3. Quais são as diferenças entre crença em Deus e crença em religião

Palavras de Deus relevantes:

O que é crença em religião? O que é crença em Deus? Existe uma diferença? Quais são as características comuns e proeminentes da religião? Como as pessoas geralmente definem crença em religião? Crença em religião consiste em mudanças de comportamento, mudanças em comportamentos tais como brigar, xingar, prevaricar, explorar as pessoas, levar vantagem sobre os outros e cometer pequenos roubos e furtos. Refere-se principalmente a mudanças de comportamento. Quando alguém crê em religião, tenta se comportar bem, ser uma boa pessoa; esses são comportamentos externos. E a religião como muleta psicológica? E o reino da mente? Com fé, tem-se realmente uma muleta, psicologicamente. Crença em religião, portanto, pode ser definida assim: ser bem-comportado e ter uma muleta psicológica — nada mais. Quando se trata de detalhes como se Aquele em quem creem existe de fato ou não, o que exatamente Ele é e o que Ele pede delas, as pessoas usam inferência e a imaginação delas. Crença com uma base assim chama-se crença numa religião. Crença numa religião significa principalmente buscar uma mudança de comportamento e ter uma muleta psicológica, mas implica alguma mudança na senda da vida de uma pessoa? Não há a menor mudança na senda, no propósito ou na direção da vida de uma pessoa, nem na base sobre a qual ela vive. E o que é crer em Deus? O que Deus exige e define como crer Nele? (Crer em Sua soberania.) É crer que Ele existe e crer em Sua soberania — isso é o mais importante. O que Deus exige das pessoas em sua crença Nele? A que ela está relacionada? (Ser pessoas honestas, ter humanidade normal, buscar a verdade, buscar transformação de caráter e buscar conhecer a Deus.) E alguma coisa é exigida das pessoas com relação a suas palavras e seu comportamento? Externamente, é exigido que você tenha decência santa básica e viva a humanidade normal. E qual é a definição de crença em Deus? Crença em Deus é obediência às palavras de Deus; é existir, viver e cumprir seu dever de acordo com as palavras ditas por Deus e se envolver em todas as atividades da humanidade normal. O que isso implica é que crer em Deus é seguir a Deus, fazer conforme Deus quer que você faça e viver conforme Deus quer que você viva. Crer em Deus é seguir o Seu caminho. Agindo assim, o propósito e a direção da vida das pessoas não é completamente diferente daqueles das pessoas que creem em religião? O que crer em Deus envolve? As pessoas deveriam viver a humanidade normal; elas deveriam obedecer às palavras de Deus, não importa o que Deus peça que elas façam; e deveriam praticar de acordo com as palavras de Deus. Essas coisas todas envolvem as palavras de Deus. Quais são as palavras de Deus? (A verdade.) Crer em Deus envolve a verdade; é a fonte e a senda correta da vida; envolve a senda que as pessoas trilham na vida. A crença em religião envolve alguma dessas coisas? Não envolve. Para crer em religião, basta simplesmente se comportar bem externamente, conter-se, aderir a regras e ter uma muleta psicológica. Se alguém se comporta bem e tem apoio e muleta psíquicos, sua senda na vida muda? (Não.) Algumas pessoas dizem: “Crer em religião e crer em Deus são a mesma coisa”. Então, Elas seguem a Deus? Crença em religião é meramente a busca de mudança comportamental, nada mais do que a busca de uma muleta psicológica, e não envolve quaisquer verdades. Como resultado, não pode haver mudança no caráter dessas pessoas. Elas são incapazes de colocar a verdade em prática, ou de qualquer mudança substancial, e elas não têm o verdadeiro conhecimento de Deus. Quando alguém crê em religião, por melhor que seja o seu comportamento, por mais robusta que seja sua muleta psicológica, essa pessoa segue a Deus? (Não.) Então a quem seguem? Seguem a Satanás. E qual é a base do que elas vivem, buscam, desejam, praticam e confiam em sua vida? Essa base é inteiramente o caráter corrupto de Satanás e sua essência. A forma como se conduzem e tratam os outros está em conformidade com a lógica e a filosofia de vida de Satanás; tudo o que dizem é mentira, desprovido da menor verdade; elas não alcançaram a menor mudança em seu caráter satânico e o que seguem continua sendo Satanás. Sua visão de vida, valores, formas de lidar com as coisas e os princípios de suas ações são todos expressões de sua natureza satânica; houve apenas uma pequena mudança em seu comportamento externo; não houve a menor alteração na sua senda de vida, na forma como vivem ou em sua perspectiva. Se você realmente crê em Deus, que mudanças ocorreram de fato em você após ter crido em Deus por vários anos? O alicerce de sua vida passa por uma mudança. Em que base você vive? O que governa aquilo que você faz e diz todos os dias? Em que isso tudo se baseia? (Tudo isso se baseia nas palavras de Deus e na verdade.) Por exemplo, talvez você não fale mais mentiras — qual é a base disso? Por que você não fala mais dessa forma? (Porque Deus não gosta disso.) Existe uma base para você não mais falar ou agir dessa forma; e essa base é a palavra de Deus, o que Deus pede e a verdade. Então, tal pessoa tem a mesma senda de vida? Eis um resumo: o que é crença em religião? E o que é crença em Deus? Quando as pessoas creem em religião, elas seguem Satanás; quando creem em Deus, elas seguem a Deus. Essa é a diferença. Hoje, você cumpre seu dever na casa de Deus; você acredita em religião ou em Deus? Qual é a diferença? Isso depende de quê? Depende da senda que você trilha. Se o que você busca é bom comportamento, uma muleta psicológica, obediência a regras e tramas para benefício pessoal, e se você não busca nem um pouco a verdade, apenas procura ser alguém que parece ser legal, e se não ocorre mudança alguma em sua natureza-essência ou em seu caráter corrupto, você acredita em religião. Aqueles que acreditam em Deus são capazes de aceitar todas as verdades que Deus expressa; são capazes de refletir sobre si mesmos e conhecer a si mesmos de acordo com a verdade e de se arrepender verdadeiramente, e, no fim, eles se tornam capazes de viver segundo as palavras de Deus, obedecer a Deus e adorar a Deus — somente tais pessoas são verdadeiros crentes em Deus.

Extraído de ‘A crença na religião nunca levará à salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Qual é a diferença entre crença em Deus e crença em religião e religiosidade? Todos imaginam que crer em religião se deve ao fato de uma pessoa carecer de sustento, de ter dificuldades em casa. Ou que deseja achar algo em que possa se apoiar para encontrar sustento espiritual. Muitas vezes, a crença em religião nada mais é do que fazer com que as pessoas sejam benevolentes, ajudem as outras, sejam gentis umas com as outras, façam mais boas ações para acumular virtude, não cometam homicídio nem incêndio criminoso, não façam coisas ruins, não batam nas pessoas nem as xinguem, não furtem nem roubem, e não enganem nem ludibriem. Esse é o conceito de “crença em religião” que existe na mente de todos. Quanto do conceito de crença em religião existe hoje no coração de vocês? Vocês sabem dizer se ter esses pensamentos é crença em religião? Existe uma diferença entre o estado de ter fé e o estado de acreditar em religião? Qual é a diferença entre crença em religião e crença em Deus? Quando começou a crer em Deus, talvez você tenha achado que crer em religião e crer em Deus eram a mesma coisa. Mas hoje, após crer em Deus por mais de cinco anos, o que, exatamente, você acha que ter fé realmente é? Existe alguma diferença em relação a crer em religião? Crença em religião significa seguir certos rituais a fim de trazer felicidade e conforto para o espírito. Não está relacionada a perguntas sobre a senda que as pessoas trilham, por que meios as pessoas vivem e como elas vivem sua vida. Isso significa que não há mudança em seu coração, em seu mundo interior; você continua sendo você, e sua natureza e essência permanecem as mesmas. Você não aceitou as verdades que vêm de Deus nem fez delas a sua vida; apenas fez algumas boas ações ou seguiu cerimônias e regras. Você apenas se empenhou em algumas atividades relacionadas à crença na religião – só isso, e mais nada. Ao que, então, a crença em Deus se refere? Ela significa uma mudança em como você vive neste mundo, significa que já houve uma mudança no valor da sua existência e em seus objetivos na vida. Originalmente, você vivia por coisas como honrar seus ancestrais, destacar-se da multidão, ter uma vida boa e buscar fama e fortuna. Hoje, você abandonou essas coisas. Você não segue mais Satanás, deseja abandoná-lo, abandonar essa tendência maligna. Você está seguindo a Deus, o que você aceita é a verdade, e a senda que você trilha é a de buscar a verdade. A direção de sua vida mudou completamente. É abordar a vida de modo diferente, ter um modo de viver diferente, seguir o Criador, aceitar e se submeter ao governo e aos arranjos do Criador, aceitar a salvação do Criador e, no fim, tornar-se um verdadeiro ser criado. Isso não é mudar seu modo de viver? É algo completamente oposto à sua busca, seu modo de viver e as motivações e intenções anteriores, por trás de tudo que você fazia – é algo completamente oposto, não está nem mesmo na mesma categoria.

Extraído de ‘Em que, exatamente, as pessoas têm confiado para viver’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A maneira mais simples de descrever crença em Deus é confiar que existe um Deus e, sobre esse fundamento, segui-Lo, obedecer-Lhe, aceitar Seu domínio, orquestrações e arranjos, atentando para Suas palavras, vivendo de acordo com Suas palavras, fazendo tudo de acordo com Suas palavras, sendo um verdadeiro ser criado e temendo-O e evitando o mal; somente isso é crença verdadeira em Deus. Isso é o que significa seguir a Deus. Você diz que segue a Deus, mas, em seu coração, não aceita as palavras de Deus e não aceita Seu domínio, orquestrações e arranjos. Se você sempre tiver noções do que Deus faz e sempre entender errado o que Ele faz e reclamar disso; se você sempre estiver insatisfeito e sempre medir e abordar o que Ele faz usando suas próprias noções e imaginações; se você sempre tiver seus próprios entendimentos — isso causará problema. Você não está experimentando a obra de Deus, e você não tem como segui-Lo verdadeiramente. Isso não é crença em Deus.

O que, exatamente, é crença em Deus? Crença em religião equivale a crença em Deus? Quando as pessoas creem em religião, elas seguem a Satanás. Somente quando elas creem em Deus é que seguem a Deus, e somente aqueles que seguem Cristo realmente creem em Deus. Alguém que nunca aceite as palavras de Deus como sua vida é uma pessoa que crê em Deus? É inútil, não importa quantos anos ela tenhacrido em Deus. Alguém que sempre se empenha em ritual religioso em sua fé, mas não pratica a verdade não é um crente em Deus, e Deus não o reconhece. Com base em que Deus reconhece você? Seu reconhecimento é baseado em se você age ou não segundo Suas exigências em todos os assuntos. Seu reconhecimento é medido de acordo com as palavras Dele, não baseado em quantas mudanças há em seu comportamento exterior ou em quanto tempo você passa correndo para lá e para cá por Ele, mas na senda que você trilha e se você busca ou não a verdade. Há muitos que dizem crer em Deus e falam palavras de louvor a Deus — mas, em seu coração, eles não amam as palavras ditas por Deus nem estão interessados na verdade. Em seu coração, eles creem sempre que somente se viverem pelas filosofias de Satanás e várias doutrinas do mundo exterior serão normais e capazes de se proteger, que somente viver assim trará valor à sua vida neste mundo. Essas são pessoas que creem em Deus e O seguem? Todos os ditos famoso de personalidades grandes e renomadas soam especialmente filosóficos e são especialmente capazes de enganar as pessoas. Se você os trata como a verdade e os segue como máximas, mas quando se trata das palavras de Deus, das palavras mais comuns de Deus, que exigem que você seja uma pessoa honesta, que você permaneça escrupulosamente em seu próprio posto atribuído e cumprindo o dever de um ser criado e que permaneça firme — você é incapaz de praticá-las e você não as trata como a verdade, então você não é um seguidor de Deus. Você pode dizer que tem praticado Suas palavras, mas e se Deus exigir de você a verdade e perguntar: “O que você tem praticado? Quem falou aquelas palavras que você pratica? Qual é a base dos princípios aos quais você adere?” Se essa base não se constitui das palavras de Deus, então são as palavras de Satanás; o que você vive é as palavras de Satanás, porém você ainda diz que pratica a verdade e que satisfaz a Deus, isso não é blasfêmia contra Ele? Deus diz que as pessoas devem ser honestas, porém, há aquelas que não ponderam o que inclui ser honesto, como devem praticar honestidade, ou quais das coisas que vivem e revelam não são honestas e quais são. Elas não contemplam a essência da verdade nas palavras de Deus, mas encontram um livro de descrentes e, ao lê-lo, dizem: “Estas são palavras boas — melhores até do que as de Deus. ‘Pessoas honestas sempre prevalecem’ — isso não é o mesmo que Deus disse? Isso é a verdade também!” Então, elas seguem essas palavras. O que elas vivem quando seguem essas palavras? Elas são capazes de viver a verdade-realidade? Há muitas dessas pessoas? Elas ganham um pouco de conhecimento, leem alguns livros e ganham um pouquinho de insight; elas ouvem algum adágio famoso ou ditado popular e os tratam como a verdade. Elas agem de acordo com essas palavras e as aplicam a seus deveres e a sua vida de crença em Deus e até pensam que isso O satisfaz. Isso não é truque? Isso não é trapaça? É blasfêmia! Há muito disso nas pessoas. Elas seguem doutrinas populares que soam agradáveis e parecem corretas como se fossem a verdade. Elas colocam as palavras de Deus de lado e não prestam atenção a elas, e, não importa quantas vezes as leiam, elas não as levam a sério nem as tratam como a verdade. Uma pessoa que aja assim é alguém que crê em Deus? Ela segue a Deus? Tal pessoa crê em religião; ela segue a Satanás! Em seu coração, ela pensa que há filosofia nas palavras ditas por Satanás, que essas palavras têm significado profundo, que elas têm autoridade, são dizeres sábios e, não importa o que mais possa abandonar, ela nunca poderia pôr tais palavras de lado. Fazê-lo, para ela, seria como perder a vida ou como se lhe arrancassem o coração. Que tipo de pessoa é essa? Essa é uma pessoa que segue a Satanás.

Extraído de ‘A crença na religião nunca levará à salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Se alguém crê em Deus, mas não acata Suas palavras, não aceita a verdade nem se submete aos Seus arranjos e orquestrações; se exibe apenas determinados comportamentos bons, mas é incapaz de abandonar a carne e não renuncia a nada de seu orgulho ou interesses; se, apesar de todas as aparências, ele cumprir seu dever, ele ainda vive segundo seus caracteres satânicos e não desistiu nem um pouco das filosofias e dos modos de existência de Satanás e não muda — como, então, ele pode possivelmente crer em Deus? Isso é crença na religião. Tais pessoas renunciam a coisas e se despendem superficialmente, mas a senda que trilham e a fonte e o ímpeto de tudo que fazem não se baseiam nas palavras de Deus nem na verdade; em vez disso, elas continuam a agir de acordo com suas próprias imaginações, desejos e suposições subjetivas, e as filosofias e os caracteres de Satanás continuam a ser a base de sua existência e ações. Em questões cuja verdade não entendem, elas não a buscam; em questões cuja verdade entendem, elas não a praticam, não exaltam Deus como grandioso nem valorizam a verdade. Embora sejam nominalmente seguidoras de Deus, isso ocorre apenas na palavra; a substância de suas ações é nada além da expressão de seus caracteres corruptos. Não há sinal de que seu motivo e sua intenção sejam praticar a verdade e agir de acordo com as palavras de Deus. Pessoas que consideram seus próprios interesses antes de qualquer outra coisa, que cumprem primeiro seus próprios desejos e intenções — essas são pessoas que seguem a Deus? (Não.) E pessoas que não seguem a Deus podem causar uma mudança em seu caráter? (Não.) E se elas não mudam seu caráter, elas não são patéticas? […] Quando elas não têm problemas, quando tudo está indo bem, a maioria das pessoas sente que Deus é poderoso, justo e amável. Quando Deus as testa, lida com elas, castiga e disciplina, quando Ele pede a elas que ponham de lado seus próprios interesses, que deem as costas para a carne e pratiquem a verdade, quando Deus opera nelas e orquestra e reina sobre o destino e a vida delas, elas se tornam rebeldes e criam afastamento entre si mesmas e Deus; criam conflito e um abismo entre elas e Deus. Em tais momentos, no coração delas, Deus não é nem um pouco amável; Ele de forma alguma é poderoso, pois o que Ele faz não cumpre os desejos delas. Deus as entristece; Ele as chateia; Ele lhes traz dor e sofrimento; Ele faz com que se sintam perturbadas. Elas, portanto, de modo algum se submetem a Deus, rebelando-se, em vez disso, contra Ele e O evitando. Elas estão praticando a verdade ao fazer isso? Elas estão seguindo o caminho de Deus? Elas seguem a Deus? Não. Então, não importa quão numerosas sejam suas noções e imaginações sobre a obra de Deus, e não importa como você agiu anteriormente de acordo com sua própria vontade e se rebelou contra Deus, se você realmente buscar a verdade e aceitar o julgamento e o castigo das palavras de Deus, e aceitar ser podado e tratado pelas palavras de Deus; se, em tudo o que Ele orquestra, você é capaz de seguir o caminho de Deus, de obedecer às palavras de Deus, de buscar a Sua vontade, de colocar em prática Suas palavras e Sua vontade, se for capaz de buscar se submeter e conseguir pôr de lado toda a sua própria vontade, desejos, considerações, motivações e antagonismo a Deus — só então você estará seguindo a Deus! Você diz que segue a Deus, mas tudo o que faz é de acordo com sua própria vontade. Em tudo o que faz, você tem seus próprios objetivos, seus próprios planos; você não deixa nas mãos de Deus. Deus ainda é seu Deus, então? Se Deus não é seu Deus, então quando você diz que segue a Deus, essas não são palavras vazias? Tais palavras não são uma tentativa de iludir as pessoas? Você diz que segue a Deus, mas todas as suas ações e comportamentos, sua perspectiva da vida, seus valores e todas as atitudes e princípios pelos quais você aborda e lida com as questões vêm de Satanás — você lida com tudo isso inteiramente de acordo com os princípios e a lógica de Satanás. Então, você segue a Deus?

Extraído de ‘A crença na religião nunca levará à salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Se, em sua fé em Deus, as pessoas tratam a verdade como um conjunto de regras às quais aderir, então sua fé não será propensa a se transformar em apenas um monte de cerimônias religiosas? E quais são as diferenças entre essas cerimônias religiosas e o cristianismo? Essas pessoas podem ser mais profundas e mais progressistas no modo com que dizem as coisas, mas se sua fé passou a resumir-se a apenas um conjunto de regras e um tipo de cerimônia, não significa que ela se transformou em cristianismo? (Sim, significa.) Há diferenças entre os ensinamentos antigos e os novos, mas se os ensinamentos nada mais são que um tipo de teoria e se tornaram apenas uma forma de cerimônia ou regulamento para as pessoas — e, do mesmo modo, se elas não podem ganhar a verdade a partir dela nem usá-la para entrar na verdade-realidade — então a fé dessas pessoas não se tornou o mesmo que o cristianismo? Em essência, isso não é cristianismo? (Sim, é sim.) Portanto, em seu comportamento e no desempenho de seus deveres, em que coisas vocês mantêm pontos de vista e estados que são os mesmos ou similares aos dos crentes no cristianismo? (Ao aderir a regras e nos equipar com palavras e doutrinas.) (Ao focar na aparência de sermos espirituais e exibir bom comportamento, e ao sermos devotos e humildes.) Vocês buscam ter um bom comportamento aparente, fazem o máximo para revertir-se com uma espécie de aparência espiritual, e fazem algumas coisas que são relativamente aprovadas dentro das noções e da imaginação humanas, fingindo ser virtuosos. Defronte o púlpito elevado, pregam letras e doutrinas, ensinando as pessoas a fazerem o bem, a serem virtuosas e a compreenderem a verdade; pregam doutrina espiritual, dizendo as coisas espirituais certas; põem ares de serem espirituais e exsudam uma espiritualidade superficial em tudo que dizem e fazem, entretanto, na prática e no cumprimento de seus deveres, nunca buscam a verdade. Assim que encontram um problema, agem inteiramente de acordo com a vontade humana, pondo Deus de lado. Vocês nunca agiram segundo a verdade-princípio, e nem fazem ideia do que é a verdade, quais são as intenções de Deus, ou quais são os padrões que Ele exige do homem; vocês nunca levaram esses assuntos a sério, nem se preocuparam com eles. Essas ações externas e esses estados interiores das pessoas — isto é, esse tipo de fé — abrangem temer a Deus e evitar o mal? Se não há conexão entre a fé das pessoas e sua busca pela verdade, elas creem ou não creem em Deus? Não importa há quantos anos as pessoas que não têm conexão com a busca da verdade acreditam Nele, elas podem ou não realmente temer a Deus e evitar o mal? (Não podem.) Então, qual é o comportamento externo de tais pessoas? Que tipo de senda elas trilham? (A senda dos fariseus.) Com o que elas passam os dias se equipando? Não é com letras e doutrinas? Elas não passam os dias se armando, se revestindo com letras e doutrinas para serem mais parecidas com os fariseus, mais espirituais e mais como pessoas que supostamente servem a Deus? Qual é a natureza de todos esses atos? É a adoração a Deus? É a genuína fé Nele? (Não, não é.) Então, o que é que elas estão fazendo? Estão enganando a Deus; só estão percorrendo os passos de um processo, e engajando-se em cerimônias religiosas. Estão brandindo a bandeira da fé e executando ritos religiosos, tentando enganar a Deus a fim de alcançar seu objetivo de serem abençoadas. Essas pessoas não adoram a Deus, de modo algum. No fim, esse grupo de pessoas não acabará exatamente como aqueles dentro da igreja que supostamente servem a Deus e que supostamente acreditam em Deus e O seguem?

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Se a senda que vocês seguem é igual à senda seguida por pessoas religiosas, isso faz de vocês crentes no cristianismo; vocês não acreditam em Deus e não estão experimentando Sua obra. Alguns que não têm acreditado em Deus por muito tempo admiram aqueles que têm e cuja fala é bem-fundamentada. Veem tais pessoas sentadas ali falando por duas ou três horas com facilidade. Começam a aprender delas — termos e expressões espirituais e também como a pessoa fala e se comporta. Então decoram algumas passagens de palavras espirituais e assim continuam até, algum dia, seus anos de crença são suficientes em número para que se sentem e exponham sem fim, com eloquência e a fundo. Mas se ouvirmos atentamente, tudo é disparate, palavras vazias, meras letras e doutrinas; e são claramente truques religiosos, enganando a si mesmos e os outros. Que coisa triste! Vocês não devem seguir essa senda, que, uma vez trilhada, causa ruína e é difícil de abandonar. Valorizar tais coisas, tomá-las como sua vida e usá-las para se comparar com os outros para onde quer que se vá; ter, além de um caráter satânico corrupto, algumas teorias espirituais e elementos de hipocrisia — essa pessoa não é somente repugnante, mas é repugnante ao extremo, nojenta e descarada, e os outros não suportam olhar para ela. Portanto, a denominação daqueles que, no passado, seguiram o Senhor Jesus agora é chamada de cristianismo. É uma denominação e, em sua crença em Deus, eles não fazem nada além de aderir rigidamente a formalidades. Não há nenhuma mudança em seu caráter de vida, e não são pessoas que buscam a verdade; sua busca não é a verdade, o caminho e a vida que vem de Deus, em vez disso eles buscam ser fariseus e são hostis a Deus — esse é o grupo de pessoas que agora é definido como cristianismo. Como seu grupo veio a ser chamado de “cristianismo”? Isso se deu porque elas se passaram por santas, espirituais e bondosas e por verdadeiros seguidores de Deus, no entanto, elas negam toda verdade e negam a realidade de todas as coisas positivas que vêm de Deus. Usam palavras que Deus proferiu anteriormente para se camuflarem, para se armarem e se encobrirem e, no fim, as usam como um tipo de capital para defraudar as pessoas por toda parte de comida e bebida. Disfarçam-se como crentes em Deus e assim desfilam e enganam outros; competem uns com os outros e disputam com outros — para eles, essas coisas são glória e capital. Também querem ganhar as bênçãos e recompensas de Deus por meio de enganação. Essa é a senda que seguem. É por seguirem esse tipo de senda que seu grupo é, por fim, definido como cristianismo. Contemplando isso agora, o nome “cristianismo” é bom ou ruim? É uma designação infame, e não há nada de glorioso ou esplêndido nela.

Extraído de ‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 2. O que significa acreditar verdadeiramente em Deus

Próximo: 4. Como uma pessoa deve praticar sua fé para ser liberta das forças de Satanás e salva

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

4. As consequências de alguém se sujeitar ao engano e ao controle dos fariseus e anticristos do mundo religioso e se ele pode ser salvo por Deus

Basta olhar para os líderes de cada denominação — são todos arrogantes e hipócritas, eles interpretam a Bíblia fora de contexto e de acordo com a própria imaginação. Eles todos se fiam em seus dons e em sua erudição para realizar seu trabalho. Se fossem incapazes de pregar qualquer coisa, será que aquelas pessoas iriam segui-los? Afinal de contas, eles, de fato, possuem certo conhecimento e conseguem pregar sobre alguma doutrina, ou sabem como conquistar as pessoas e como usar alguns artifícios. Eles usam isso para trazer as pessoas para si mesmos e enganá-las. Teoricamente, essas pessoas acreditam em Deus, mas, na realidade, seguem seus líderes. Se encontrarem alguém pregando o caminho verdadeiro, algumas dizem: “Temos que consultar nosso líder sobre a nossa fé”. A fé dessas pessoas tem de passar por um ser humano; isso não é um problema? Então, no que esses líderes se transformaram? Será que não se tornaram fariseus, falsos pastores, anticristos e pedras de tropeço para que as pessoas aceitem o caminho verdadeiro?

1. O que é a verdade e se conhecimento teológico é a verdade

A verdade é o mais real dos aforismos da vida e o mais alto de tais aforismos entre toda a humanidade. Porque ela é a exigência que Deus faz ao homem e é a obra realizada pessoalmente por Deus, é chamada de aforismo da vida. Não é um aforismo resumido de alguma coisa, nem uma citação famosa de uma grande personalidade; em vez disso, é a declaração para a humanidade do Mestre dos céus e da terra e de todas as coisas e não algumas palavras resumidas pelo homem, mas a vida inerente de Deus. E assim é chamado o mais alto de todos os aforismos da vida.

6. Como saber que Cristo é a verdade, o caminho e a vida

Deus Se tornou carne porque o objeto de Sua obra não é o espírito de Satanás, ou qualquer coisa incorpórea, mas o homem, que é da carne e tem sido corrompido por Satanás. Exatamente porque a carne humana tem sido corrompida é que Deus fez do homem carnal o objeto de Sua obra; mais ainda, porque o homem é o objeto de corrupção, Ele fez do homem o único objeto de Sua obra através de todas os estágios da obra de Salvação. O homem é um ser mortal, é feito de carne e sangue e Deus é o único que pode salvar o homem. Dessa forma, Deus deve Se tornar uma carne que possua os mesmos atributos que o homem com o intuito de realizar Sua obra, para que Sua obra possa atingir melhores resultados.

4. As maneiras em que a onipotência e sabedoria de Deus são reveladas primariamente

Desde a existência do gerenciamento de Deus, Ele sempre foi totalmente dedicado a realizar a Sua obra. Apesar de haver ocultado Sua pessoa deles, Ele sempre esteve do lado do homem, fazendo a obra neles, expressando Seu caráter, guiando toda a humanidade com Sua essência e fazendo Sua obra em cada pessoa através de Seu poder, Sua sabedoria e Sua autoridade, e assim, trazendo a existência a Era da Lei, a Era da Graça, e agora a Era do Reino. Embora Deus oculte Sua pessoa do homem, Seu caráter, Seu ser e posses e Sua vontade para com a humanidade são reveladas ao homem incondicionalmente para que o homem veja e experiencie.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro