5. O valor inerente à Bíblia e como se aborda e usa a Bíblia de uma maneira que se conforme à vontade de Deus

Versos da Bíblia para referência:

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de Mim; mas não quereis vir a Mim para terdes vida!” (João 5:39-40).

Palavras de Deus relevantes:

Hoje, Eu estou dissecando a Bíblia dessa maneira e isso não significa que a odeio ou negue seu valor como referência. Estou lhe explicando e esclarecendo o valor inerente e as origens da Bíblia, para impedir que você seja mantido no escuro. Pois as pessoas têm muitas visões sobre a Bíblia e a maioria delas está errada; ler a Bíblia dessa forma não só as impede de ganhar o que devem, mas, mais importante ainda, dificulta a obra que pretendo realizar. Isso interfere tremendamente na obra do futuro e oferece apenas inconvenientes, não vantagens. Assim, o que ensino a você é simplesmente a substância e a história interna da Bíblia. Não estou pedindo que você não leia a Bíblia ou que saia por aí proclamando que ela é totalmente desprovida de valor, mas apenas que você tenha o conhecimento e o ponto de vista corretos sobre a Bíblia. Não seja tão unilateral! Embora a Bíblia seja um livro de história que foi escrito por homens, também documenta muitos dos princípios pelos quais os santos e profetas antigos serviram a Deus, e as experiências dos apóstolos recentes em servir a Deus — todas as quais foram realmente vistas e conhecidas por essas pessoas e podem servir de referência para as pessoas desta era na busca do verdadeiro caminho. Assim, ao ler a Bíblia, as pessoas também podem ganhar muitos caminhos de vida que não podem ser encontradas em outros livros. Esses caminhos são os caminhos de vida da obra do Espírito Santo experimentadas por profetas e apóstolos em eras passadas, e muitas das palavras são preciosas e podem fornecer aquilo de que as pessoas precisam. Dessa forma, todas as pessoas gostam de ler a Bíblia. Porque tem tanta coisa oculta na Bíblia, as visões das pessoas em relação a ela são diferentes daquelas em relação aos escritos de grandes figuras espirituais. A Bíblia é um registro e uma coletânea das experiências e conhecimentos das pessoas que serviram a Jeová e a Jesus na antiga e na nova eras, de modo que as gerações posteriores conseguiram obter muito esclarecimento, iluminação, e sendas para praticar a partir dela. A razão pela qual a Bíblia é mais elevada do que os escritos de qualquer grande figura espiritual é porque todos os seus escritos foram retirados da Bíblia, suas experiências vêm da Bíblia e todos eles explicam a Bíblia. E, assim, embora as pessoas possam ganhar provisões dos livros de qualquer grande figura espiritual, elas ainda adoram a Bíblia porque ela lhes parece tão elevada e profunda! Embora a Bíblia reúna alguns dos livros das palavras de vida, como as epístolas paulinas e as petrinas, e embora as pessoas possam ser providas e auxiliadas por esses livros, eles ainda estão desatualizados e ainda pertencem à era antiga, e não importa quão bons sejam, são apenas adequados para um período e não são eternos. Pois a obra de Deus está sempre em desenvolvimento e ela não pode simplesmente parar no tempo de Paulo e Pedro, ou permanecer sempre na Era da Graça, quando Jesus foi crucificado. E assim, esses livros são apenas adequados para a Era da Graça, não para a Era do Reino dos últimos dias. Eles só podem prover para os crentes da Era da Graça, não para os santos da Era do Reino e não importa o quanto eles sejam bons, eles ainda são obsoletos. Dá-se o mesmo com a obra de criação de Jeová ou a Sua obra em Israel: não importa o quão grande essa obra tenha sido, ela ainda ficaria desatualizada, e o tempo ainda viria quando ela teria passado. A obra de Deus também é a mesma: é grandiosa, mas chegará um momento em que acabará; ela não pode permanecer para sempre no meio da obra da criação, nem entre aquela da crucificação. Não importa o quão convincente foi a obra da crucificação, não importa quão eficaz ela foi em derrotar Satanás, a obra, afinal, ainda é uma obra, e as eras, afinal, ainda são eras; a obra nem sempre pode permanecer no mesmo fundamento, nem os tempos podem não mudar nunca, porque houve a criação e deve haver os últimos dias. Isso é inevitável! Assim, hoje as palavras de vida do Novo Testamento — as epístolas dos apóstolos e os Quatro Evangelhos — tornaram-se livros históricos, tornaram-se velhos almanaques, e como os antigos almanaques poderiam levar as pessoas à nova era? Não importa quão capazes esses almanaques sejam de proporcionar vida às pessoas, não importa quão capazes sejam de liderar as pessoas na cruz, eles não estão desatualizados? Não são desprovidos de valor? Portanto, Eu digo que você não deve acreditar cegamente nesses almanaques. Eles são muito antigos, não podem trazê-lo para a nova obra e só irão sobrecarregá-lo. Não só eles não podem trazê-lo para a nova obra, nem para a nova entrada, mas eles o levam às antigas igrejas religiosas — e, se fosse esse o caso, você não estará regredindo em sua crença em Deus?

Extraído de ‘A respeito da Bíblia (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”

A Bíblia tem sido uma parte da história humana por vários milhares de anos. Além disso, as pessoas a tratam como Deus, ao ponto de, nos últimos dias, ela ter assumido o lugar de Deus, o que repugna Deus. Assim, quando o tempo permitiu, Deus Se sentiu obrigado a esclarecer a história por trás da Bíblia e suas origens; se Ele não fizesse isso, a Bíblia continuaria a ocupar o lugar de Deus no coração das pessoas, e as pessoas usariam as palavras da Bíblia para medir e condenar os feitos de Deus. Ao explicar a essência, a estrutura e as falhas da Bíblia, Deus, de forma alguma, estava negando a existência da Bíblia, tampouco estava condenando-a; ao contrário, Ele estava fornecendo uma descrição apropriada e pertinente, que restaurou a imagem original da Bíblia, tratou dos equívocos que as pessoas tinham em relação à Bíblia e lhes deu a visão correta da Bíblia, para que não adorassem mais a Bíblia e não continuassem perdidos; ou seja, para que não confundissem mais a sua fé cega na Bíblia como fé em Deus e a adoração a Deus, com medo até de confrontar seu contexto verdadeiro e suas falhas. Uma vez que as pessoas têm um entendimento não adulterado da Bíblia, elas são capazes de deixá-la de lado sem remorso e corajosamente aceitar as novas palavras de Deus. Esse é o objetivo de Deus nestes vários capítulos. A verdade que Deus deseja contar às pessoas aqui é que nenhuma teoria nem fato pode ocupar o lugar da obra e das palavras de Deus de hoje e que nada pode ficar no lugar de Deus. Se as pessoas não conseguirem escapar da armadilha da Bíblia, elas jamais serão capazes de vir para diante de Deus. Se elas desejam vir para diante de Deus, elas devem primeiro purificar seu coração de qualquer coisa que possa substituí-Lo; então serão satisfatórias para Deus.

Extraído da Introdução a ‘As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se você deseja ver a obra da Era da Lei e como os israelitas seguiram o caminho de Jeová, deve ler o Antigo Testamento; se deseja entender a obra da Era da Graça, deve ler o Novo Testamento. Mas, como você vê a obra dos últimos dias? Você deve aceitar a liderança do Deus de hoje e entrar na obra de hoje, pois esta é a nova obra, e ninguém a registrou anteriormente na Bíblia. Hoje, Deus encarnou e selecionou outros escolhidos na China. Deus opera nessas pessoas, Ele continua a partir de Sua obra na terra, continua a partir da obra da Era da Graça. A obra de hoje é uma senda que o homem nunca trilhou, e um caminho que ninguém jamais viu. É obra que nunca foi feita antes — é a mais recente obra de Deus na terra. Assim, uma obra que nunca foi feita antes não é história, porque agora é agora, e ainda não se tornou o passado. As pessoas não sabem que Deus fez uma obra maior e mais recente na terra e fora de Israel, e que já foi além do escopo de Israel, além das previsões dos profetas, uma obra nova e maravilhosa fora das profecias, obra mais nova além de Israel, obra que as pessoas não podem perceber nem imaginar. Como a Bíblia poderia conter registros explícitos de tal obra? Quem poderia ter registrado cada pedacinho da obra de hoje, sem omissão, antecipadamente? Quem poderia ter registrado essa obra mais poderosa e mais sábia, que desafia as convenções, contida no velho livro mofado? A obra de hoje não é história e, como tal, se você deseja seguir a nova senda de hoje, deve se separar da Bíblia, deve ir além dos livros de profecia ou de história contidos na Bíblia. Só então você será capaz de percorrer a nova senda corretamente, e só então você poderá entrar no novo reino e na nova obra. Você deve entender por que, hoje, pede-se que você não leia a Bíblia, por que há outra obra que é separada da Bíblia, por que Deus não procura uma prática mais nova e mais detalhada na Bíblia, e por que, em vez disso, há uma obra mais poderosa fora da Bíblia. Isso é tudo o que vocês devem entender. Você deve saber a diferença entre a obra antiga e a nova, e mesmo que não leia a Bíblia, deve ser capaz de dissecá-la; senão, você ainda adorará a Bíblia e será difícil entrar na nova obra e passar por novas mudanças. Como existe um caminho mais elevado, por que estudar aquele caminho baixo e desatualizado? Como existem declarações mais novas e obras mais novas, por que viver em meio a registros históricos antigos? As novas declarações podem prover para você, o que prova que esta é a nova obra; os registros antigos não podem saciar você ou satisfazer suas necessidades atuais, o que prova que são história e não a obra do aqui e agora. O caminho mais elevado é a obra mais nova, e com a obra nova, não importa quão elevado seja o caminho do passado, ele ainda é a história das reflexões das pessoas, e não importa seu valor como referência, ele ainda é o caminho antigo. Embora esteja registrado no “livro sagrado”, o antigo caminho é história; mesmo que não haja registro do novo caminho no “livro sagrado”, ele é o do aqui e agora. Este caminho pode salvar e mudar você, pois esta é a obra do Espírito Santo.

Extraído de ‘A respeito da Bíblia (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 4. Por que não se conseguirá obter vida eterna defendendo e adorando a Bíblia

Próximo: 1. As ovelhas de Deus ouvem Sua voz, e é somente ouvindo a voz de Deus que se pode encontrar o Senhor retornado

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

3. Crentes precisam ser capazes de identificar os falsos pastores e anticristos a fim de se livrar da religião e retornar para Deus

Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância divina, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala. O que quer dizer, se é ou não a carne encarnada de Deus, se é ou não o verdadeiro caminho deve ser julgado pela Sua substância. E assim, ao determinar[a] se é a carne do Deus encarnado, a chave é prestar atenção na Sua substância (Sua obra, Suas palavras, Seu caráter e muito mais), em vez de na aparência exterior. Se o homem olha apenas a Sua aparência exterior e ignora a Sua substância, então isso mostra a ignorância e a ingenuidade do homem.

1. Se “ser arrebatado” realmente significa ser levado para o ar ou o céu, e se o reino celestial está na terra ou no céu

Quando a humanidade tiver sido restaurada à sua imagem original, quando a humanidade puder cumprir com suas respectivas obrigações, manter seu próprio lugar e obedecer a todos os arranjos de Deus, Deus terá obtido um grupo de pessoas na terra que O adora, e Ele também terá instituído um reino na terra que O adora. Ele terá a vitória eterna na terra, e aqueles que se opõem a Ele irão perecer por toda a eternidade. Isso irá restaurar Sua intenção original ao criar o homem; isso irá restaurar Sua intenção ao criar todas as coisas, e isso também irá restaurar Sua autoridade sobre a terra, Sua autoridade perante todas as coisas e Sua autoridade perante Seus inimigos. Esses são os símbolos de Sua vitória total. Daí em diante, a humanidade entrará no descanso e entrará numa vida que segue pela trilha certa. Deus também entrará em eterno descanso com o homem e entrará na vida eterna compartilhada por Ele e o homem. A imundície e a desobediência na terra irão desaparecer, assim como os lamentos sobre a terra. Tudo na terra que se opõe a Deus não mais existirá. Somente Deus e aquelas pessoas que Ele salvou permanecerão; somente Sua criação permanecerá.

1. O propósito dos três estágios da obra de gerenciamento da humanidade por Deus

O objetivo dos três estágios da obra é a salvação de toda a humanidade — o que significa a salvação completa do homem do império de Satanás. Embora cada um dos três estágios da obra tenha um objetivo e um significado diferentes, cada uma é parte da obra de salvar a humanidade, e é uma obra de salvação diferente, realizada de acordo com as exigências da humanidade.

2. O mundo religioso acredita que toda a Escritura foi inspirada por Deus e é inteiramente Suas palavras; por que esse ponto de vista é errado

Nem tudo contido na Bíblia é um registro das palavras pronunciadas pessoalmente por Deus. A Bíblia simplesmente documenta os dois estágios prévios da obra de Deus, dos quais uma parte é um registro das previsões dos profetas, enquanto a outra as experiências e conhecimentos escritos por pessoas empregadas por Deus ao longo das eras. Experiências humanas estão contaminadas com opiniões e conhecimentos humanos, o que é inevitável. Em muitos dos livros da Bíblia, há conceitos e preconceitos humanos e interpretações humanas absurdas. É claro que a maioria das palavras resulta da iluminação e esclarecimento do Espírito Santo, e elas são interpretações corretas, mas ainda assim, não se pode dizer que são expressões inteiramente corretas da verdade. Suas visões sobre certas coisas não passam de conhecimento pela experiência pessoal ou da iluminação pelo Espírito Santo. As previsões dos profetas foram instruídas pessoalmente por Deus: as profecias de Isaías, Daniel, Esdras, Jeremias e Ezequiel vieram da instrução direta do Espírito Santo; essas pessoas eram videntes, haviam recebido o Espírito de profecia, todas eram profetas do Antigo Testamento. Durante a Era da Lei, essas pessoas que haviam recebido as inspirações de Jeová fizeram muitas profecias instruídas diretamente por Jeová.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro