Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Testemunhos a Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Pergunta 14: A Bíblia diz: “Pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10). Nós cremos que o Senhor Jesus nos absolveu de nossos pecados e nos justificou pela fé. Além disso, cremos que, uma vez salvo, para sempre salvo e, quando o Senhor voltar, seremos imediatamente arrebatados e entraremos no reino dos céus. Então por que vocês testificam que precisamos aceitar a obra de julgamento de Deus nos últimos dias antes de podermos ser salvos e levados ao reino dos céus?

Resposta:

Todos os crentes no Senhor acham que: O Senhor Jesus nos redimiu quando morreu na cruz, então já fomos absolvidos de todo o pecado. O Senhor não mais nos vê como pecadores, pois já nos tornamos justos através da nossa fé, e uma vez salvo, salvo para sempre. Se perseverarmos até o fim, quando o Senhor voltar, seremos imediatamente arrebatados para o reino dos céus. Bem, essa é realmente a verdade? Deus, por meio de Suas palavras, deu alguma prova que sustentasse essa afirmação? Se esse ponto de vista não estiver de acordo com a verdade, quais serão as consequências? Nós, que cremos no Senhor, devemos usar Suas palavras como base para todas as coisas. Isso é especialmente verdadeiro quando a questão é como lidar com a volta do Senhor. Em hipótese alguma podemos tratar Seu retorno segundo os conceitos e imaginações do homem. As consequências são sérias demais para serem consideradas. O mesmo aconteceu quando os fariseus crucificaram o Senhor Jesus enquanto aguardavam a vinda do Messias. Qual seria o resultado? É verdade que o Senhor Jesus completou a obra de redenção da humanidade; mas a obra de Deus de salvação da humanidade já está concluída? Então todos nós, os crentes no Senhor Jesus, estamos qualificados para sermos arrebatados ao reino dos céus? Ninguém tem a resposta para essa pergunta. Deus disse certa vez: “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus” (Mateus 7:21). “Sereis pois santos, porque Eu sou santo” (Levítico 11:45). De acordo com as palavras de Deus, podemos ter certeza que aqueles que entram no reino dos céus se libertaram do pecado e foram purificados. São eles que fazem a vontade de Deus, obedecem a Ele, O amam e reverenciam. Como Deus é santo e aqueles que entram no reino dos céus viverão com Ele, se não nos purificarmos, como podemos estar qualificados para entrar no reino dos céus? Então nosso conceito de que, como crentes, fomos absolvidos do pecado e podemos entrar no reino dos céus é uma completa incompreensão da vontade de Deus e que teve origem na imaginação humana, na concepção humana. O Senhor Jesus nos absolveu do pecado; isso não é falso. No entanto, o Senhor Jesus nunca disse que, por meio dessa absolvição, fomos totalmente purificados e agora estamos aptos a entrar no reino dos céus. Ninguém pode negar esse fato. Então, por que todos os fiéis pensam que os que foram absolvidos do pecado podem entrar no reino dos céus? O que eles usam como evidência? Como eles embasam essa afirmação? Muitas pessoas dizem que fundamentam essa crença nas palavras de Paulo e dos outros apóstolos, conforme escrito na Bíblia. Então me digam: as palavras de Paulo e dos outros apóstolos representam as palavras do Senhor Jesus? Elas representam as palavras do Espírito Santo? As palavras do homem podem estar na Bíblia, mas isso significa que elas são palavras de Deus? Há um fato que podemos ver claramente na Bíblia: As pessoas que são aprovadas por Deus podem escutar Sua palavra e obedecer à Sua obra. São elas que seguem o Seu caminho, são elas as aptas a herdar o que Deus prometeu. Esse é um fato que ninguém pode negar. Todos sabemos que, embora nossos pecados, os dos fiéis, tenham sido perdoados, ainda não fomos purificados; e frequentemente pecamos e resistimos a Deus. Deus nos disse claramente: “Sereis pois santos, porque Eu sou santo” (Levítico 11:45). “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus” (Mateus 7:21). Das palavras de Deus, é certo dizer que, nem todos aqueles cujos pecados foram perdoados, têm direito de entrar no reino dos céus. As pessoas devem ser limpas; devem tornar-se praticantes da vontade de Deus antes de entrar no reino dos céus. Isso é irrefutável. Aparentemente, entender a vontade de Deus não é tão simples quanto parece. Não nos purificamos apenas porque nossos pecados foram perdoados. Devemos primeiro obter a realidade da verdade e ganhar a aprovação de Deus. Então estaremos aptos para entrar no reino dos céus. Se não amamos a verdade e, na realidade, estamos fartos dela e até mesmo a odiamos, se só buscamos recompensas, se só buscamos a coroa, e não nos importamos com a vontade de Deus, muito menos em seguir Sua vontade, não estamos fazendo o mal? O Senhor louva esse tipo de pessoa? Se sim, somos iguais aos fariseus hipócritas: Embora perdoados do pecado, ainda não estamos aptos a entrar no reino dos céus. Esse é um fato indiscutível.

Vamos continuar comungando. O Senhor Jesus nos absolveu dos pecados. Que “pecados” Ele absolveu? Que tipos de pecado confessamos depois que começamos a crer no Senhor? Os principais deles são os chamados pecados factuais; são aqueles que traem as leis, mandamentos ou palavras de Deus. Nós, humanos, traímos as leis e mandamentos de Deus e, assim, seríamos condenados e punidos por Sua lei. É por isso que o Senhor Jesus veio para realizar Sua obra de redenção. Assim, só temos que orar ao Senhor Jesus, nos confessar e nos arrepender de nossos pecados e Ele nos absolverá. Depois disso, não mais estaremos sujeitos à condenação e punição de acordo com a Sua lei. Deus não mais nos tratará como pecadores. Assim, podemos orar diretamente a Deus; clamar a Deus e partilhar de Suas graça e verdade abundantes. Esse é o verdadeiro significado da “salvação” da qual frequentemente falamos na Era da Graça. Essa “salvação” nada tem a ver com ser purificado e entrar no reino dos céus. Pode-se dizer que essas duas coisas são separadas, porque o Senhor Jesus nunca disse que todos os que foram salvos e absolvidos entrariam no reino dos céus. Vamos ler algumas das palavras de Deus Todo-Poderoso: “Na época, a obra de Jesus foi a redenção de toda a humanidade. Os pecados de todos que acreditavam Nele foram perdoados; contanto que você acreditasse Nele, Ele o redimiria; se você acreditasse Nele, não era mais pecador e estava aliviado de seus pecados. É isso que significava ser salvo e ser justificado pela fé. No entanto, naqueles que acreditavam ainda restava o que era rebelde e se opunha a Deus e o que ainda precisava ser removido lentamente. A salvação não significava que o homem havia sido completamente ganho por Jesus, mas sim que o homem não era mais do pecado, que ele havia sido perdoado de seus pecados: se você acreditasse, nunca mais seria do pecado” (de ‘A visão da obra de Deus (2)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Antes de o homem ser redimido, muitos dos venenos de Satanás já estavam plantados dentro dele e, depois de milhares de anos de ser corrompido por Satanás, o homem já tem dentro de si uma natureza estabelecida que resiste a Deus. Portanto, quando o homem foi redimido, isso não é nada mais do que um caso de redenção, na qual o homem é comprado por um alto preço, mas a natureza venenosa dentro dele não foi eliminada. O homem que é contaminado assim deve sofrer uma mudança antes de ser digno de servir a Deus. Por meio dessa obra de julgamento e castigo, o homem conhecerá por completo a substância imunda e corrupta dentro de si mesmo, e ele poderá mudar completamente e se tornar limpo. Só assim o homem pode se tornar digno de retornar diante do trono de Deus. […] Embora o homem possa ter sido redimido e perdoado de seus pecados, isso só pode ser considerado como Deus não Se lembrar das transgressões do homem e não tratar o homem de acordo com as suas transgressões. No entanto, quando o homem, que vive num corpo de carne, não foi liberto do pecado, ele só pode continuar pecando, revelando infinitamente o caráter satânico corrupto. Essa é a vida que o homem leva, um ciclo interminável de pecar e ser perdoado. A maioria dos homens peca de dia apenas para confessar à noite. Desse modo, mesmo que a oferta pelo pecado seja para sempre efetiva para o homem, ela não será capaz de salvar o homem do pecado. Apenas metade da obra da salvação já foi concluída, pois o homem ainda tem caráter corrupto” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus Todo-Poderoso respondem claramente a essa pergunta. Nós as entendemos assim que ouvimos. Na Era da Graça, o Senhor Jesus só fez a Sua obra de redenção para absolver a humanidade do pecado, tornando-a justa pela fé e salvando-a pela fé. No entanto, o Senhor Jesus jamais disse que todos os que foram perdoados de seus pecados podem entrar no reino dos céus. Isso porque o Senhor Jesus pode ter nos absolvido de todo pecado, mas Ele nunca nos absolveu de nossa natureza satânica. Nossos arrogância, egoísmo, falsidade, maldade, etc., isto é, nosso caráter corrupto, ainda permanecem. Essas coisas são mais profundas do que o pecado; são muito mais difíceis de resolver. Se a natureza satânica e o caráter corrupto, que são tão resistentes a Deus, não forem resolvidos, não podemos evitar cometer muitos pecados. Podemos até cometer pecados que são ainda piores do que infringir a lei; pecados mais graves. Por que os fariseus condenaram e resistiram ao Senhor Jesus? Como eles puderam crucificá-Lo? Isso prova que se a natureza satânica do homem não foi resolvida, ele ainda pode pecar, resistir e trair a Deus.

Nesses anos todos cremos no Senhor e vivenciamos uma coisa: Embora nossos pecados tenham sido absolvidos, ainda não conseguimos resistir à tendência de pecar. Ainda mentimos, enganamos, trapaceamos e usamos de subterfúgios em busca da reputação e status. Até nos esquivamos da responsabilidade e botamos outras pessoas em apuros por nossa causa. Em desastres naturais e nos provocados pelo homem, ou em provações e tribulações, culpamos e traímos a Deus. Quando a obra de Deus não está alinhada com nossas concepções, negamos, julgamos e resistimos a Deus. Apesar de crermos no nome de Deus, ainda reverenciamos e seguimos outros seres humanos. Se ocupamos certos cargos, nos autoelogiamos e testemunhamos por nós mesmos, como faziam os sumos sacerdotes, os escribas e fariseus. Agimos como se fôssemos Deus para que as pessoas nos reverenciem e admirem. Inclusive roubamos e nos apossamos das ofertas que são para Deus. Cultivamos a inveja e seguimos nossas próprias preferências, caprichos e emoções carnais. Fincamos nossas bandeiras, formamos nossos grupos e estabelecemos nossos pequenos reinos. Esses fatos são todos claros. Podemos ver que, se nossa natureza e caráter satânicos não forem resolvidos, não seremos qualificados para entrar no reino dos céus, mesmo que nossos pecados sejam perdoados um milhão de vezes. O fato de ainda pecarmos e resistirmos a Deus mostra que ainda pertencemos a Satanás, então nós somos inimigos de Deus, e certamente seremos condenados e punidos por Ele. É como diz a Bíblia: “Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários” (Hebreus 10:26-27). Vamos ler mais das palavras de Deus Todo-Poderoso: “Um pecador como você, que acaba de ser redimido, e não foi mudado ou aperfeiçoado por Deus, pode ser segundo o coração de Deus? Para você, você que ainda é do seu antigo eu, é verdade que você foi salvo por Jesus, e que você não é contado como pecador por causa da salvação de Deus, mas isso não prova que você não é pecador e não é impuro. Como você pode ser santo se não foi mudado? Internamente, você é assolado por impurezas, é egoísta e ignóbil, mas ainda deseja descer com Jesus — quem dera você ter tanta sorte! Você pulou uma etapa em sua crença em Deus: você foi meramente redimido, mas não foi mudado. Para você ser segundo o coração de Deus, Deus deve fazer pessoalmente a obra de mudar e limpar você; se você é apenas redimido, será incapaz de alcançar a santidade. Dessa forma, você não será qualificado para compartilhar as boas bênçãos de Deus, pois você perdeu um passo na obra de Deus de gerenciar o homem, que é o importante passo de mudar e aperfeiçoar. Assim, você, um pecador que acaba de ser redimido, é incapaz de herdar diretamente a herança de Deus” (de ‘Sobre denominações e identidade’ em “A Palavra manifesta em carne”). Como podem ver, apenas fomos redimidos pelo Senhor Jesus, mas continuamos a viver com nosso caráter satânico, repetidamente pecando e resistindo a Deus. Devemos vivenciar o julgamento e a purificação de Deus nos últimos dias para nos libertarmos totalmente do pecado, segundo o coração de Deus, e nos qualificarmos para entrar no reino dos céus. De fato, o Senhor Jesus certa vez disse: “Vou preparar-vos lugar. E, se Eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para Mim mesmo, para que onde Eu estiver estejais vós também” (João 14:2-3). O Senhor voltou para preparar um lugar para nós e depois disso, Ele voltará para nos receber. Na verdade, esse “receber” refere-se aos Seus planos para renascermos nos últimos dias. Quando o Senhor vier para realizar Sua obra, Ele nos levará diante de Seu trono para sermos julgados, purificados e aperfeiçoados pelas palavras de Deus. Ele nos criará vencedores antes que os desastres cheguem. O processo de Ele nos receber é, na verdade, como Ele nos purificará e nos aperfeiçoará. Agora que o Senhor veio à terra para realizar a Sua obra de julgamento nos últimos dias, nós fomos arrebatados perante o Seu trono para vivermos com Ele. Isso não cumpre totalmente a profecia da vinda do Senhor para nos receber? Depois do fim dos grandes desastres, o reino de Cristo será fundado na terra. Todos os que sobreviverem ao refinamento pelos grandes desastres terão um lugar no reino dos céus.

de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Mesmo que nossos pecados tenham sido perdoados por crermos no Senhor, e sermos contados como salvos, aos olhos de Deus, permanecemos sujos e corruptos e não escapamos do pecado para receber a limpeza. Ter os pecados perdoados significa apenas não ser condenado por lei. Isso é o que quer dizer “salvo pela graça”. Deus pode ter perdoado nossos pecados e concedido-nos muitas bênçãos, deixado-nos usufruir da paz e felicidade de termos nossos pecados perdoados, e nos dado o direito de orar a Deus e conversar e nos comunicar com Ele, mas o que não pode ser negado é que ainda pecamos com frequência e resistimos a Deus, e não alcançamos a santidade. Ainda precisamos da volta de Deus nos últimos dias para executar Sua obra de purificar e salvar a humanidade completamente. Em outras palavras, a obra de redenção do Senhor Jesus é para pavimentar a obra de julgamento de Deus dos últimos dias. A obra de Deus de salvar a humanidade não acaba ali. Devemos saber disso. Agora a pouco vocês mencionaram que, como é que, após nossos pecados terem sido perdoados por crermos no Senhor, ainda não podemos evitar de cometermos pecados, e não podemos nos livrar de vivermos em pecado? É porque nossa corrupção por Satanás está muito arraigada, ao ponto de todos termos uma natureza satânica e estarmos cheios do caráter satânico. Por isso não conseguimos evitar cometermos pecados. Se esta natureza satânica não for resolvida, ainda podemos pecar e nos opor a Deus mesmo que nossos pecados estejam perdoados. Assim, nunca poderemos alcançar a compatibilidade com Deus. É por isso que o Senhor Jesus disse que deve retornar. Assim Ele executará a obra de julgamento dos últimos dias para purificar e salvar a humanidade completamente. Assim como Deus Todo-Poderoso diz: “Antes de o homem ser redimido, muitos dos venenos de Satanás já estavam plantados dentro dele e, depois de milhares de anos de ser corrompido por Satanás, o homem já tem dentro de si uma natureza estabelecida que resiste a Deus. Portanto, quando o homem foi redimido, isso não é nada mais do que um caso de redenção, na qual o homem é comprado por um alto preço, mas a natureza venenosa dentro dele não foi eliminada. O homem que é contaminado assim deve sofrer uma mudança antes de ser digno de servir a Deus. Por meio dessa obra de julgamento e castigo, o homem conhecerá por completo a substância imunda e corrupta dentro de si mesmo, e ele poderá mudar completamente e se tornar limpo. Só assim o homem pode se tornar digno de retornar diante do trono de Deus. Toda a obra feita neste dia é para que o homem possa ser limpo e mudado; através do julgamento e castigo pela palavra, bem como por meio do refinamento, o homem pode remover sua corrupção e ser purificado. Em vez de considerar este estágio da obra como sendo o da salvação, seria mais apropriado dizer que é a obra de purificação. Na verdade, este estágio é o da conquista, assim como o segundo estágio na obra da salvação. É através do julgamento e castigo pela palavra que o homem chega a ser ganho por Deus; e é através do uso da palavra para refinar, julgar e revelar, que todas as impurezas, noções, motivos e aspirações individuais dentro do coração do homem são reveladas por completo” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Os pecados do homem podiam ser perdoados através da oferta pelo pecado, mas quanto a como exatamente se pode fazer o homem não pecar mais, e como sua natureza pecaminosa pode ser extirpada completamente e transformada, ele não tem como resolver esse problema. Os pecados do homem foram perdoados, e isso foi por causa da obra da crucificação de Deus, mas o homem continuou a viver no caráter satânico corrupto antigo. Sendo assim, o homem deve ser completamente salvo de seu caráter satânico corrupto para que a natureza pecaminosa do homem seja completamente extirpada para nunca mais se desenvolver, permitindo, assim, que o caráter do homem seja transformado. Isso requer que o homem entenda a senda do crescimento na vida, entenda o caminho da vida e entenda o caminho para mudar seu caráter. Além disso, requer que o homem aja de acordo com essa senda, para que o caráter do homem possa ser mudado paulatinamente e que ele possa viver sob o brilho da luz, para que tudo o que ele faça esteja de acordo com a vontade de Deus, para que ele possa eliminar o seu caráter satânico corrupto e para que possa libertar-se da influência das trevas de Satanás, emergindo, assim, completamente do pecado. Só então o homem receberá a salvação completa. […] Portanto, depois da conclusão desse estágio, ainda restava a obra de julgamento e castigo. Esse estágio é para tornar o homem puro por meio da palavra e, desse modo, dar ao homem uma senda para seguir. Esse estágio não seria frutífero ou significativo se continuasse com a expulsão de demônios, pois falharia em extirpar a natureza pecaminosa do homem, e o homem chegaria a uma paralização no perdão dos pecados. Através da oferta pelo pecado, o homem foi perdoado por seus pecados, pois a obra da crucificação já chegou ao fim e Deus prevaleceu sobre Satanás. Mas o caráter corrupto do homem ainda permanece dentro dele, o homem ainda pode pecar e resistir a Deus, e Deus não ganhou a humanidade. É por isso que neste estágio da obra, Deus utiliza a palavra para revelar o caráter corrupto do homem e fazer com que ele pratique de acordo com a senda correta. Este estágio é mais significativo do que o anterior e mais frutífero também, pois agora é a palavra que supre diretamente a vida do homem e permite que o caráter do homem seja completamente renovado; é uma etapa mais completa de obra” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus Todo-Poderoso são muito claras: na Era da Graça, o Senhor Jesus só executou Sua obra de redenção. Os pecados da humanidade foram perdoados por acreditarem no Senhor, mas sua natureza pecaminosa não foi resolvida. A natureza pecaminosa do homem é a natureza de Satanás. Ela já criou uma raiz profunda no homem, tornando-se sua vida. É por isso que o homem ainda não pode evitar de pecar e se opor a Deus. Possuir a natureza satânica é a causa primária por trás da oposição do homem a Deus. Os pecados do homem podem ter sido perdoados, mas será que Deus pode perdoar sua natureza satânica? A natureza satânica se opõe diretamente a Deus e à verdade. Deus nunca perdoaria isso. Portanto, Deus salvou a humanidade da escravidão e do controle da natureza satânica, e deve julgar e castigar a humanidade. O julgamento e castigo de Deus nos últimos dias é a obra destinada à natureza satânica e ao caráter dentro de nós. Alguns podem perguntar: nossa natureza satânica só pode ser resolvida pelo julgamento e pelo castigo? Não podemos, ao pagar o preço com sofrimento, subjulgando nosso corpo e nos reprimindo voluntariamente, resolver nossa natureza satânica? Com certeza não. Vamos dar outra olhada em vários santos através da história que pagaram o preço por sofrerem e subjulgarem seus corpos, que queriam fugir da escravidão e do controle do pecado, e transcender a carne. Mas quem entre eles conseguiu vencer Satanás e se tornar alguém que verdadeiramente obedece a Deus? Quase ninguém. Mesmo que houvesse, eram pessoas a quem Deus tornou completas. Mas quantas pessoas foram essas? Foi precisamente por não haver o julgamento e o castigo de Deus, que o caráter satânico do homem não pôde ser limpo. O caráter de vida do homem era, portanto, incapaz de mudar. Esse fato é suficiente para provar que os meios humanos são incapazes de resolver a natureza satânica da humanidade. O homem deve passar pelo julgamento e castigo de Deus, poda e tratamento, provações e refinamento, antes que possa obter a verdade e a vida, receber o caminho da vida eterna. Só depois disso a natureza satânica do homem pode ser inteiramente resolvida. É por isso que sobre a fundação da obra de redenção do Senhor Jesus, Deus Todo-Poderoso realiza Sua obra de julgamento e castigo nos últimos dias, para salvar a humanidade por inteiro da escravidão e do controle da natureza satânica, para que a humanidade esteja limpa e receba a salvação de Deus e seja ganha por Deus. A partir disso podemos ver que é o julgamento e o castigo de Deus nos últimos dias que limpa inteiramente e salva a humanidade. Isso é verdade.

Por que Deus realiza a obra de julgamento e castigo da raça humana corrupta nos últimos dias? A fim de entender essa questão, devemos saber que Deus não salva completamente a raça humana apenas com um ou dois estágios da obra. Isso ocorre através de três estágios da obra: a Era da Lei, a Era da Graça e a Era do Reino. São apenas esses três estágios da obra que podem salvar totalmente a humanidade do império de Satanás, e apenas esses constituem toda a obra de salvação da humanidade por Deus. Durante a Era da Lei, Deus Jeová promulgou leis e mandamentos para guiar o homem em sua vida na terra, e, através desses, a humanidade pôde saber que tipo de pessoas Deus abençoa, que tipo de pessoas Deus amaldiçoa e também o que é justo e o que é pecaminoso. No entanto, durante os estágios finais da Era da Lei, todas as pessoas estavam vivendo em pecado, pois a raça humana tinha sido corrompida de modo cada vez mais profundo por Satanás. As pessoas eram incapazes de obedecer às leis e corriam o perigo de serem condenados e amaldiçoados por essas leis. É por isso que o Senhor Jesus da Era da Graça veio para realizar a obra da redenção, permitindo que o homem confessasse seus pecados, se arrependesse e fosse perdoado, libertando assim o homem de ser condenado e amaldiçoado através da lei e permitindo que ele fosse qualificado para vir diante de Deus e orar, comungar com Deus e desfrutar de Sua graça e verdade abundantes. Esse é o verdadeiro significado de “ser salvo”. No entanto, o Senhor Jesus apenas perdoou os nossos pecados; Ele não perdoou a nossa natureza pecaminosa ou o nosso caráter satânico. Nossa natureza satânica ainda existe. Continuamos a existir dentro do ciclo vicioso de cometer pecados, confessá-los e então cometer pecados novamente, sem maneira de nos libertarmos das restrições e do controle da nossa natureza pecaminosa. Clamamos a Deus em dor: “Estou realmente sofrendo! Como posso me libertar das restrições e do controle do pecado?” Essa é uma experiência, um entendimento que todos nós compartilhamos como crentes no Senhor. No entanto, somos incapazes de resolver nossa natureza pecaminosa por conta própria. Nenhum ser humano pode fazer a obra de salvar a raça humana. Apenas Deus, o Criador, é capaz de salvar a humanidade e de nos libertar de Satanás e do pecado. Apenas Ele pode nos salvar do império de Satanás. Deus Todo-Poderoso diz: “Já que Ele criou o homem, Deus o conduz; já que Ele salva o homem, Ele o salvará e ganhará completamente; já que Ele conduz o homem, Ele o trará até o destino adequado; e já que Ele criou e gerencia o homem, Ele deve assumir a responsabilidade da sina e das expectativas do homem. É essa a obra realizada pelo Criador” (de ‘Restaurar a vida normal do homem e levá-lo a um destino maravilhoso’ em “A Palavra manifesta em carne”). Deus é fiel. Já que é Deus que salva o homem, Ele fará isso completamente. Ele certamente não desistiria na metade do caminho. É por isso que Deus Todo-Poderoso expressa todas as verdades para purificar e salvar a humanidade nos últimos dias a fim de salvar completamente a humanidade. Ele realiza a obra de julgamento a começar pela casa de Deus a fim de resolver totalmente o problema da natureza e do caráter satânicos da humanidade. Ele faz isso para que a humanidade possa se libertar do pecado, alcançar a salvação e ser ganha por Deus. A obra de julgamento que Deus Todo-Poderoso dos últimos dias realiza é exatamente o que a humanidade corrupta necessita e é também o estágio decisivo da obra que deve ser realizado por Deus para salvar a humanidade. Isso cumpre a profecia do Senhor Jesus: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade” (João 16:12-13). “o Espírito da verdade” se refere a Deus encarnado num corpo humano nos últimos dias, expressando a verdade e realizando a obra de julgamento. Tudo que precisamos fazer é aceitar e obedecer à obra de julgamento de Deus dos últimos dias para que possamos alcançar salvação e ser ganhos por Deus. Isso é algo que todos aqueles que realmente experimentaram a obra de julgamento de Deus dos últimos dias podem confirmar.

de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Anterior:Pergunta 13: A maioria das pessoas no mundo religioso crê que os dizeres do Senhor Jesus na cruz, de que “Está consumado” (João 19:30) provam que a obra de salvação de Deus já foi completamente terminada. No entanto, vocês testificam que o Senhor voltou em carne para expressar a verdade e fazer a obra de julgamento, começando pela casa de Deus, a fim de salvar completamente as pessoas. Então, como exatamente se deve entender a obra de Deus para salvar a humanidade? Não estamos certos sobre esse aspecto da verdade, então, por favor, comuniquem isso a nós.

Próximo:Pergunta 15: Nós seguimos o exemplo de Paulo e trabalhamos arduamente para o Senhor, difundindo o evangelho, dando testemunho do Senhor e pastoreando Suas igrejas, assim como Paulo disse: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4:7). Isso não é seguir a vontade de Deus? Esse tipo de prática deveria significar que estamos qualificados a ser arrebatados e entrar no reino dos céus, então por que temos de aceitar a obra de julgamento e purificação de Deus nos últimos dias antes de podermos ser levados para o reino dos céus?

Conteúdo Relacionado