2. O que é uma pessoa enganadora e como ela se manifesta

Palavras de Deus relevantes:

Quando as pessoas vivem em seus caracteres satânicos corruptos, não importa o que façam, elas fingem, se disfarçam e recorrem a truques ardilosos; usam enganação em tudo, acreditando que não há nada inferior a praticar enganação e tramar estratagemas. Há pessoas que abrigam enganação mesmo quando fazem algo tão comum como uma compra. Uma pessoa, por exemplo, compra um par de sapatos muito elegantes. Ela pensa: “Se os irmãos e irmãs me virem usando esses sapatos, sem dúvida alguma dirão que não estou gastando meu dinheiro com coisas que valem a pena, então não usarei esses sapatos na frente deles. Esperarei para usá-los quando não estivermos em reunião, e esperarei até que tenham saído da moda e pareçam não ter nenhum valor para então usá-los”. Seja lá como você age em relação a isso, você não está — qualquer que seja o modo com que você analisa isso — praticando enganação com essa sua mentalidade calculista? Você já vive em enganação, você já está preparado para agir dessa forma. Por que, então, você pratica enganação? Você está sendo controlado por seus objetivos e motivações? E esses seus objetivos são válidos? Qual é a sua essência? É seu caráter satânico que está controlando você, não é? Você adota certas táticas e pratica enganação para alcançar seu objetivo, não é verdade? Você age de uma forma na frente das pessoas e de outra pelas costas delas. Você está sendo astuto, está jogando nos dois times — esse tipo de comportamento é praticar enganação. O que vocês acham disto: pessoas enganosas são estúpidas, não são? Por que, assim que se pede a algumas pessoas que se dissequem, elas ficam estressadas? É porque aqueles seus pequenos truques astutos parecem estúpidos, desajeitados e desprezíveis — são vergonhosos demais para mostrar aos outros, são os negócios duvidosos de pessoas vulgares. Os assuntos das pessoas enganosas nunca podem ser trazidos à luz do dia, para que todos os vejam. Por que não? Porque, no momento em que estão prestes a se desnudar, elas percebem, de repente: “Como pude ser tão estúpido a ponto de fazer isso? Como pude ser tão repugnante?”. Até mesmo elas sentem nojo de si mesmas. Mas quando estão fazendo aquilo, não têm como evitar — sempre querem se comportar desse jeito; pois são enganosas por natureza, e não importa o que façam, elas revelam sua natureza enganosa por via de regra — até mesmo em questões muito insignificantes, elas revelariam sua natureza enganosa. Não conseguem se conter em nada; esse é seu calcanhar de Aquiles. […] Aqueles que são enganosos não conseguem se impedir de revelar sua enganação e, além disso, fazem isso a qualquer momento e em qualquer lugar. Não é algo que precisem aprender ou algo que exija a instrução dos outros; numa questão perfeitamente simples, que não exige mentiras nem desonestidade, ainda assim eles seguirão o caminho desonesto e inventarão mentiras para enganar as pessoas.

Extraído de ‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A característica primária de pessoas enganosas é que elas nunca se abrem com ninguém quando comungam; elas se escondem profundamente. Além disso, ninguém consegue descobrir se aquilo que dizem é verdadeiro ou falso. E mais, são especialmente hábeis em fingimento e subterfúgios; fingem ser pessoas boas, virtuosas, inocentes, pessoas amadas e admiradas por outros. Ao interagir com elas, você nunca sabe o que pensam por dentro; não dizem a ninguém qual é realmente a sua visão ou atitude em relação às coisas, e nem os mais próximos delas sabem. Elas não abrem o coração; não revelam nada. E não é só isso, elas também fingem possuir humanidade, ser altamente espirituais, buscar a verdade. Ninguém pensaria outra coisa.

Extraído de ‘Eles não acreditam na existência de Deus e negam a essência de Cristo (I)’ em “Expondo os anticristos”

Se for muito enganador, você terá um coração defensivo e pensamentos de suspeita em relação a todos os assuntos e a todas as pessoas, e por isso sua fé em Mim será edificada sobre um fundamento de suspeição. Eu jamais poderia reconhecer tal fé. Sem ter fé genuína, vocês se distanciarão ainda mais do amor real. E, se está propenso a duvidar de Deus e especular sobre Ele a bel-prazer, você, sem dúvida, é a mais enganadora de todas as pessoas. Você especula se Deus pode ser como um ser humano: imperdoavelmente pecaminoso, de caráter mesquinho, desprovido de equidade e razão, carente de um senso de justiça, dado a táticas viciosas, traiçoeiro e astuto, que se agrada com o mal e com a escuridão, e assim por diante. A razão de o homem ter tais pensamentos não é por não ter o menor conhecimento de Deus? Esse tipo de fé nada é senão pecado! Aliás, há até alguns que creem que aqueles que Me agradam não passam de aduladores e bajuladores e que quem carece dessas habilidades não será bem-vindo e perderá seu lugar na casa de Deus. Esse é todo o conhecimento que vocês juntaram nesses anos todos? É isso que vocês ganharam? E o conhecimento que vocês têm sobre Mim não se limita a esses mal-entendidos; ainda pior é a sua blasfêmia contra o Espírito de Deus e o seu aviltamento do Céu. Essa é a razão de Eu dizer que tal tipo de fé como a de vocês apenas os levará a afastar-se ainda mais de Mim e a intensificar sua oposição a Mim.

Extraído de ‘Como conhecer o Deus na terra’ em “A Palavra manifesta em carne”

A pessoa pode nunca se abrir nem comunicar aos outros o que pensa. E em tudo que faz, ela nunca consulta os outros; em vez disso, se fecha, aparentemente se defendendo dos outros a cada passo. Ela se encobre o máximo possível. Esta não é uma pessoa astuta? Por exemplo, ela tem uma ideia que acha engenhosa e pensa: “Eu a guardarei para mim, por ora. Se eu a compartilhar, vocês podem usá-la e tirar vantagem dela. Ficarei calado”. Ou, se houver algo que não entende completamente, ela pensará: “Não me manifestarei agora. Se eu abrir a boca e alguém disser algo mais elevado, eu não vou parecer um tolo? Todos enxergarão através de mim, verão minha fraqueza. Não devo dizer nada”. Assim, qualquer que seja a perspectiva ou o raciocínio, qualquer que seja o motivo subjacente, essas pessoas temem que os demais enxergarão através delas. Elas sempre consideram seu dever e as pessoas, coisas e eventos com esse tipo de perspectiva e atitude. Que tipo de caráter é esse? Um caráter corrompido, enganoso e maligno. Na superfície, parecem ter dito tudo aos outros que acreditam ser possível, mas, sob a superfície, elas retêm coisas. Nunca dizem coisas que afetam sua reputação ou seus interesses — a ninguém, nem mesmo aos seus pais. Nunca dizem essas coisas. Isso é encrenca!

Extraído de ‘Apenas praticando a verdade é possível possuir humanidade normal’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas não falam a verdade para ninguém. Às vezes, nem elas sabem se o que estão dizendo é verdadeiro ou falso — elas confundem a si mesmas. Quando conversam com os outros, estão sempre pensando, e sua mente está sempre matutando sobre quais serão as consequências de dizer algo. Antes de dizerem algo, avaliam e predizem o que dizer algo de certo modo poderá alcançar e o que expressá-lo de outro jeito alcançará, e o que enganará o outro e o impedirá de entender a verdade da questão. Que caráter é esse? É enganação. É fácil mudar um caráter enganoso? Nada que diz respeito ao caráter é fácil de mudar. Algumas pessoas, tendo revelado algo de si mesmas, pensam: “Eu permiti que conhecessem meus pensamentos verdadeiros. Isso é ruim. Preciso encontrar uma maneira de reverter isso — de me expressar de outra forma, para que não conheçam a verdade”. É assim que essas pessoas pensam e planejam, e quando estão prestes a agir, revelam um tipo de caráter: a enganação. Elas farão algo diabólico. Mesmo antes de fazer qualquer coisa, já revelaram sua enganação. Esse é um tipo de caráter. Não importa se você disse algo ou não, ou se fez algo ou não — esse caráter está sempre dentro de você, controlando você, levando você a pregar peças e se envolver em trapaças, a brincar com as pessoas, a encobrir a verdade e a fingir. Isso é enganação. Quais são as coisas específicas que as pessoas enganosas fazem? Digamos que duas pessoas estão conversando, por exemplo, e uma diz: “Passei por algumas circunstâncias recentemente e sinto que esses anos de acreditar em Deus realmente foram em vão. Sou um fracasso como pessoa! Empobrecido, miserável! Não tenho um bom desempenho há bastante tempo. Eu me esforçarei para me redimir no futuro”. Que tipo de efeito essas palavras terão? A outra pessoa as ouve e pensa: “Essa pessoa se arrependeu — se arrependeu profundamente. Isso é genuíno. Não posso duvidar disso. Ela mudou para melhor. Ela até disse que é um fracasso como ser humano e que os problemas que enfrentou recentemente foram todos orquestrados por Deus. Ela é capaz de se submeter”. Ao gerar tal efeito no ouvinte, o objetivo do falante foi alcançado? (Sim.) Então, seu estado verdadeiro é exatamente como ele disse ser? Não necessariamente. O que ele disse alcançou tal efeito, mas o que fez não foi o que disse. Seu objetivo em dizer isso foi a maneira com que disse, o desfecho que quis alcançar. Ao falar, ele está sempre tentando alcançar algo, sempre tem algum motivo, sempre usa certo método ou certas palavras para alcançar seus objetivos. Que tipo de caráter é esse? É enganação, e é realmente insidioso! E, na verdade, não está nem um pouco ciente de que é mau, empobrecido e miserável. Só usa alguma linguagem e palavras espirituais para conquistar seu favor, para que você tenha uma boa opinião dele, para que você sinta que ele entendeu a si mesmo e se arrependeu. Alcançar tal efeito não é enganação?

Extraído de ‘Seis aspectos de um caráter corrupto devem ser entendidos para uma mudança em caráter’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Quando as pessoas enganosas colocam a verdade em prática, elas cometem enganação? Colocar a verdade em prática exige que elas paguem um preço, renunciem aos próprios interesses, se revelem aos outros. Mas elas retêm algo; quando falam, só entregam metade e escondem o resto. Os outros sempre têm de adivinhar o que elas querem dizer, sempre têm de ligar os pontos para identificar o significado. Elas sempre deixam espaço para manobra; permitem-se certa margem de ação. Assim que veem que elas são enganosas, os outros não querem interagir com elas, sempre tomam precauções ao lidar com elas e não acreditam em nada que dizem, perguntando-se se o que elas disseram é falso ou verdadeiro e quanto disso foi diluído. E assim, em seu coração, as pessoas costumam perder a confiança nelas; elas têm pouco ou nenhum peso no coração das pessoas. Esse é o seu status, o peso que você tem no coração das pessoas. E, assim, como você será visto por Deus em Sua presença? Comparado ao homem, Deus vê as pessoas de modo mais preciso, incisivo e realista.

Extraído de ‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Você sempre pensa em sua carne e em suas perspectivas, sempre quer diminuir o sofrimento da carne, esforçar-se menos, dedicar-se menos, pagar um preço menor, e você sempre deixa uma margem de ação para si mesmo — e essa é uma atitude enganosa. Quando se despende por Deus, também pensa duas vezes, dizendo: “Ah! Dedicar-me a Deus? Ainda preciso ganhar a vida; o que farei se a obra de Deus não terminar? Portanto, não darei tudo de mim. Não sabemos quando as palavras de Deus se cumprirão, por isso preciso ter cuidado, pensar duas vezes. Assim que tiver arranjado minha vida familiar e minhas perspectivas futuras e as tiver planejado, eu me dedicarei a Deus”. Tal reticência também é enganação e é agir em meio à enganação, e não é uma atitude honesta. Ao interagir com seus irmãos e irmãs, algumas pessoas têm medo de que eles descubram as dificuldades no coração delas, de que os irmãos e irmãs terão algo a dizer sobre elas ou as desprezarão. Enquanto falam, sempre tentam dar a impressão de que são mesmo zelosas, de que querem mesmo Deus e estão mesmo muito interessadas em colocar a verdade em prática, mas, de fato, em seu coração, são extremamente fracas e passivas. Elas fingem ser fortes, para que ninguém consiga vê-las claramente. Isso também é um engano. Em suma, independentemente do que você faz — seja na vida, servindo a Deus ou cumprindo seu dever —, se apresentar uma máscara às pessoas e usá-la para iludi-las, para fazê-las ter grande consideração por você ou não o olhar com desprezo, então você está sendo enganoso.

Extraído de ‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O que vocês acham disto: conviver com pessoas enganosas é cansativo, não é? (É, sim.) É cansativo para elas? É cansativo para elas também, pois ser enganoso é diferente de ser honesto. Uma pessoa honesta é simples — seu raciocínio não é tão complicado. Mas no caso de uma pessoa enganosa, ela sempre precisa falar fazendo rodeios e nunca é direta naquilo que diz. É cansativo para ela também; sempre pregar peças e encobrir suas mentiras é exaustivo. Ela está sempre quebrando a cabeça e matutando, com medo de deixar escapar algo num momento de desatenção. Você sabe até onde algumas pessoas vão ao pregar suas peças? Elas entram em competição com todos. Lutam a ponto de sofrer crises mentais e nem conseguem dormir à noite. Isso mostra o grau de sua enganação. Viver a vida como uma pessoa honesta não é cansativo: uma pessoa honesta diz o que está em sua mente, revela o que está pensando e age de acordo com o que pensa, buscando a vontade de Deus em tudo e agindo de acordo com a vontade de Deus. Pode haver pontos em que ela é ignorante; por isso, no futuro, ela deve ser mais sábia e nunca parar de crescer. Mas as pessoas enganosas não são assim. Elas vivem com base na filosofia de Satanás e em sua própria natureza e essência enganosas. Precisam ser cautelosas em tudo que fazem para que os outros não tenham algo para usar contra elas; em tudo que fazem, precisam usar seus próprios métodos e truques enganosos e desonestos para encobrir seu rosto verdadeiro, temendo que, mais cedo ou mais tarde, eles se entregarão — e quando realmente se entregam, elas são obrigadas a tentar virar o jogo. Há momentos em que, quando elas tentam salvar seu disfarce, isso não é tão fácil, e quando as coisas dão errado, elas ficam agitadas, temendo que os outros enxerguem através delas. E quando isso acontece, elas acham que perderam o respeito perante os outros, e pensam em algo que possam dizer para virar o jogo. Todo esse vai e vem — não seria exaustivo para elas? Seu cérebro está trabalhando o tempo todo; se não estivesse, de onde viriam todas as suas palavras? Se você é honesto e livre de segundas intenções em palavra e ação, então o que você fez está feito, e você não precisa se preocupar em mostrar quem realmente é. Como você poderia ficar exausto? Mas sempre há segundas intenções por trás das coisas que as pessoas enganosas dizem e fazem, e uma vez que isso vem à luz, elas correm inventar um jeito de consertar seu disfarce, e então constroem outra fachada para levar você a pensar que se trata de algo completamente diferente. Isso é bastante exaustivo para elas. Em suas interações com elas, você percebe como é uma estupidez, para elas, agir dessa forma, e como é desnecessário dizer todas essas coisas. Há algumas coisas que, na verdade, elas nem precisam explicar, você nem teria percebido, mas elas fazem questão de explicar e de salvar a situação, até você se cansar de ouvi-las. Elas mesmas também acham que não seria tão exaustivo se não tivessem que explicar tudo. Seu cérebro trabalha o tempo todo para encontrar um jeito de impedir que você as entenda errado, de convencê-lo de que não há nenhuma maldade por trás das palavras ou ações delas, para que você possa aceitá-las e acreditar nelas. E assim elas continuam remoendo. Quando não conseguem dormir, à noite, ficam pensando nisso; durante o dia, quando não conseguem comer, ficam pensando nisso; ou quando consultam os outros sobre um assunto diferente, continuam trabalhando para sondar isso. Essas pessoas sempre apresentarão uma fachada para levar você a pensar que elas não são esse tipo de gente, que são uma pessoa boa, ou levá-lo a achar que não era bem isso o que elas queriam dizer. Pessoas enganosas são assim.

Extraído de ‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Assuntos da natureza não são coisas feitas somente em um momento de fraqueza, mas persistem por toda a vida. Tudo o que a pessoa faz traz a sua fragrância, carrega os elementos de sua natureza. Mesmo que por vezes não sejam aparentes, aqueles elementos estão presentes dentro dela. Por exemplo, quando uma pessoa enganadora fala honestamente em certa oportunidade, de fato ainda há uma fala dentro da sua fala e a enganação está mesclada nela. Um ser enganador irá aplicar seus truques em qualquer pessoa, incluindo seus parentes — até nos próprios filhos. Não importa o quanto você seja franco com ele, ele jogará com você. Essa é a verdadeira face de sua natureza — ele tem essa natureza. É difícil mudar e ele é assim o tempo todo. Pessoas honestas podem às vezes até dizer algo malicioso e enganador, mas tal ser é habitual e relativamente honesto; ele lida com os assuntos diretamente e não tira vantagem injusta de outros em seus tratos com eles. Quando fala com outros, ele não diz coisas intencionalmente para testá-los; ele pode abrir seu coração e comunicar-se com os outros, e todos dizem que ele é muito honesto. Há tempos em que ele fala com alguma falsidade; isso é simplesmente uma manifestação de um caráter corrupto e não representa sua natureza, porque ele não é uma pessoa enganosa.

Extraído de ‘Como conhecer a natureza do homem’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Entre aquela classe de pessoas que são anticristos, a duplicidade inveterada é um dos principais atributos revelados por sua humanidade. Por meio de sua linguagem, por meio das coisas que dizem e da maneira com que as dizem, de seu modo de expressão, do significado de suas palavras e da motivação por trás delas, vê-se que essas pessoas carecem de humanidade normal, que não possuem a honestidade que Deus exige da humanidade normal. E mais, a duplicidade inveterada na humanidade dessas pessoas é muito mais séria do que as mentiras e a enganação de pessoas comuns. Isso não é um tipo comum de caráter corrupto nem a manifestação de um tipo comum de humanidade anormal; suas mentiras vêm mais rapidamente do que as da maioria das pessoas, e elas são mais experientes. Quando mente, a maioria das pessoas precisa inventar a mentira, precisa pensar cuidadosamente a respeito; mas esse tipo de pessoa não precisa inventar nada nem pensar a respeito: essas pessoas abrem a boca, e a mentira sai — e, antes de perceber, você já foi enganado. Suas mentiras e enganação são tamanhas que as pessoas de reação lenta levam de dois a três dias para entender as coisas; somente então percebem o que a pessoa quis dizer. Pessoas ignorantes ou de QI baixo podem ainda não ter entendido as coisas mesmo depois de vários anos; podem nunca descobrir o que o outro quis dizer com aquelas palavras, em toda a sua vida. Os anticristos estão acostumados a mentir: qual é a qualidade de sua humanidade? Claramente não é algo que faz parte da humanidade normal. Para ser preciso, é a natureza de um demônio. Duplicidade inveterada, mentiras e enganação: essas maneiras de fazer as coisas são aprendidas na escola? São resultado de um excesso de conhecimento? Devem-se ao ensinamento e à influência dos pais? (Não.) Essas coisas são sua natureza inerente. Eles nasceram com essas coisas; ninguém lhes impôs essas coisas, ninguém lhes ensinou essas coisas. Isso é simplesmente o que são — habitualmente dúplices. E, além disso, eles nunca sentem vergonha nem ficam preocupados com suas mentiras, nunca ficam agoniados ou desconfortáveis. Eles não só não ficam preocupados com suas mentiras, mas muitas vezes se acham muito espertos, altamente inteligentes; sentem-se sortudos, orgulhosos e secretamente felizes por serem capazes de manipular e enganar os outros usando mentiras e outras táticas. Os anticristos são uma classe de pessoas que constantemente usam mentiras para manipular e enganar os outros. Quando terminaram de ouvir o sermão e a comunhão de outros sobre como se tornar uma pessoa honesta, eles ficam preocupados? Eles se repreendem? (Não.) E como se pode dizer que eles não fazem autoacusação, que não ficam preocupados? Pelo fato de que eles nunca se dissecam. Eles nunca se abrem e expõem suas mentiras; nunca admitem que são desonestos. Além disso, continuam mentindo e enganando as pessoas como e quando sentem a necessidade de fazê-lo. Tal é sua natureza, e não há como mudá-la. Essa natureza não é uma expressão de humanidade normal; falando apropriadamente, é a natureza de um demônio.

Extraído de ‘Excurso Quatro: Resumindo a qualidade da humanidade de anticristos e a essência de seu caráter (I)’ em “Expondo os anticristos”

Anterior: 1. O que é uma pessoa honesta e por que Deus exige que as pessoas sejam honestas

Próximo: 3. Por que pessoas enganadoras são incapazes de alcançar a salvação

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

1. As diferenças essenciais entre a obra de Deus e o trabalho do homem

A obra do Próprio Deus envolve a obra de toda a humanidade e também representa a obra da era inteira. Em outras palavras, a própria obra de Deus representa o movimento e tendência de toda a obra do Espírito Santo, enquanto a obra dos apóstolos segue a própria obra de Deus e não lidera a era nem representa a tendência da obra do Espírito Santo na era inteira. Eles realizam apenas a obra que o homem deve realizar, sem nenhuma relação com a obra de gestão. A própria obra de Deus é o projeto dentro da obra de gestão. A obra do homem é apenas o dever dos homens que são usados e não tem qualquer relação com a obra de gestão.

2. Como a obra de julgamento de Deus nos últimos dias purifica e salva a humanidade

O “julgamento” nas palavras ditas anteriormente — o julgamento começará na casa de Deus — refere-se ao juízo que Deus emite hoje sobre aqueles que se põem diante de Seu trono nos últimos dias. Talvez haja aqueles que acreditem em tais imaginações sobrenaturais como as que, quando os últimos dias chegarem, Deus irá erigir uma grande mesa nos céus, sobre a qual uma tolha branca será estendida e então, sentando-Se sobre um grande trono com todos os homens ajoelhando-se no chão, Ele irá revelar os pecados de cada homem e assim determinar se eles devem ascender ao céu ou ser enviados para o lago de fogo e enxofre. Independentemente das imaginações do homem, a substância da obra de Deus não pode ser alterada. As imaginações do homem nada são senão os constructos dos pensamentos humanos e vêm do cérebro do homem, resumido e recomposto daquilo que o homem viu e ouviu. Portanto, digo que, não importa o quanto forem geniais, as imagens idealizadas ainda não serão mais que um desenho e não podem substituir o plano da obra de Deus. Afinal, o homem foi corrompido por Satanás, então como pode sondar os pensamentos de Deus?

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro