz algum esforço, você pode ser resiliente diante da adversidade, pode ser capaz de executar os arranjos da obra do alto ou pode ser capaz de ir aonde o mandarem ir, mas essas são apenas mudanças menores de comportamento e não são suficientes para contar como a transformação de seu caráter. Você pode ser capaz de percorrer muitas sendas, sofrer muitas dificuldades e suportar grande humilhação; você pode se sentir muito próximo de Deus e o Espírito Santo pode fazer alguma obra em você. Entretanto, quando Deus lhe pedir para fazer algo que não se conforma às suas noções, você ainda poderia não se submeter; antes, você poderia procurar desculpas e se rebelar contra Deus e resistir a Ele, chegando até a ponto de criticar Deus e protestar contra Ele. Isso seria um problema sério! Mostraria que você ainda tem uma natureza que resiste a Deus e que não passou por qualquer transformação que seja.

Extraído de ‘O que deveria ser conhecido sobre transformar o caráter da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo”

O que vocês sabem sobre mudanças no caráter? As essências de mudanças no caráter e mudanças no comportamento são diferentes e as mudanças na prática também são diferentes — elas são todas diferentes em essência. A maioria das pessoas põe ênfase especial no comportamento em sua crença em Deus, e como resultado disso ocorrem certas mudanças em seu comportamento. Depois que começam a acreditar em Deus, elas param de criar contenda com os outros, de brigar com as pessoas e insultá-las, de fumar e beber, e não mais roubam propriedade pública — nem que seja só um prego ou uma tábua de madeira — e chegam ao ponto de não ir aos tribunais quando sofrem perdas ou são injustiçadas. Sem dúvida, algumas mudanças ocorrem mesmo em seu comportamento. Porque, quando passam a acreditar em Deus, aceitar o verdadeiro caminho faz com que as pessoas se sintam especialmente bem, e por terem também provado a graça da obra do Espírito Santo, elas ficam especialmente fervorosas, não havendo nada que não possam abandonar ou sofrer. No entanto, depois de acreditar por três, cinco, dez ou trinta anos, porque não houve mudança em seu caráter de vida, elas acabam retornando à velha maneira de ser; sua arrogância e soberba ficam mais evidentes, elas começam a competir por poder e lucro, cobiçam o dinheiro da igreja, fazem tudo o que serve aos seus interesses, anseiam por status e prazeres, e tornam-se parasitas da casa de Deus. A maioria dos líderes, em particular, é abandonada pelas pessoas. E o que esses fatos provam? Meras mudanças comportamentais são insustentáveis; se não houver alteração no caráter de vida das pessoas, mais cedo ou mais tarde seus lados viciosos se manifestarão. Já que a origem das mudanças em seu comportamento é fervor, associado a alguma obra do Espírito Santo nesse momento, é extremamente fácil para elas ficar fervorosas ou exibir bondade temporária. Como dizem os descrentes, “Fazer uma boa ação é fácil; o difícil é fazer uma vida inteira de boas ações”. As pessoas são incapazes de fazer boas ações durante toda a sua vida. Seu comportamento é ditado pela vida; seja qual for a sua vida, tal é o seu comportamento, e somente aquilo que é naturalmente revelado representa a vida, como também a natureza de alguém. Coisas que são falsas não podem durar. Quando Deus opera para salvar o homem, não é para adornar o homem com bom comportamento — o propósito da obra de Deus é transformar o caráter das pessoas, fazê-las renascer como novas pessoas. Assim, o julgamento, o castigo, as provações e o refinamento do homem por Deus servem todos para mudar seu caráter, para que ele possa alcançar submissão e devoção absolutas a Deus e vir a adorá-Lo normalmente. Esse é o objetivo da obra de Deus. Comportar-se bem não é o mesmo que se submeter a Deus, muito menos é igual a ser compatível com Cristo. Mudanças de comportamento são baseadas em doutrina e nascem de fervor; elas não se baseiam no verdadeiro conhecimento de Deus ou na verdade, muito menos se apoiam na orientação do Espírito Santo. Embora haja momentos em que parte do que as pessoas fazem é dirigido pelo Espírito Santo, isso não é uma expressão da vida, muito menos é o mesmo que conhecer Deus; não importa quanto seja bom o comportamento de uma pessoa, isso não prova que ela se submeteu a Deus ou que põe a verdade em prática. Mudanças comportamentais são uma ilusão momentânea; são apenas manifestações de zelo. Não podem ser consideradas expressões da vida.

Extraído de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

As pessoas podem se comportar bem, mas isso não significa necessariamente que elas possuem a verdade. Ter fervor pode apenas fazê-las respeitar a doutrina e seguir regulamentos; as pessoas sem a verdade não têm como resolver problemas essenciais, e a doutrina não pode substituir a verdade. As pessoas que experimentaram uma mudança em seu caráter são diferentes; elas entenderam a verdade, têm discernimento em todas as questões, sabem como agir de acordo com a vontade de Deus, como agir de acordo com as verdades-princípio, como agir para satisfazer a Deus, e entendem a natureza da corrupção que elas revelam. Quando suas ideias e noções são reveladas, elas são capazes de discernir e abandonar a carne. É assim que se expressa uma mudança no caráter. A principal coisa sobre as pessoas que passaram por uma mudança no caráter é que elas vieram a entender claramente a verdade e, quando realizam as coisas, elas põem a verdade em prática com relativa precisão e não exibem corrupção com tanta frequência. Geralmente, pessoas cujo caráter se transformou parecem ser especialmente razoáveis e perspicazes e, por causa de sua compreensão da verdade, não exibem tanta justiça própria e arrogância. Elas conseguem ver claramente e discernir muito da corrupção que é nelas revelada, de modo que não dão origem à arrogância. Elas são capazes de ter uma compreensão ponderada sobre qual é o lugar do homem, como se comportar de maneira razoável, como ser obediente, o que dizer e o que não dizer, e o que dizer e o que fazer a quais pessoas. É por isso que se diz que pessoas como essas são relativamente sensatas. Aquelas que tiveram uma mudança no caráter realmente vivem a semelhança humana e possuem a verdade. Elas sempre são capazes de falar e ver as coisas de acordo com a verdade, e têm princípios em tudo que fazem; não estão sujeitas à influência de qualquer pessoa, assunto ou coisa, e todas têm as próprias visões e conseguem conservar as verdades-princípio. O caráter delas é relativamente estável, elas não são inseguras e, não importa qual sua situação, compreendem como fazer seu dever adequadamente e como fazer as coisas para satisfazer a Deus. Aquelas cujo caráter mudou não estão focadas no que fazer para parecer bem em um nível superficial; elas têm clareza interna sobre o que fazer para satisfazer a Deus. Portanto, externamente, elas podem não parecer tão entusiasmadas ou como se tivessem feito algo grandioso, mas tudo o que fazem é significativo, é valioso e tem resultados práticos. Aqueles cujo caráter mudou certamente possuem muita verdade, e isso pode ser confirmado por suas perspectivas sobre as coisas e seus princípios em suas ações. Aqueles que não possuem a verdade certamente não alcançaram nenhuma mudança de caráter. Uma mudança de caráter não significa ter uma humanidade madura e experiente; refere-se principalmente a instâncias nas quais alguns dos venenos satânicos dentro da natureza de uma pessoa mudam como resultado de obter o conhecimento de Deus e um entendimento da verdade. Ou seja, esses venenos satânicos são limpos, e a verdade expressa por Deus cria raízes dentro dessas pessoas, torna-se a vida delas e se torna o fundamento de sua existência. Somente então elas se tornam novas pessoas e, como tais, presenciam uma transformação de caráter. Uma transformação de caráter não significa que o caráter externo das pessoas seja mais manso que antes, que elas costumavam ser arrogantes e agora falam com sensatez, ou que costumavam não ouvir ninguém e agora conseguem ouvir os outros; não se pode dizer que tais mudanças externas sejam mudanças no caráter. É claro que mudanças no caráter incluem esses estados e expressões, mas a coisa mais importante é que sua vida interior mudou. A verdade expressa por Deus se torna a própria vida delas, os venenos satânicos foram eliminados, suas perspectivas mudaram completamente — e nenhuma delas está de acordo com a do mundo. Elas veem claramente os esquemas e venenos do grande dragão vermelho; elas compreenderam a verdadeira essência da vida. Assim, os valores de sua vida mudaram — essa é a mudança mais fundamental e a essência de uma mudança de caráter.

Extraído de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Alcançar transformação no caráter de uma pessoa não é um assunto simples; não significa ter apenas algumas mudanças no comportamento, ganhar algum conhecimento da verdade, conseguir falar um pouco sobre sua experiência com cada aspecto da verdade, nem mudar um pouco ou se tornar um pouco obediente após ser disciplinado. Essas coisas não constituem transformação no caráter de vida de uma pessoa. Por que digo isso? Embora você possa ser capaz de deixar de lado algumas poucas coisas, o que você está praticando ainda não atingiu o nível de realmente pôr a verdade em prática. Ou, talvez, por estar num ambiente apropriado por um tempo e numa situação favorável, ou pelo fato de suas circunstâncias atuais terem compelido você, você se comporta desse modo. Além disso, quando seu estado de espírito é estável e o Espírito Santo está operando, você é capaz de praticar. Se você estivesse passando por provações e sofrendo ao atravessá-las como Jó ou como Pedro, a quem Deus pediu que morresse, você seria capaz de dizer: “Mesmo se eu morresse depois de chegar a Te conhecer, tudo estaria bem”? A transformação no caráter não acontece da noite para o dia e, uma vez que você entenda a verdade, você não pode necessariamente colocá-la em prática dentro de cada ambiente. Isso envolve a natureza do homem. Às vezes, pode parecer como se você estivesse pondo a verdade em prática, mas, na realidade, a natureza de suas ações não mostra que você o está fazendo. Muitas pessoas têm certos comportamentos externos, tais como ser capaz de abandonar sua família e sua carreira e cumprir seus deveres, acreditando assim que estão praticando a verdade. Porém, Deus não reconhece que elas estão praticando a verdade. Se tudo que você faz tiver motivos pessoais por trás disso e estiver adulterado, então você não está praticando a verdade; está simplesmente exibindo uma conduta superficial. Falando estritamente, sua conduta provavelmente será condenada por Deus; não será louvada nem lembrada por Ele. Dissecando isso ainda mais, você está praticando o mal e sua conduta está em oposição a Deus. Externamente, você não está interrompendo nem perturbando nada e você não causou nenhum dano real nem violou nenhuma verdade. Parece que é lógico e razoável, mas a essência de suas ações pertence a fazer o mal e resistir a Deus. Por isso, você deveria determinar se houve uma mudança em seu caráter e se você está pondo a verdade em prática ao olhar os motivos por trás de suas ações à luz das palavras de Deus. Isso não depende de uma opinião humana se suas ações se conformam à imaginação e intenções humanas ou se são conforme seu gosto; tais coisas não são importantes. Antes, isso depende de Deus dizer se você está se conformando à Sua vontade; se suas ações têm verdade-realidade e se elas satisfazem Suas exigências e Seus padrões. Somente por se comparar com as exigências de Deus é acurado. Transformação no caráter e pôr a verdade em prática não são tão simples e fáceis como as pessoas imaginam. Vocês entendem isso agora? Vocês têm alguma experiência com isso? Quando se trata da essência de um problema, vocês podem não entender isso; sua entrada tem sido demasiadamente superficial. Vocês correm por aí o dia inteiro, da aurora até o crepúsculo, levantando-se cedo e indo para a cama tarde, ainda assim vocês não alcançaram transformação em seu caráter de vida e não conseguem compreender o que tal transformação envolve. Isso significa que sua entrada é rasa demais, não é? Não importa quanto tempo tenham acreditado em Deus, vocês podem não sentir a essência nem as coisas profundas que tenham a ver com alcançar transformação no caráter.

Extraído de ‘O que deveria ser conhecido sobre transformar o caráter da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo”

Em que estágio vocês estão agora? Ou seja, você já descobriu que seu ponto de vista está errado, mas ainda consegue confiar em seu ponto de vista para viver, e você o usa para avaliar a obra de Deus e julgar e refletir sobre tudo que Deus faz, sobre Sua soberania e as circunstâncias que Ele estabelece para você, e consegue tratar a soberania de Deus por meio de seu ponto de vista e seus métodos. Isso é praticar a verdade? Isso é um resultado alcançado após uma mudança no caráter? Não, não é. Agora, você meramente reconhece que as palavras de Deus são boas e certas e, analisando seu comportamento externo, não faz coisas que contrariam a verdade, muito menos faz coisas que julgam a obra de Deus. Você é também capaz de se submeter aos arranjos de trabalho da casa de Deus. Essa pessoa deixou de ser um incrédulo e passou a ser um seguidor de Deus com a decência de um santo. Você deixa de ser alguém que vive segundo as filosofias de vida de Satanás e segundo os conceitos, princípios e o conhecimento de Satanás e passa a ser alguém que, tendo ouvido as palavras de Deus, acha que elas são boas, certas, e que são a verdade, que deseja viver segundo as palavras de Deus e que veio a aceitar as palavras de Deus e a tomá-las como sua vida. É esse tipo de processo — nada mais. Portanto, durante esse período, seu comportamento e seus modos de fazer as coisas certamente passarão por algumas mudanças e certamente serão totalmente diferentes de antes. No entanto, não importa de que maneira diferem e não importa quantas coisas são diferentes, o que se manifesta em você são, para Deus, nada mais do que mudanças em seu comportamento e métodos, mudanças em seus pensamentos e pontos de vista, mudanças em seus desejos mais íntimos e mudanças em suas aspirações — nada além disso. Talvez agora você seja capaz de, com algum esforço, oferecer sua vida a Deus, mas não consegue alcançar obediência absoluta a Deus numa questão que considera especialmente repugnante. Essa é a diferença entre uma mudança em comportamento e uma mudança em caráter. Talvez seu coração bondoso o capacite a se comportar de tal modo a ponto de entregar sua vida por Deus de imediato, dizendo: “Estou pronto e disposto a desistir do sangue da minha vida. Nesta vida, não tenho queixas nem arrependimentos! Desisti de casamento, de perspectivas mundanas, de toda glória e riqueza, e aceito as circunstâncias que Deus estabeleceu. Posso resistir e suportar toda zombaria e calúnia do mundo”. Mas tudo que Deus precisa fazer é estabelecer circunstâncias que não condizem às suas noções e então você grita com Ele e resiste a Ele. Essa é a diferença entre uma mudança em comportamento e uma mudança em caráter. Também é possível que você consiga entregar sua vida por Deus e desistir das pessoas e coisas que mais ama ou da coisa da qual seu coração menos suporta se separar — mas quando é chamado para dizer uma palavra honesta a Deus e ser uma pessoa honesta, você acha bem difícil e não consegue. Essa é a diferença entre uma mudança em comportamento e uma mudança em caráter. Ou talvez você não deseje conforto carnal nesta vida, nem o consumo de comida e roupas finas, e trabalhe todos os dias até a exaustão. Você consegue resistir a todo tipo de dor causada pela carne, mas, quando os arranjos de Deus não estão de acordo com suas noções, você não consegue entender, e, quando não consegue entender, queixas contra Deus surgem em você, equívocos sobre Ele surgem em você, e, num momento como esse, o relacionamento entre você e Deus ficará cada vez mais tenso, até você desejar evitá-Lo e traí-Lo e não ser mais capaz de se submeter completamente. Essa é a diferença entre uma mudança em comportamento e uma mudança em caráter. Você é capaz de desistir de sua vida por Deus, então por que não consegue dizer uma palavra honesta a Ele? Você consegue pôr de lado tudo que há no exterior, então por que não consegue ser singularmente leal à comissão e à tarefa que Deus lhe deu? Você consegue abrir mão de sua vida por Deus, então por que, quando revela seus sentimentos e defende suas relações com os outros, você não consegue tomar a atitude de defender a obra de Deus e Seus interesses? Você fez o juramento, diante de Deus, de se despender por Ele durante toda a sua vida e aceitar qualquer sofrimento que cruzar seu caminho, então por que o caso de ser dispensado de seu dever faz você se afundar tanto em negatividade que você não consegue sair dela por muitos dias? Seu coração está cheio de queixa, resistência e equívoco — é tudo negativo. O que está acontecendo? Essa é a diferença entre uma mudança em comportamento e uma mudança em caráter.

Extraído de ‘Somente ao resolver suas noções alguém pode entrar na trilha certa da crença em Deus (3)’ em “Registros das falas de Cristo”

Em que bases as pessoas viviam antes? Todas as pessoas vivem para si mesmas. Cada um por si e o demônio pega quem fica por último — esse é o resumo da natureza do homem. As pessoas creem em Deus por causa de si mesmas; abandonam coisas, despendem-se para Deus e são fiéis a Deus, mas ainda assim fazem todas essas coisas para si mesmas. Em suma, tudo é feito para o propósito de ganhar bênçãos para si mesmas. Na sociedade, tudo é feito pelo benefício pessoal; crer em Deus é algo que se faz apenas para ganhar bênçãos. É para ganhar bênçãos que as pessoas se desfazem de tudo e conseguem suportar muito sofrimento: tudo isso é evidência empírica da natureza corrupta do homem. No entanto, aqueles que passaram por uma mudança de caráter são diferentes; eles creem que o modo de viver significativamente, de cumprir as obrigações de uma pessoa para ser digna de ser chamada de humana, o modo de adorar a Deus e de obedecer a Deus e satisfazê-Lo — tudo isso — é o fundamento do que significa ser humano, e é uma obrigação ordenada pelo Céu e reconhecida pela terra. Do contrário, eles não seriam dignos de ser chamados de humanos; a vida deles seria vazia e sem sentido. Eles acham que as pessoas deveriam viver para satisfazer a Deus, cumprir bem seu dever e viver uma vida de significado, de modo que, mesmo quando for sua vez de morrer, eles se sentirão contentes e não terão o menor arrependimento, e não terão vivido em vão. Ao comparar essas duas situações diferentes, vemos que a última é a de uma pessoa cujo caráter mudou e, porque seu caráter de vida mudou, sua perspectiva de vida certamente mudou também. Com valores diferentes, ela nunca mais viverá para si mesma, e nunca mais acreditará em Deus com o propósito de ganhar bênçãos. Essa pessoa poderá dizer: “Se eu morrer após ter vindo a conhecer a Deus, então o que é a morte para mim? Se eu puder conhecer a Deus, poderei viver uma vida significativa, e então não terei vivido em vão, e não morrerei com arrependimentos; não terei queixas”. Essa não é uma visão modificada da vida? Portanto, a principal causa de uma mudança no caráter de vida de uma pessoa é ter a verdade no interior e ter conhecimento de Deus; a perspectiva de vida da pessoa é alterada e os valores dela são diferentes de antes. A mudança começa de dentro e da vida da pessoa; certamente não é apenas uma mudança externa. Alguns novos crentes, depois de terem começado a crer em Deus, deixam o mundo secular para trás. Mais tarde, quando encontram incrédulos, esses crentes têm pouco a dizer e raramente contatam seus parentes e amigos incrédulos. Os incrédulos dizem: “Essa pessoa mudou”. O crente então pensa: “Meu caráter realmente se transformou; esses incrédulos estão dizendo que eu mudei”. O caráter de tal pessoa realmente se transformou? O que ele manifesta são apenas mudanças externas. Não houve mudança real em sua vida, e sua natureza satânica permanece enraizada dentro dela, completamente intocada. Às vezes, as pessoas são tomadas pelo fervor por causa da obra do Espírito Santo; algumas mudanças externas podem ocorrer e elas podem praticar algumas boas ações. No entanto, isso não é igual a alcançar uma mudança de caráter. Se você não possui a verdade e sua visão das coisas não mudou, nem mesmo ao ponto de ser diferente da dos incrédulos, e se seus valores e perspectivas sobre a vida também não se alteraram e você nem mesmo tem reverência por Deus — que é o mínimo que você deve possuir — então você não está nem perto de ter alcançado uma mudança em seu caráter.

Extraído de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Anterior: 1. O que é mudança em seu caráter? Como ela se manifesta?

Próximo: 3. Como se deve buscar a verdade a fim de alcançar mudança em seu caráter e aperfeiçoamento?

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

2. Se Cristo é o Filho de Deus ou o Próprio Deus

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade.

2. O mundo religioso acredita que toda a Escritura foi inspirada por Deus e é inteiramente Suas palavras; por que esse ponto de vista é errado

Nem tudo contido na Bíblia é um registro das palavras pronunciadas pessoalmente por Deus. A Bíblia simplesmente documenta os dois estágios prévios da obra de Deus, dos quais uma parte é um registro das previsões dos profetas, enquanto a outra as experiências e conhecimentos escritos por pessoas empregadas por Deus ao longo das eras. Experiências humanas estão contaminadas com opiniões e conhecimentos humanos, o que é inevitável. Em muitos dos livros da Bíblia, há conceitos e preconceitos humanos e interpretações humanas absurdas. É claro que a maioria das palavras resulta da iluminação e esclarecimento do Espírito Santo, e elas são interpretações corretas, mas ainda assim, não se pode dizer que são expressões inteiramente corretas da verdade. Suas visões sobre certas coisas não passam de conhecimento pela experiência pessoal ou da iluminação pelo Espírito Santo. As previsões dos profetas foram instruídas pessoalmente por Deus: as profecias de Isaías, Daniel, Esdras, Jeremias e Ezequiel vieram da instrução direta do Espírito Santo; essas pessoas eram videntes, haviam recebido o Espírito de profecia, todas eram profetas do Antigo Testamento. Durante a Era da Lei, essas pessoas que haviam recebido as inspirações de Jeová fizeram muitas profecias instruídas diretamente por Jeová.

2. Por que se diz que “o Deus trino” é a expressão mais absurda

Se algum entre vocês disser que a Trindade realmente existe, então explique exatamente o que é este único Deus em três pessoas. O que é o Pai Santo? O que é o Filho? O que é o Espírito Santo? Jeová é o Pai Santo? Jesus é o Filho? E o Espírito Santo? Não é o Pai um Espírito? Não é a substância do Filho também um Espírito? A obra de Jesus não foi a obra do Espírito Santo? Não foi a obra de Jeová realizada na época por um Espírito igual ao de Jesus? Quantos Espíritos Deus pode ter? De acordo com a sua explicação, as três pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo são uma; se assim for, existem três Espíritos, mas ter três Espíritos significa que há três Deuses. Isso significa que não há um único Deus verdadeiro; como esse tipo de Deus ainda pode ter a substância inerente de Deus? Se você aceita que há somente um Deus, então como Ele pode ter um filho e ser pai? Tudo isso não são simplesmente suas noções?

5. Como Deus tem guiado e provido para a humanidade até o dia de hoje

Deus é Aquele que governa sobre todas as coisas e quem administra todas as coisas. Ele criou tudo o que existe, administra tudo o que existe e também governa tudo o que existe e supre tudo o que existe. Esse é o status de Deus e a identidade de Deus. Para todas as coisas e para tudo o que existe, a verdadeira identidade de Deus é a de Criador e Governante de todas as coisas. Essa é a identidade que Deus possui e Ele é único entre todas as coisas.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro