68. Os princípios para cultivar e utilizar pessoas

(1) É necessário eleger e cultivar como líderes e obreiros pessoas de bom calibre, que amem a verdade e tenham senso de justiça. Fazer isso é benéfico para o trabalho da igreja;

(2) Pessoas que anteriormente foram substituídas, mas se arrependem genuinamente e depois são capazes de realizar trabalho prático, podem ser reeleitas, promovidas novamente e postas em uso;

(3) Novos crentes de um ou dois anos, contanto que sejam de boa humanidade e bom calibre, amem a verdade e tenham assumido responsabilidades, podem ser cultivados e utilizados sumariamente;

(4) Aqueles que, apesar de seu caráter arrogante e farisaico, não são maus, devem ser cultivados e utilizados, contanto que sejam de bom calibre e possam aceitar a verdade.

Palavras de Deus relevantes:

Desde o início de Sua obra em todo o Universo, Deus predestinou muitas pessoas para O servirem, incluindo pessoas de todos os estilos de vida. Seu propósito é satisfazer a Sua vontade e fazer com que Sua obra na terra se concretize sem dificuldades; esse é o objetivo de Deus ao escolher pessoas para O servirem. Toda pessoa que serve a Deus tem de entender Sua vontade. Essa obra Dele faz a Sua sabedoria e a Sua onipotência, e os princípios de Sua obra na terra, mais evidentes para as pessoas. De fato, Deus vem à terra para fazer a Sua obra, para entrar em contato com as pessoas de modo que elas possam conhecer Suas ações com maior clareza. Hoje, vocês, esse grupo de pessoas, são afortunados por servir ao Deus prático. Essa é uma bênção incalculável para vocês — verdadeiramente vocês são elevados por Deus. Ao escolher uma pessoa para servi-Lo, Deus sempre tem princípios Próprios. Servir a Deus não é, absolutamente, como as pessoas imaginam, apenas uma questão de entusiasmo. Hoje, vocês veem que quem quer que sirva a Deus em Sua presença o faz porque tem a orientação Dele e a obra do Espírito Santo, e porque são pessoas que buscam a verdade. Essas são as condições mínimas que todos os que servem a Deus devem ter.

Extraído de ‘O serviço religioso precisa ser purgado’ em “A Palavra manifesta em carne”

Como líderes da igreja, vocês devem aprender a descobrir e cultivar talentos e não ter inveja de pessoas talentosas. Dessa maneira, o dever de vocês será cumprido satisfatoriamente e vocês terão cumprido a sua responsabilidade; também terão feito o máximo para ser leais. Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que as pessoas deveriam possuir. Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Pessoas assim não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bons — mas você terá feito o maior esforço. Quando não estiver pensando em seus próprios desejos egoístas nem considerando seus interesses próprios nas coisas que faz, mas, em vez disso, estiver dando consideração constante ao trabalho da casa de Deus, tendo seus interesses em mente e desempenhando bem o seu dever, então, você estará acumulando boas obras perante Deus. Pessoas que realizam essas boas obras são aquelas que possuem verdade-realidade; como tais, elas têm dado testemunho. Se está vivendo sempre segundo a carne, constantemente satisfazendo os próprios desejos egoístas, então tais pessoas não possuem verdade-realidade; essa é a marca de trazer desonra para Deus.

Extraído de ‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”

Na verdade, entre as muitas pessoas na casa de Deus, algumas têm habilidades especiais e algumas têm uma pequena falha, mas ainda são capazes de realizar certos deveres. Elas estão aptas a cumprir um dever, estão de acordo com os princípios daquelas que cumprem um dever — mas e quanto aos olhos dos anticristos? No que eles acreditam? “Eu esfregaria areia nos meus olhos? Você quer ter um papel no meu grupo, competir comigo. Isso é impossível, nem pense nisso. Você é mais capaz do que eu, mais articulado do que eu, mais educado do que eu e mais popular do que eu. O que eu faria se você roubasse meu trovão? Você quer que eu trabalhe com você? Nem pense nisso!” Eles estão considerando os interesses da casa de Deus? Não. Tudo em que estão pensando é se seu status pode ser preservado; nesse caso, preferem prejudicar os interesses da casa de Deus a usar essas pessoas. Isso é exclusão. Além disso, cultivam idiotas sem qualquer habilidade, pessoas que são incompetentes, fáceis de mandar, maleáveis e ignorantes, pessoas que não têm visão, que não pensam por si mesmas, que não entendem a verdade — são as únicas pessoas que eles cultivam. Os incrédulos têm um ditado: “Prefiro conduzir o cavalo de um homem verdadeiro e segurar os estribos para ele do que ser o ancestral de um preguiçoso”. Mas os anticristos são exatamente o oposto: eles seriam os ancestrais desses ociosos. Isso não é a manifestação da incompetência? Por exemplo, eles mencionam alguém que não é arrogante e pode contribuir. Quando você lhes pergunta como essa pessoa está entendendo a verdade, eles dizem: “Ela entende aceitavelmente bem, ela tem algum calibre”. Na verdade, essa pessoa que eles mencionaram se esconde quando encontra um pequeno problema, ela não tem fé. Entre essas pessoas, existem aquelas que não entendem a verdade, aquelas que não entendem as questões espirituais, aquelas que sempre reclamam em particular, e aquelas que sempre cometem erros. São um bando de idiotas, os anticristos são seus ancestrais, e são essas pessoas que eles cultivam. São essas pessoas que os anticristos estão propensos a cultivar quando se tornam “líderes” na casa de Deus, e isso não resulta em atraso na obra da casa de Deus? Eles não têm consideração pelas pessoas que têm um pequeno calibre, que são capazes de entender um pouco da verdade, que buscam a verdade, que praticam um pouco da verdade e que podem realizar a obra da casa de Deus. Por que isso? Essas pessoas nunca se tornariam seus escravos e seguidores, nunca ficariam à sua disposição, então eles cultivam um grupo de pessoas que são tolas, tímidas, ignorantes, estúpidas, lentas e que não têm mente própria — esse é o tipo de lixo que eles cultivam. Vocês diriam que isso é benéfico para a obra da casa de Deus? Não. E eles pensam nisso? No que estão pensando? “Estou procurando qualquer um com quem eu possa trabalhar e prosperar, que me faça sentir importante e possa destacar meu valor.” O grupo deles é um bando de idiotas que não entendem de assuntos espirituais. Nenhum deles busca a verdade quando encontra um problema, nenhum deles entende a verdade, nenhum deles trata as coisas de acordo com os princípios da verdade. Há uma coisa, entretanto, que os anticristos gostam neles: quando encontram um problema, essas pessoas procuram os anticristos e fazem o que eles dizem. Esse é o princípio segundo o qual os anticristos encontram pessoas com quem trabalhar. Encontram um bando de idiotas, um monte de lixo para trabalhar e beijar seus pés — e, no final das contas, parte da obra da casa de Deus é interrompida. Os interesses da igreja e a velocidade da obra são afetados, mas essas pessoas não têm noção disso e até dizem: “Isso não é só culpa minha”. Se todos disserem que a culpa não é sua, de quem é então? Se ninguém assumir a responsabilidade quando ocorre um problema, de que adiantou ouvir sermões durante todos esses anos? Os fatos estão bem diante de seus olhos, mas eles ainda não os reconhecem. Que tipo de pessoa é essa? Esse fato prova que as pessoas que os anticristos escolhem não são boas; não aceitam a verdade. Os anticristos deliberadamente se unem a idiotas, desgraçados desprezíveis e imprestáveis que não aceitam nem amam a verdade. Eles os prendem com seus laços, insinuando-se com essas pessoas até que sejam compatíveis, em termos íntimos, e se deem bem. O que é isso? Não é uma gangue de anticristos? Quando você substitui seus “ancestrais”, seus filhos fiéis, elas julgam e dizem que isso foi injusto e se unem para defendê-los. Os anticristos são apenas pessoas más? Alguns anticristos são perdulários sem nenhum talento significativo, mas uma coisa eles têm: sua predileção especial por status. Não pense que, sendo sem talento e sem educação, eles não amam status; isso está errado, e mostra que você não compreendeu completamente a substância dos anticristos. Qualquer um que é um anticristo adora status. Já que os anticristos não são capazes de trabalhar ao lado de ninguém, como são capazes de cultivar um monte de ovos podres e beijadores de pés? Eles querem trabalhar com essas pessoas? Se fossem realmente capazes de trabalhar com essas pessoas, aquelas palavras não seriam verdadeiras. Eles são incapazes de trabalhar com alguém — e esse “alguém” também inclui as pessoas que eles cultivam. Então, o que eles estão fazendo ao cultivá-las? Eles cultivam um grupo que é fácil de comandar e manipular, que não consegue pensar por si mesmo, que faz tudo o que lhe é ordenado, que trabalha com eles para proteger seu status. Proteger seu status sem ajuda seria um pouco difícil, um pouco árduo, e por isso eles cultivam esse grupo de pessoas — um grupo que, aos seus olhos, é supostamente “espiritual” — que suportam alegremente as adversidades e são capazes de proteger os “interesses da casa de Deus”. Cada uma delas realiza muitas tarefas diferentes e vai até os anticristos para fazer perguntas ou consultar sempre que encontra um problema. Esse é o tipo de pessoa que eles cultivam, e acham que é isso que significa trabalhar ao lado das pessoas. Mas é isso? Eles encontram um monte de pessoas para dar ordens, para fazer sua obra, para consolidar seu status. Isso não é cooperar — é administrar sua operação pessoal.

Extraído de ‘Para líderes e obreiros, escolher uma senda é de extrema importância (8)’ em “Registros das falas de Cristo”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Determinar se vale a pena cultivar alguém e se ele pode ser usado ou não depende primariamente de dois aspectos: em primeiro lugar, é preciso ver se uma pessoa busca a verdade ou não, se ela consegue praticar a verdade ou não e se ela entrou na realidade ou não; em segundo lugar, é preciso ver os seus atributos claramente pelo que são, distinguir se ela tem ou não uma humanidade normal, se ela possui ou não consciência e razão, que tipo de pessoa ela é e que em que tipo de senda ela se encontra. A cultivação e o uso de pessoas pela igreja dependem principalmente de elas buscarem ou não a verdade; esse é o princípio mais fundamental. A razão disso é que se alguém busca ou não a verdade pode explicar muitas questões; revela se a senda em que ele está é a senda certa ou uma senda maligna, se sua fé em Deus é prática ou não e que tipo de atributo ele possui. Se ele realmente for alguém que busca a verdade, ele certamente possuirá uma humanidade comparativamente boa, certamente estará na senda certa e certamente será uma pessoa relativamente bondosa. Portanto, a casa de Deus ressalta repetidas vezes a necessidade de escolher e usar como líderes aqueles que buscam a verdade de forma genuína; essa é uma questão significativa. Ninguém é perfeito; todas as pessoas têm suas deficiências. Ao avaliar alguém, você deve contemplar os aspectos principais: se ele busca a verdade ou não, se é de calibre bom, se é determinado e se tem um senso de justiça. Se alguém é capaz de buscar a verdade, o fato de ele ter algumas deficiências menores ou cometer algumas transgressões menores não é considerado um problema. Contanto que seja alguém que verdadeiramente busca a verdade, suas transgressões podem ser resolvidas. Ao avaliar alguém, não procure chifre em cabeça de cavalo nem o julgue pela aparência; você deve olhar para a sua essência. Isso é essencial. O trabalho crucial é encontrar pessoas que são genuinamente de bom calibre, que buscam a verdade e que são capazes de realizar trabalho, e então arranjar lugares apropriados para elas na igreja e suprir e cultivá-las bem. Quando os líderes e colaboradores da igreja em todos os níveis embarcarem na trilha certa da crença em Deus, eles também poderão guiar o povo escolhido de Deus para a trilha certa.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Um crente novo que é de humanidade relativamente boa, mas não entende a verdade nem possui a verdade-realidade, pode ser um líder? Não pode. Tornar-se líder leva, no mínimo, mais ou menos um ano. Pessoas que acreditam em Deus só podem vir a entender algumas verdades após terem experimentado Sua obra por mais ou menos um ano. Se for descoberto que um novo crente que tem acreditado em Deus por seis meses ou um ano é de boa humanidade e busca a verdade com fervor, ele deve ser cultivado e treinado para cumprir o seu dever. Se alguém tem acreditado em Deus por cinco ou seis anos, ou por sete ou oito, e é de humanidade bastante boa e é honesto e bem-comportado, mas de calibre apenas mediano, frequentou reuniões por alguns anos e ainda não entende muito da verdade e possui pouca realidade, tal pessoa é apta para ser um líder? Se carecer demais de calibre, ele não poderá entender a verdade e seria incapaz de liderar; no máximo, poderia cumprir um dever em algum aspecto ou outro. Portanto, pessoas que servem como líderes devem ser capazes de entender a verdade, ser de calibre bom e ter uma humanidade no mínimo mediana; além do mais, devem ter acreditado por um ou dois anos ou talvez por dois ou três anos, e deve haver a garantia de que sejam capazes de entrar em algumas realidades-verdade. Somente pessoas assim são dignas de ser cultivadas. Como, então, se determina se uma pessoa é de calibre bom? Se você se comunica com ela sobre a verdade ou se ela come e bebe das palavras de Deus por iniciativa própria e sempre está informada e consegue entender a verdade, está relativamente sintonizada com assuntos espirituais e consegue entender algo assim que você o aponta para ela, então ela é de bom calibre. Existem muitas pessoas cujo calibre não é ruim; quando você comunga com elas sobre a verdade, elas entendem, mesmo assim elas anão aceitam a verdade nem a colocam em prática. Tais pessoas são adequadas para papéis de liderança? Absolutamente não. A maioria dos líderes e colaboradores que foram eliminados no passado era de calibre um tanto decente, mas essas pessoa não praticavam a verdade, tinham humanidade pobre e eram enganosas demais; estavam constantemente dando testemunho falso e enganando as pessoas e não possuíam nem um pingo de verdade-realidade. Além disso, não importava quais deveres estivessem cumprindo, eles sempre incluíam adulterações e suas próprias segundas intenções. Quando lhes era atribuído realizar alguma tarefa para a casa de Deus, às vezes, eles favoreciam gente de fora e não da casa de Deus, viviam a custo da casa de Deus, ao mesmo tempo em que ajudavam as pessoas de fora. Pessoas como essas não têm boa humanidade. Não falam com honestidade, fazem coisas que obrigam a casa de Deus a se preocupar e preferem prejudicar os interesses da casa de Deus em nome de ganho pessoal. Todas essas são as pessoas mais egoístas e desprezíveis, e as pessoas mais egoístas e desprezíveis não são adequados para papéis de liderança nem para cumprir deveres. Pessoas desse tipo não podem alcançar salvação. Uma pessoa deve buscar a verdade, ser honesta, ser íntegra, ter um senso de justiça e ser capaz de defender os princípios-verdade; somente então alguém é digno de ser cultivado e apto a se tornar um líder.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

Anterior: 67. Os princípios para revocar líderes e obreiros

Próximo: 69. Os princípios para separar a igreja em grupos A e B

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro