Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Coleção de sermões: provisão para a vida

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

7 Os decretos administrativos e o caráter de Deus

Todos devem saber que o significado primordial da obra de Deus nos últimos dias é revelar o Seu caráter inerente. Esta é a obra que ainda não tinha sido realizada desde a criação do mundo – Seu caráter está sendo revelado somente nos últimos dias, e é claro que ele tem um significado abrangente. Para todos aqueles que creem em Deus e buscam a verdade e a vida, compreender o caráter inerente de Deus é a parte mais importante. Este é o elemento crítico que determina se uma pessoa alcançará a salvação ou não. Para evitarmos de modo efetivo ofender o caráter de Deus, devemos primeiro entender de maneira clara os Seus decretos administrativos. Isto é absolutamente essencial. A respeito da relação entre os decretos administrativos e o caráter de Deus, Ele disse: “Farei com que cada pessoa veja Meus feitos maravilhosos e ouça Minhas palavras sábias. Tem de ser cada pessoa e tem de ser em relação a cada questão. Esse é o Meu decreto administrativo e é a Minha ira. Envolverei cada pessoa e cada questão de modo que todas as pessoas de um extremo ao outro do universo verão com os próprios olhos ou então nunca pararei. A Minha ira foi despejada inteiramente e nem um traço é retido. Ela é dirigida a cada pessoa que aceita esse nome (em breve será voltada a todas as nações do mundo). E o que é a Minha ira? O quanto ela é severa? Em que tipo de pessoa a Minha ira se lança? A maioria das pessoas pensa que a ira é o grau mais severo da raiva, mas isso não a explica inteiramente. Minha ira e Meus decretos administrativos são duas partes inseparáveis; quando promulgo os Meus decretos administrativos, a ira segue na esteira deles. Então, o que exatamente é a ira? A ira é um grau de julgamento que aplico às pessoas e é o princípio por trás da promulgação de qualquer um dos Meus decretos administrativos. Com quem ofender um dos Meus decretos, a Minha ira será de um grau equivalente, dependendo do decreto que tenha sido ofendido. Com a ira vêm os Meus decretos administrativos e com os Meus decretos administrativos vem a ira. Meus decretos administrativos e Minha ira formam um todo inseparável. É o mais severo dos julgamentos e ninguém pode ofendê-lo. Todas as pessoas devem sujeitar-se a isso ou então verão que é difícil evitar serem abatidas pela Minha mão. As pessoas nunca souberam disso ao longo das eras (embora algumas tenham sofrido a dor causada por grandes desastres, ainda assim não sabiam disso; mas principalmente começa a ser promulgado neste momento), mas hoje Eu o revelo a vocês, para que possam evitar causar ofensa”. É assim que Deus descreve a relação entre os Seus decretos administrativos e o Seu caráter. É possível notar que o caráter de Deus não é mais a misericórdia e o amor demonstrados na Era da Graça, mas é o castigo e a ira cheios de justiça e majestade. Esse é o caráter de Deus e ele é principalmente justo. Em tudo o que Deus expressou em Sua obra nos últimos dias, é evidente que, em cada palavra e frase, o Seu caráter de majestade e justiça pode ser sentido. As pessoas tremem de pavor. Por Ele detestar essa era do mal, o grande dragão vermelho e seus filhos, e detestar completamente todas as coisas que pertencem a Satanás, bem como as coisas que são incompatíveis com Ele, esta é a fonte da expressão de Seu caráter de justiça. Aqueles de nós que foram corrompidos por Satanás de modo profundo, que estão cheios de rebeldia e resistência a Deus e cheios de todos os tipos de noções tornaram-se representantes clássicos de Satanás. Sem exceção, somos todos inimigos de Cristo, então, como Deus poderia não manifestar a ira do Seu juízo? Embora Sua obra não seja o que as pessoas gostariam que fosse, é a única maneira de conquistar e ganhar este grupo da humanidade que é hostil para com Ele. Quem consegue entender isto de modo claro? Posso dizer que é o caráter justo que Deus expressa que me conquista, e é o Seu julgamento e castigo cheios de ira que me transformam e me aperfeiçoam. Fui submetido ao julgamento e castigo de Deus e de fato provei do Seu caráter justo que não permite ofensas da parte do homem. Passei a entender muitas questões essenciais, tais como o que é resistir a Deus, o que é ofender o Seu caráter, o que é obedecer a Ele, como desenvolver um coração reverente a Deus e como as pessoas devem servi-Lo. Sem o julgamento e castigo de Deus, eu jamais conseguiria entender essas verdades essenciais. Para os seres humanos corruptos, se houvesse apenas a obra da oferta pelo pecado da Era da Graça, que foi apenas metade da obra, de modo algum seria possível alcançar o padrão para conquistá-los, transformá-los e ganhá-los. Apenas quando a obra do julgamento e do castigo dos últimos dias é adicionada, o plano de gestão de Deus para a humanidade fica completo. Ao vivenciar a Sua obra de julgamento e castigo, a condição para que as pessoas alcancem a salvação tem como base o resultado da transformação de caráter delas. A chave é entender e ater-se aos decretos administrativos de Deus e conhecer o Seu caráter, que não permite as ofensas da humanidade. Ninguém deve negligenciar isso – que se refere à nossa sobrevivência. Quem de fato vivenciou e pode compreender o caráter justo de Deus? Ele não só tem misericórdia e amor, mas, principalmente, também tem julgamento, castigo, majestade e ira que não permitem as ofensas das pessoas. É por isso que Deus refere-Se a Si mesmo como um leão. Na Era do Reino, Ele, diversas vezes, emitiu os Seus decretos administrativos e mandamentos para que as pessoas os observassem. O significado disso é que Ele está revelando o Seu caráter inerente para que as pessoas o conheçam. Assim, Ele encerra a era antiga e inicia uma nova era. A obra de Deus na última era revela o Seu caráter inerente. Todas as Suas palavras são uma expressão de Seu caráter justo e elas formam um grande contraste com a Sua obra e as Suas palavras da Era da Graça. O que Deus mostrou naquela época foi misericórdia e amor, mas o que Ele mostra agora é justiça e majestade. Sua obra naquela época foi a obra de redenção, mas agora ela é de conquista e transformação. O caráter que Ele expressa vai variar com base no estágio da obra, mas todas as facetas de Seu caráter atingem os objetivos da obra que Ele está realizando no momento. Estes são os feitos maravilhosos de Deus. Mas o caráter que Ele expressou na Era da Graça não representa tudo o que Ele é. Entender o caráter inerente de Deus na Era do Reino é mais importante. O que Deus expressa na Era do Reino é o Seu caráter inerente, dando-nos uma excelente oportunidade de conhecê-Lo. Devemos prestar muita atenção a cada palavra Dele, bem como ao significado mais profundo que existe nas entrelinhas. De modo especial, devemos observar as Suas intenções e as Suas exigências à humanidade, principalmente o significado e a essência do conteúdo da constituição, dos mandamentos e dos decretos administrativos que Ele estabeleceu para o reino. Isto é o que é fundamental na compreensão do caráter inerente de Deus. Conhecer o caráter inerente de Deus é a parte principal de conhecê-Lo. Sem isso, não há verdadeiro conhecimento de Deus. O Seu caráter e os Seus decretos administrativos são indissociáveis; as pessoas devem começar primeiro buscando compreender os Seus decretos administrativos. Só assim conheceremos o Seu caráter ao mesmo tempo em que teremos certeza de não O estar ofendendo. Esta é a maneira eficaz de se proteger.

Por que Deus está promulgando os Seus decretos administrativos? Eles são direcionados para a natureza, a arrogância, os pontos fracos e as deficiências da humanidade que restringem e limitam as pessoas, enquanto mantêm também a Sua própria dignidade e glória e revelam o Seu caráter que não tolera ofensas. Ainda mais, servem para completar com êxito o Seu plano de gestão – isso foi determinado por Deus há muito tempo. E sem os Seus decretos administrativos, quem Ele puniria? Como Ele revelaria o Seu caráter? É possível tomar qualquer mandamento, qualquer decreto administrativo e será nítido que revela o Seu caráter que não tolera ofensas. Se as pessoas não entendem isso, elas inevitavelmente cometem ofensas. As consequências de ofender o caráter de Deus são inimagináveis e será tarde demais para se arrepender; se elas não conhecerem os decretos administrativos de Deus e, quando chegar o momento decisivo, elas não souberem o que está acontecendo, então a sua fé não é firme. Deus deu dez mandamentos na Era da Lei; eles eram os princípios básicos que os israelitas deveriam respeitar. Quebrá-los significava a morte e isso era algo que todos sabiam. Hoje, na Era do Reino, Ele promulgou dez decretos administrativos que também são coisas que as pessoas devem seguir. Cometer uma ofensa contra os Seus decretos administrativos significará uma perda na vida de quem a comete, e se for grave, a pessoa será punida com destruição. Devemos realizar comunhões e entender os dez decretos administrativos. Todos devem tê-los em mente e não apenas entender o que é uma ofensa, mas também saber como colocar em prática e seguir os Seus decretos administrativos. Apenas uma defesa passiva contra ofendê-los não é o suficiente para atender Suas exigências. Também é necessário entrar na realidade e colocar em prática de modo positivo – só isso está em consonância com o que Ele exige. Além dos dez decretos administrativos que a humanidade deve observar, existem também os mandamentos e as constituições na Era do Reino que devem ser observados. Embora não sejam iguais aos Seus decretos administrativos, eles também são exigências especiais de Deus. Violá-los trará coisas ruins à sua vida. As pessoas também precisam entender que todas as coisas que mencionam os decretos administrativos de Deus dizem respeito ao reino. Elas serão preservadas para a eternidade e são imutáveis – tudo isso foi definido por Deus há muito tempo. Todas as coisas marcadas como decretos administrativos de Deus são componentes essenciais do Seu plano de gestão, e também são relacionadas às áreas nas quais a natureza rebelde das pessoas se manifesta com mais probabilidade, bem como às áreas em que estamos mais propensos a ofender o caráter de Deus. Por exemplo, o Próprio Deus, Deus na carne, Sua humanidade, o homem usado pelo Espírito Santo e o fato de que os filhos primogênitos exercerão o poder – são todas peças essenciais dos decretos administrativos de Deus. Bem, Deus tem grande cuidado com as pessoas. Ele não quer que todos pereçamos sob a Sua ira, então Ele está constantemente nos avisando, dizendo: “Eu ajo com retidão e agilidade e Eu não considero o quanto você foi fiel a Mim no passado. Enquanto você resistir a Mim, Minha mão julgadora desencadeará rapidamente a ira sobre você, sem nenhum atraso, nem mesmo um segundo, e sem uma pitada de misericórdia.” “O homem não deve agir como Meu conselheiro. Tome cuidado para não ser atingido pela Minha mão e ser lançado no Hades.” “Absolutamente tudo de agora em diante retorna para a Minha mão e está além do controle delas. É completamente controlado por Mim, arranjado por Mim. Se uma pessoa participar pouco, Eu não a deixarei ir facilmente.” “Todas as pessoas verão que Minha justiça e Minha majestade não permitem ofensa ou resistência da parte de ninguém e que qualquer um que ofenda será punido severamente.” “Cada frase que declaro carrega autoridade e julgamento e ninguém pode mudá-las. Sempre que as Minhas palavras são emitidas, as coisas serão realizadas segundo as Minhas palavras, e esse é o Meu caráter. Minhas palavras são autoridade e todos que as corrigem ofendem o Meu castigo e devo abatê-los. Em casos críticos, trazem ruína para a própria vida e vão para o Hades ou vão para o poço do abismo. Esse é o único modo de Eu lidar com a humanidade e o homem não tem como mudá-lo – esse é o Meu decreto administrativo.” “O que eu disse deve ser levado em consideração, o que é levado em consideração deve ser concluído, e isso não pode ser mudado por pessoa alguma; é absoluto. Seja o que Eu disse no passado ou o que digo no futuro, tudo acontecerá, e toda a humanidade verá. Esse é o princípio por trás da obra das Minhas palavras.” “Não sou em essência um cordeiro, mas um leão. Ninguém ousa Me ofender e quem quer que Me ofenda será imediatamente punido por Mim com a morte, sem nenhum sentimento! A partir disso, pode-se bem ser capaz de ver Meu caráter. […]” “Meu julgamento vem para todos, Meus decretos administrativos concernem a todos e Minhas palavras e Minha pessoa são reveladas a todos. Essa é a hora para a grande obra do Meu Espírito (nesse momento, os que serão abençoados e os que sofrerão infortúnio são distinguidos).” “Disto pode-se ver a severidade dos Meus decretos administrativos e pode-se ver os princípios dos Meus decretos administrativos, incluindo dois aspectos: de um lado, mato todos os que não estão alinhados com a Minha vontade e que ofendem os Meus decretos administrativos; por outro lado, em Minha ira amaldiçoo todos os que ofendem os Meus decretos administrativos. Esses dois aspectos são indispensáveis e são os princípios executivos dos Meus decretos administrativos. Cada pessoa é manejada de acordo com esses dois princípios, sem emoção, independentemente do quanto as pessoas sejam leais. Isso é suficiente para mostrar a Minha justiça e suficiente para mostrar a Minha majestade e a Minha ira, que vão incinerar todas as coisas terrenas, todas as coisas mundanas e todas as coisas que não estão alinhadas com a Minha vontade.” “Mas, a partir de hoje, todos os desastres (os relacionados aos Meus decretos administrativos) irão se suceder um após o outro para punir todos aqueles que não são conformes à Minha vontade. Deve haver o advento dos fatos, senão as pessoas não seriam capazes de ver a Minha ira, mas seriam repetidamente debochadas. Esse é um passo do Meu plano de gestão e é o modo como executo o próximo passo da Minha obra. Digo-lhes isso de antemão para que vocês possam evitar cometer ofensa e sofrer perdição para sempre.” “Essa era final é também a era em que todos os desastres surgem novamente e, além disso, a era em que Eu revelo todo o Meu caráter. Quando todas as Minhas trombetas sagradas começarem a soprar, as pessoas ficarão verdadeiramente com medo e então ninguém ousará fazer o mal, mas, em vez disso, se prostrarão diante de Mim, apreciando a Minha sabedoria e Minha onipotência.

Vemos a partir destas palavras que o caráter de Deus não tolerará ofensas humanas, e por isso conhecemos o princípio que Deus usa para realizar os Seus decretos administrativos. Um aspecto desse princípio é eliminar todas as coisas que não estão em conformidade com a Sua vontade e que ofendem os Seus decretos administrativos, e outro aspecto é amaldiçoar com a Sua ira tudo o que ofende os Seus decretos administrativos. Se quisermos garantir que não estamos ofendendo o caráter de Deus – o fato de não entender os Seus decretos administrativos de modo algum trará essa garantia – devemos entender de modo claro cada um dos Seus decretos administrativos e mantê-los em nosso coração.

Anterior:Discutindo a mudança de caráter

Próximo:A racionalidade que é exigida para se seguir a Deus